Menu

Últimas notícias

Fique informado
Tudo Online | Setor financeiro investe em bancos digitais sem agência

Tudo Online | Setor financeiro investe em bancos digitais sem agência

26/04/2016

Spotlight

Serviços eletrônicos proporcionam mobilidade, mas estão seguros?

COVI-19 alterou muitos hábitos de indivíduos e empresas em todo o mundo e nunca a tecnologia da informação foi tão importante quanto agora para disponibilizar serviços eletrônicos seguros.

30/03/2020

Em caráter de urgência ITI publica Instrução Normativa nº 2 para validação dos titulares dos certificados digitais por videoconferência

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02, DE 20 DE MARÇO DE 2020 Estabelece os procedimentos de confirmação de cadastro de requerente de certificado digital por meio de videoconferência.

20/03/2020

Diretor-presidente do ITI alerta para a validade de certificados digitais de empresários brasileiros

Marcelo Buz do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação – ITI alerta os empresários brasileiros para a validade do certificado digital.

20/03/2020

Abertura e encerramento de contas online com Certificado Digital ICP-Brasil

Os correntistas dos bancos brasileiros agora podem abrir e fechar suas

25/04/2016

A Resolução BACEN nº 4.474 e o “recado” do Conselho Monetário Nacional

 Resolução BACEN nº 4.474 Por Guilherme Silva Freitas* Não é fácil

25/04/2016

Certificados Digitais em dispositivos móveis | o que dizem os especialistas?

O Comitê Gestor Nacional do Processo Judicial Eletrônico (PJe) autorizou

14/04/2016

Banco do Brasil aposta no uso do NFC para pagamentos móveis

A instituição é pioneira nos estudos e experimentos sobre a

24/02/2016
Abrir conta pelo celular ou contatar gerente pelo WhatsApp são diferenciais

De olho nos consumidores que procuram agilidade e menos burocracia para abrir contas, fazer aplicações e obter crédito, bancos de menor porte estão investindo milhões para se tornarem cada vez mais digitais. Sem agências físicas, apostam na internet como ferramenta para crescer e fisgar a clientela dos grandes bancos, onde mais de 70% das transações já são realizadas pela web.

— A utilização dos serviços digitais não é mais uma tendência, mas uma realidade. Não tem volta e os grandes bancos é que vão ter que se mexer novamente para não perder clientes para esses chamados bancos digitais — diz João Augusto Salles, especialista no setor bancário da Lopes Filho Consultores.

Na semana passada, o grupo J&F, que controla entre outras empresas a JBS, maior processadora de carne do mundo, anunciou o relançamento de seu banco Original. Criado inicialmente para oferecer crédito a fornecedores da empresa, o Original ressurge agora como um banco 100% digital, sem agências.

À frente da empreitada está o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, presidente do Conselho da J&F, holding do grupo. Ele explica que foram investidos R$ 600 milhões no novo projeto e acredita que a web é o caminho para ganhar clientes, mesmo na crise que o país atravessa.

Original. O ex-presidente do Banco Central , Henrique Meirelles, está à frente do banco que pertence ao grupo da JBS – Foto: Edilson Dantas | O GLOBO

O Original tem 5,5 mil clientes, e Meirelles espera que, em uma década, este número chegue a 2 milhões. Para ele, os bancos digitais devem crescer nos próximos anos, assim como cresceram as companhias de e-commerce, que surgiram como pequenas e se popularizaram.

— Somos o primeiro banco do mundo onde se pode abrir conta pelo celular. Há uma nova oportunidade de crescimento no segmento financeiro pela via digital, depois da consolidação dos grandes bancos — diz Meirelles.

O executivo aposta na agilidade para fazer todas as operações que o banco vai oferecer. Tanto que o garoto-propaganda da instituição é o velocista Usain Bolt.

O Original vai oferecer abertura de conta corrente, produtos de investimento de renda fixa, renda variável e até mesmo crédito. A diferença é que o cliente pode fazer tudo pelo celular, tablet ou notebook, sem precisar ir a agências e enfrentar filas. As taxas cobradas, diz, serão bastante competitivas.

A XP Investimentos se prepara para lançar um banco focado em crédito até o fim deste semestre. Será o primeiro passo para a consolidação de um banco digital. A XP já oferece investimentos, como renda fixa e variável, através de sua plataforma digital.

— Vamos acoplar uma plataforma de banco à nossa plataforma de investimentos, onde o cliente já faz suas operações pelos canais digitais — diz Guilherme Benchimol, sócio da XP.

O investimento inicial no projeto é de R$ 100 milhões. Segundo Benchimol, clientes com aplicações poderão usar os recursos como uma espécie de garantia para obter crédito, o que vai permitir cobrar taxas menores. Acredita que, em seis meses, será possível oferecer de R$ 300 milhões a R$ 500 milhões em crédito.

Há 20 anos no mercado, o banco de investimento Modal criou, em outubro passado, um canal de investimento digital para o varejo. Trata-se do home broker Modalmais. Esperava atrair 2 mil pessoas em 12 meses, mas em apenas três meses a meta foi batida. A plataforma oferece investimento em títulos do Tesouro Direto, fundos e produtos do banco, como remessa de câmbio.

É possível investir pela plataforma a partir de um mínimo de R$ 1 mil em CDB, por exemplo. Há novidades tecnológicas como a possibilidade de conversar com o gerente via whatsaap.

— Não vimos esse recurso do whatsaap em nenhum outro banco do mundo. Não temos a intenção de ser um banco de varejo, mas essa ferramenta digital nos fará crescer nesse segmento — diz Rodrigo Puga, sócio responsável pela Modalmais.

Para o especialista do setor bancário João Augusto Salles a tendência é que os investimentos no setor sejam cada vez em operações na web:

— O crescimento dos bancos se dará pela via digital.

Fonte: O Globo

 

Nenhum comentário até agora

Ir para a discussão

Nenhum comentário ainda!

Você pose ser o primeiro a iniciar a discussão.

<

X
Pular para a barra de ferramentas