Últimas notícias

Fique informado
ETM | O Combate as ameaças ganha reforço com a Blue Coat, Trend Micro e Symantec

ETM | O Combate as ameaças ganha reforço com a Blue Coat, Trend Micro e Symantec

28/10/2015

Spotlight

Lei da Internet das Coisas segue para sanção presidencial e deve impulsionar o mercado de eIDs

Os equipamentos que utilizam a Internet precisam ser identificados para a autenticação precisa máquina a máquina e, em alguns casos, é primordial estarem blindados contra invasões hackers.

26/11/2020

UAE Pass: a solução de identidade digital que atende mais de 5 mil serviços governamentais nos Emirados Árabes Unidos

UAE PASS é a solução de identidade digital e assinatura digital nacional dos Emirados Árabes Unidos. Os serviços estão disponíveis para cidadãos e residentes dos Emirados Árabes Unidos.

25/11/2020

ITI é um dos representes do Brasil na IV Reunião Ministerial da Red Gealc sobre Governo Digital da América Latina e Caribe

A Rede de Governo Eletrônico da América Latina e Caribe, Red GEALC, reúne – desde 2003 – as autoridades dos órgãos governamentais digitais dos países da região.

19/11/2020

Cidadãos poderão assinar documentos e validar transações com o governo de forma simples e eletrônica

O gestor público poderá adequar o nível de assinatura eletrônica exigido em um serviço levando em consideração o nível de segurança da transação.

18/11/2020

Decreto 14.543/2020 regulamenta o artigo 5º da Lei 14.063/2020

O decreto 14.543/20 define alguns requisitos do artigo 5º Lei 14.063/2020.

16/11/2020

Entenda o Universo dos Certificados de Atributo

# TBT | Este artigo escrito em novembro de 2014, apresenta o que são Certificados de Atributo, como estão regulamentados, na época, para uso na ICP-Brasil, quais suas possíveis utilizações e como se tornar uma EEA – Entidade Emissora de Atributos. 

13/11/2020

Cibercrime usa tráfego criptografado por SSL para esconder ameaças avançadas

A saída para endereçar o problema das ameaças embutidas na

25/09/2015
Encrypted Traffic Management – ETM Ready (Gestão do Tráfego Criptografado, em tradução livre)

A Blue Coat Systems, provedora de soluções de segurança corporativa, ampliou o número de parceiros do Programa Encrypted Traffic Management – ETM Ready (Gestão do Tráfego Criptografado, em tradução livre).

A partir dessa semana os produtos e inteligência de empresas como Trend Micro, Symantec Data Loss Prevention, eSentire, Gigamon, LogRhythm, ManagedMethods e TopSpin Segurança, fazem parte do programa.

Lançado em março de 2015, o ETM Ready propõe a colaboração entre diversos fornecedores da área de segurança para prover integridade aos ambientes de TIC das corporações. Uma das principais bandeiras do grupo é a guerra contra as ameaças ocultas em tráfego criptografado SSL. Todas as empresas que integram o programa são treinadas e certificadas na tecnologia Blue Coat.

Marcos Oliveira

Marcos Oliveira

5 passos para manter o e-mail empresarial seguro

Marcos Oliveira, gerente da Blue Coat no Brasil, diz que, se por um lado o tráfego criptografado assegura a privacidade das comunicações corporativas, por outro representa um ponto cego na visibilidade dos sistemas TIC.

Dentro deste quadro, é fundamental que seja possível inspecionar o tráfego criptografado”, afirma Marcos Oliveira.

Segundo ele, o ETM Ready concentra fornecedores que compartilham a mesma visão e somam forças para atingir esse objetivo.

De acordo com Nicolas Popp, vice-presidente de proteção à informação da Symantec, o tráfego SSL é visto por cibercriminosos com um lugar atraente para esconder malware, por isso a necessidade de adicionar visibilidade a esse tráfego. “Isso previne vazamento de informações e outras atividades criminosas”, afirma.

Os parceiros fundadores do ETM Ready são as empresas CA Technologies, Cyphort, Damballa, Fidelis Cybersegurança, HP, Lastline, RSA, Gemalto, Venafi e VSS Monitoring.
Criptografia dá privacidade para usuários e hackers

Segundo uma pesquisa do Blue Coat Labs, dos 10 websites mais visitados, todos usam HTTPS (tráfego criptografado), deixando 100% desses acessos invisíveis a todos os dispositivos de segurança, se não forem descriptografado. Segundo a companhia, o crescente uso de criptografia para aumentar a privacidade está criando condições para que hackers ocultem malware em transações criptografadas.

Os pesquisadores da Blue Coat descobriram que, frequentemente, o SSL reduz o nível de sofisticação necessário para o malware evitar a detecção, o que facilita a entrada de aplicações maliciosas na rede. De acordo com especialistas da empresa, em um período típico de sete dias, de 1,1 milhões de novos sites identificados e classificados, mais de 40 mil solicitações eram para sites HTTPS maliciosos recém-classificados e 100 mil solicitações a sites HTTPS de Comando e Controle que já estavam infectadas.

Nenhum comentário até agora

Ir para a discussão

Nenhum comentário ainda!

Você pose ser o primeiro a iniciar a discussão.

<