Últimas notícias

Fique informado

Lumu Technologies detecta ameaça iminente de ataques no Brasil do grupo cibercriminoso Copode 1.0; país é o mais vulnerável do mundo

14 de julho de 2023

Spotlight

Doc9 lança Guia Prático de Prompts para ChatGPT no Jurídico: Como Maximizar a Eficiência com a Inteligência Artificial

Para obter os melhores resultados com o ChatGPT no contexto jurídico, siga as dicas importantes do Guia Prático de Prompts da doc9.

28 de maio de 2024

Governo Federal apoia Rio Grande do Sul na emissão 2ª via da Carteira de Identidade Nacional

O mutirão coordenado pelo Governo do RS começou nos abrigos de Porto Alegre. Expedição da segunda via será imediata

20 de maio de 2024

Cibersegurança é a maior preocupação de empresas que investem no metaverso

Segurança cibernética deve ser a principal meta das empresas que

6 de fevereiro de 2023

Cibersegurança: a prevenção e o bom senso são os maiores aliados das empresas. Por Mara Maehara, CIO da TOTVS

A cibersegurança é uma preocupação constante, gestores precisam estar unidos e contar com aliados nessa batalha diária

6 de fevereiro de 2023

Genetec obtém certificações rigorosas por meio do compromisso com cibersegurança e privacidade 

A empresa anuncia os padrões ISO 27001, 20017, certificação de cibersegurança UL 2900-2-3 nível 3 e auditoria SOC2 Tipo 2

6 de fevereiro de 2023

Forcepoint aponta a crise de identidade entre as tendências para a cibersegurança em 2023  

A Forcepoint, empresa de cibersegurança, divulga um relatório com as maiores tendências e desafios a serem enfrentados para o setor em 2023

3 de fevereiro de 2023

A Lumu Technologies, empresa de cibersegurança, permite às organizações medir os comprometimentos da segurança em tempo real

Analistas da empresa de cibersegurança alertam que até o momento há mais de 100 instâncias locais vulneráveis que podem ser exploradas pelos invasores.

A Lumu Technologies, empresa de cibersegurança criadora do modelo Continuous Compromise Assessment™, que permite às organizações medir os comprometimentos da segurança em tempo real, anunciou hoje a detecção de ameaça iminente de uma onda de ciberataques promovidos pelo grupo Copode 1.0 no Brasil.

De acordo com os analistas da companhia, foram detectadas até o momento 116 instâncias vulneráveis no país, o que o posiciona como o mais vulnerável do mundo, à frente da França, com 61, e dos Estados Unidos, com 58, respectivamente em segundo e terceiro lugares.

cibersegurança
German Patiño, vice-presidente de vendas da Lumu Technologies para a América Latina.

Segundo a Lumu, é urgente que as organizações brasileiras se certifiquem se estão entre as afetadas, uma vez que “esse grupo de cibercriminosos se destaca por ter uma alta capacidade de comprometer organizações, infectar computadores na rede e se camuflar para permanecer em seu interior sem ser notado”, alerta German Patiño, vice-presidente de vendas da Lumu Technologies para a América Latina.

Soma-se a isso o fato de que outros grupos de ransomware e de cibercriminosos podem se aproveitar do mesmo código de Lockbit 3.0, uma variação dos vazamentos de código LockBit Black, originalmente vazados em setembro de 2022.

E isso aumenta o potencial de circulação do ataque, já que os invasores têm uma grande capacidade de se moverem lateralmente e possuem técnicas avançadas de atuação.

Entre as recomendações de segurança listadas pelos especialistas da empresa estão atualizar sistemas (patching), identificar se a rede já foi comprometida e validar se os ativos da organização já estão em contato com os indicadores de comprometimento (IoCs).

Semelhante a muitas variantes de ransomware, a atual ameaça se concentra principalmente na identificação de serviços vulneráveis na superfície de ataque de possíveis vítimas, explorando fatores como obsolescência do sistema, vulnerabilidades não corrigidas, configurações incorretas ou até mesmo explorações de dia zero.

Examinando meticulosamente esses pontos fracos, procura encontrar portas de entrada que possam ser vasculhadas para obter acesso não autorizado e lançar seus ataques de ransomware”, pontua Patiño.

O surgimento do Copode 1.0 ressalta a necessidade de práticas de segurança eficazes, incluindo corrigir vulnerabilidades, diminuir a superfície de ataque e monitorar a rede em busca de atividades suspeitas. À medida que o cenário de ameaças se adapta, as práticas de cibersegurança devem evoluir para permanecerem vigilantes e combater efetivamente essas ameaças cada vez mais sofisticadas”, finaliza German Patiño.

Sobre a Lumu Technologies

Com sede em Miami, Flórida, a Lumu é uma empresa de cibersegurança focada em ajudar organizações empresariais a identificar ameaças e isolar instâncias confirmadas de comprometimento.

Ao implementar os princípios do Continuous Compromise Assessment™, a Lumu criou uma poderosa solução de feedback e autoaprendizagem que ajuda as equipes de segurança a acelerar a detecção de comprometimentos confirmados, obter visibilidade em tempo real em sua infraestrutura e fechar a lacuna na detecção de falhas de segurança de meses para minutos.

Saiba mais sobre como a Lumu identifica os pontos de comprometimento da rede em www.lumu.io.

Segurança tecnológica: os tipos de ciberataques e como evitá-los nas empresas

Ciberataques são a pior ameaça para os governos no mundo em 2023

Check Point Software sinaliza aumento acentuado de ciberataques direcionados a dispositivos IoT

22mai09:0018:00The Tech Summit 20241ª edição no dia 22 de maio no Palácio Tangará, em São Paulo. 09:00 - 18:00 PALÁCIO TANGARÁ, R. Dep. Laércio Corte, 1501 - São Paulo, SP

28mai09:0012:00Webinar: O que você precisa conhecer da evolução da Criptografia Junte-se aos principais especialistas em cibersegurança do Brasil e explore soluções criptográficas inovadoras para os negócios.09:00 - 12:00