Últimas notícias

Fique informado

Os desafios da regulamentação da IA no Brasil: uma pauta do setor de tecnologia ou do mercado como um todo?

19 de fevereiro de 2024

Spotlight

Entenda o que mudou na assinatura eletrônica em documentos a partir do Decreto nº 68306

Qual o impacto do Decreto nº 68.306 na assinatura eletrônica, simplificação de processos e nos avanços da digitalização dos serviços públicos?

24 de abril de 2024

AX4B impulsiona a resiliência cibernética de Pequenas e Médias Empresas

Conheça como a AX4B está revolucionando a Segurança Cibernética para PMEs.

24 de abril de 2024

O Halving do Bitcoin: Entendendo o Evento que Redefine a Oferta da Criptomoeda. Por Susana Taboas

Uma visão geral do que é o halving do Bitcoin e sua importância no contexto da economia digital.

17 de abril de 2024

Do primeiro Robô Advogado ao ChatGPT: Você sabe como as IAs podem impactar o futuro do setor jurídico?

Assista o webinar na íntegra, gratuitamente pelo canal oficial da doc9 no YouTube e obtenha insights essenciais sobre como aproveitar ao máximo as tecnologias emergentes e manter vantagem competitiva neste setor em constante evolução.

28 de março de 2024

AX4B: 64% das empresas brasileiras não possuem soluções corporativas de antivírus, apesar do aumento de 7% nos ataques cibernéticos

A AX4B acaba de divulgar os resultados de sua mais recente pesquisa sobre a situação da segurança cibernética no Brasil.

26 de março de 2024

Fraudes e golpes nas compras de fim de ano, como se proteger

Com a chegada das compras de final de ano, é necessária atenção redobrada para o risco de fraudes para desfrutar o melhor da época

9 de dezembro de 2022

Um dos fatores que tornam o processo de regulamentação complexo é o fato de a IA ter ultrapassado os muros do mercado de tecnologia

Por Marcelo Eduardo Cosentino

Marcelo Cosentino, vice-presidente de Negócios para Segmentos da TOTVS

A evolução e consequente avanço da inteligência artificial (IA) nos últimos anos é inquestionável, e sua aplicação no mercado corporativo é crescente e já mostra resultados.

O potencial de ganho de produtividade e eficiência proporcionado por essa tecnologia tem levado empresas de diferentes setores em todo o mundo a intensificarem seu olhar sobre esta inovação, estudando possíveis usos e aplicabilidades nas mais diferentes esferas.

Do atendimento ao cliente ao mapeamento do comportamento dos consumidores e integração aos tradicionais sistemas de gestão, a tendência é que o uso da IA avance se faça cada vez mais presente em todo o mundo e, obviamente, também no mercado brasileiro. 

E conforme a inteligência artificial evolui e avança, é natural que surjam questões e debates com relação ao seu desenvolvimento, uso e implantação, uma vez que esta tecnologia, assim como qualquer outra, também pode implicar riscos e consequências ainda desconhecidas. Soma-se a isso uma série de questões éticas, legais e de segurança de dados envolvendo a IA que também precisam ser discutidas.

Nesse contexto, é preciso entender que é hora de colocar, de fato, a regulamentação da IA na pauta. Não digo aqui que essa seja uma questão simples. Diversos países do mundo, inclusive o Brasil, têm debatido o processo de criação de uma legislação que regule o uso e o desenvolvimento avançado da inteligência artificial. 

Um dos fatores que tornam o processo de regulamentação desta tecnologia tão complexo é o fato de a IA ter ultrapassado os muros do mercado de tecnologia e já penetrar os mais diferentes segmentos, como varejo, educação, saúde, direito, mercado financeiro, marketing etc. Ou seja, além de definições amplas de mercado, é preciso que a legislação contemple também usos e aplicações específicas de cada setor já impactado por essa tecnologia.

Tal cenário tem sido acompanhado por nós de perto aqui na TOTVS, dado que atendemos a 12 segmentos diferentes, cada um com sua própria dinâmica. Por exemplo, o desenvolvimento de uma tecnologia de IA em sistemas de inteligência de dados para instituições de saúde exige o cumprimento de certas obrigações legais e éticas, que diferem, por exemplo, do desenvolvimento de um software de IA Generativa voltado para a criação de conteúdos para ações de marketing.

Já no campo jurídico, por exemplo, as implicações do uso de inteligência artificial esbarram ainda em outras questões delicadas, como privacidade de dados e vieses tendenciosos. 

Outro fator observado é que a adesão desta tecnologia avança em intensidade diferente em cada segmento, influenciada por fatores como a maturidade digital de cada mercado. Deste modo, para que seja elaborada uma legislação que regule o uso da inteligência artificial, a contribuição e envolvimento de diferentes agentes é fundamental, seja no estabelecimento de normas factíveis, seja na fiscalização e apoio ao órgão regulador central.

Além disso, especialistas setoriais também conseguem opinar e contribuir para que a legislação não prejudique ou afete a pesquisa e desenvolvimento desta tecnologia, reconhecendo as particularidades de seu segmento. 

Não há dúvidas de que ainda existem muitas questões em aberto. Chegar a um denominador comum para a criação de uma normatização da IA no país pode levar algum tempo, e certamente vai exigir adaptações e ajustes ao longo do caminho.

Contudo, a colaboração de todo o mercado e da sociedade será essencial para este processo. Afinal, a regulamentação da inteligência artificial vai impactar big techs, desenvolvedores, empresas e, consequentemente, o consumidor final. Estamos no início de um caminho que, apesar de complexo, precisa ser trilhado.

Inteligência Artificial (IA) e Resiliência Cibernética: Insights para o Board, CEO, CIO e CISOs

O poder transformador dos dados e da IA: como as empresas utilizam essas ferramentas no dia a dia

A Inteligência Artificial Generativa e a nova fronteira da educação corporativa nas empresas

Acompanhe o melhor conteúdo sobre Inteligência Artificial publicado no Brasil.

TAGS

tecnologia