Últimas notícias

Fique informado

Novos tempos trazem novos desafios de segurança

16/07/2020

Spotlight

Presidente do ITI fala sobre a CertLive que abordou as MPs 951 e 983

Conversamos com Carlos Roberto Fortner sobre a primeira CertLive recebeu parlamentares e integrantes do governo brasileiro em torno das MPs 951 e 983 de 2020.

31/07/2020

Associações da Sociedade Civil manifestam seu apoio à aprovação da MP 951/2020

A MP autoriza a emissão dos certificados digitais, no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil, por meio de videoconferência.

31/07/2020

O pequeno herói e sua conexão com a tecnologia para acesso ilimitado e seguro

Neste ebook apresentamos a história do pequeno herói neerlandês e sua conexão com a tecnologia do SafeSign e todo o ecossistema de soluções da AET – Unlimited access to your world.

22/07/2020

Trend Micro produz estudo sobre padrão de segurança digital de carros conectados

Relatório aborda conjunto de normas técnicas estipuladas pela ISO/SAE 21434, que determina padrões de cibersegurança para veículos automotivos conectados.

08/07/2020

Como a segurança cibernética pode ajudar na produtividade de clubes e atletas?

No universo do esporte hiperconectado, a segurança cibernética não pode ser negligenciada.

07/07/2020

Com o surgimento do COVID-19 e a necessidade de isolamento social diversas empresas e afins tiveram que investir em segurança digital

Por Fabio Soto

Fabio Soto – CEO da Agility

Trabalho remoto, atendimento médico online, compra de roupas e comida por aplicativos e aulas virtuais para pessoas de todas as idades passaram a fazer parte do cotidiano.

Estas mudanças têm como consequência uma série de desafios comerciais, de gestão e adequação tecnológica.

Especialmente com relação à adequação tecnológica há a necessidade de desenvolver novas soluções de forma muito rápida, de maneira a garantir um time-to-market agressivo, pois quem estiver melhor preparado para fornecer produtos e serviços online deverá se sobressair após o término da situação de pandemia.

Nesse caso, deve-se prestar especial atenção a escala, performance, disponibilidade e segurança. Já para a nova realidade de trabalho remoto, há outros desafios, muito relacionados ao uso que as pessoas fazem da tecnologia e sua segurança.

Como não há mais o ambiente controlado das corporações, e sim o trabalho dos funcionários a partir de seus lares, as proteções devem ser outras e as pessoas devem ter outros tipos de treinamentos, mais adequados ao novo ambiente.

Ao trabalhar em casa, alguns comportamentos podem trazer vulnerabilidades tanto para os dispositivos que os colaboradores levaram para casa, quanto às redes corporativas que são acessadas remotamente, de redes particulares.

De acordo com o Relatório da Verizon “2020 Data Breach Investigations Report”, o phishing continua sendo a principal forma de ataque, com esquemas cada vez mais sofisticados e maliciosos à medida que o trabalho remoto aumenta.

Além disso, desde janeiro desse ano, foram registrados milhares de sites relacionados à COVID, dentre eles muitos domínios com malware.

Também há o hábito de se usar o computador corporativo para outras atividades.

Pessoas que estão em casa e convivem (e dividem os dispositivos) com outras que não estão acostumadas a acessar a internet e não possuem conhecimento e cultura de segurança podem ser protagonistas de golpes, já que não percebem a malícia implícita em uma mensagem que promete máscaras ou álcool em gel de graça, por exemplo. 

Quando observamos este cenário temos também que atentar ao fato de que a movimentação criada por conta do isolamento social, que elevou exponencialmente o trabalho remoto, abriu portas para novas relações de trabalho que não vão retornar ao que eram antes.

A Transformação Digital alcançou níveis que estávamos esperando para 3 ou 5 anos à frente e que vieram para ficar.

A Fundação Getúlio Vargas divulgou um estudo que prevê aumento de 30% no trabalho remoto pós pandemia. Ou seja: desafios serão parte dessa nova realidade e devem ser apurados desde já. A forma de trabalho está mudando e não voltaremos atrás.

Existem diversos modelos possíveis de atuação profissional ao término da pandemia, assim como várias estratégias de retorno. O que é necessário em todos os casos é treinamento e conscientização das equipes e lideranças em relação a segurança digital.

Aqui deixo um ponto importante: a principal transformação deve vir das pessoas. O ambiente corporativo sempre foi vivenciado nas dependências das empresas, mas agora esta esfera se ampliou para as residências.

Ao final da pandemia, com a consolidação do home office, esse círculo de possibilidades vai aumentar ainda mais e integrar cafés, restaurantes, hotéis, aeroportos… a comunicação e as formas de atuação são amplas!

As empresas estão começando a se preocupar com este movimento. Neste momento a atuação de uma consultoria em segurança é fundamental, já que é preciso criar a conscientização ao mesmo tempo em que se implementa a tecnologia necessária.

Dessa forma, os dados, pequenas preciosidades corporativas e pessoais, estarão garantidos e dentro do escopo de leis regulatórias, tanto no Brasil quanto em outros países.

17-Year-Old Critical ‘Wormable’ RCE Vulnerability Impacts Windows DNS Servers

Um terço dos profissionais brasileiros desconhece os riscos de um ciberataque

Novos tempos exigem mais investimento nos profissionais de cibersegurança

Apresente suas soluções e serviços no Crypto ID! 

Nosso propósito é atender aos interesses dos nossos leitores, por isso, selecionamos muito bem os artigos e as empresas anunciantes. Conteúdo e anúncios precisam ser relevantes para o mercado da segurança da informação, criptografia e identificação digital. Se sua empresa é parte desse universo, baixe nosso Mídia Kit, escreva pra gente e faça parte do Portal Crypto ID!

ACESSE O MÍDIA KIT DO CRYPTO ID

contato@cryptoid.com.br  
+55 11 3881 0019