Últimas notícias

Fique informado

Checagem de antecedentes previne golpe com criptomoedas

10 de abril de 2023

Spotlight

Doc9 lança Guia Prático de Prompts para ChatGPT no Jurídico: Como Maximizar a Eficiência com a Inteligência Artificial

Para obter os melhores resultados com o ChatGPT no contexto jurídico, siga as dicas importantes do Guia Prático de Prompts da doc9.

28 de maio de 2024

Governo Federal apoia Rio Grande do Sul na emissão 2ª via da Carteira de Identidade Nacional

O mutirão coordenado pelo Governo do RS começou nos abrigos de Porto Alegre. Expedição da segunda via será imediata

20 de maio de 2024

Com a ferramenta do background check, Gustavo Scarpa seria alertado sobre os riscos do investimento realizado e não teria caído no golpe

O ex-atleta do Palmeiras, Gustavo Scarpa, juntamente com o colega do Fluminense, Willian Bigode, investiram ao todo R$11 milhões em criptomoedas em 2020.

Dois anos depois, Scarpa suspeitou de um golpe e optou por resgatar o investimento. Porém, por não ter conseguido resgatar o valor investido, o atleta registrou um boletim de ocorrência de estelionato.

As investigações apontaram que a empresa, na qual o jogador do Fluminense era sócio, está envolvida com uma possível pirâmide financeira envolvendo as criptomoedas como ativo em questão.

Nesse cenário, a checagem de antecedentes pode evitar que pessoas invistam patrimônio em empresas que não são confiáveis.

Rodolpho Takahashi, COO no Grupo IAUDIT 
Divulgação 

“O cenário das criptomoedas é relativamente novo. O que podemos dizer é que os investimentos financeiros no meio tecnológico, como criptomoedas, estão se adaptando à segurança, compliance e legislação neste momento. Portanto, o ideal é que estas empresas pensem na segurança de ambos os lados”, explica Rodolpho Takahashi, especialista em consultoria empresarial e COO da IAUDIT Tecnologia, empresa especializada em compliance anti fraude e tecnologia com mais de 20 anos no mercado.

Quando se trata de possíveis pirâmides financeiras é preciso estar atento a forma com que as organizações prometem retornos e investimentos, assim como ao histórico da empresa como um todo, algo em que o background check, conhecido como checagem de antecedentes, pode ser uma alternativa.

Em 2021, a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) apontou em relatório que, somente nos EUA, cerca de 46 mil pessoas perderam aproximadamente U$ 1 bilhão de dólares em golpes envolvendo criptomoedas.

Checagem de antecedentes e criptomoedas

O especialista considera essencial que o investidor, assim como a empresa, realizem a busca por informações antes de investir um patrimônio ou de receber um investimento para que este seja gerido.

Existem dois tipos de checagem de antecedentes: o primeiro é o background check massificado, que pode ser conectado diretamente ao processo de onboarding da plataforma via API. Ele é ideal para checagens em grande volume, que precisa ser feita de forma rápida e segura.

A segunda opção é o background check dossiê, cujo foco é a checagem de pessoas ou empresas de forma aprofundada e detalhada com o intuito de trazer a maior quantidade de informações possíveis na apuração.

Ao final do processo de verificação, é gerado um relatório e entregue a quem solicitou a checagem, que toma a decisão a partir daquelas informações.

É importante lembrar que os parâmetros para a aceitação ou não são decididos pelo investidor ou empresa que pediu a checagem.

Segundo o especialista, para um caso semelhante ao do jogador Scarpa, a checagem de antecedentes seria a ferramenta mais apropriada para trazer informações sobre a empresa que cuidaria do patrimônio do atleta, mostrando se poderiam ou não haver riscos na escolha do investimento.

“O investidor precisa conhecer bem a empresa e a oportunidade de investimento que está sendo oferecida e conhecer o histórico/passado do parceiros da organização. Por outro lado, a empresa também precisa comprovar que a pessoa interessada em investir está disposta a correr determinados riscos, afinal, todo investimento possui um risco envolvido, no entanto, uma checagem prévia pode evitar que as pessoas se envolvam em possíveis esquemas de pirâmide, além de outros golpes”, finaliza Takahashi.

Onda de golpes pode indicar insegurança nas transações com criptomoedas?

Whatsapp e Telegram: apps trojanizados roubam carteiras de criptomoedasWhatsapp e Telegram: apps trojanizados roubam carteiras de criptomoedas

Crise dos bancos tradicionais pode impulsionar o setor de criptomoedas

Crypto ID trilhou um caminho incrível!

Em novembro de 2024 completaremos uma Década De Sucesso!

Desde o seu início, temos sido acompanhados por uma comunidade apaixonada e engajada, que cresce a cada ano. Com dois milhões de seguidores por ano, nossa jornada é marcada por conquistas, inovação e colaboração.

As empresas mantenedoras têm sido pilar fundamental para o nosso crescimento contínuo. Seu apoio nos permite manter a qualidade e a relevância das informações que compartilhamos. Agradecemos a cada uma delas por acreditar na nossa missão e nos ajudar a construir uma comunidade forte e informada. Contamos com a colaboração de um excepcional time de colunistas! São eles que trazem insights, análises e opiniões valiosas para os nossos leitores. Com suas vozes únicas, eles enriquecem o conteúdo do Crypto ID e nos ajudam a manter a excelência. E não podemos esquecer de parcerias incríveis que temos com as Assessorias de Imprensa que nos fornecem informações detalhadas e atualizadas sobre as empresas que atendem.

À medida que nos aproximamos de mais um aniversário, renovamos nosso compromisso com a segurança digital, a privacidade e a tecnologia. Obrigado a todos que fazem parte dessa incrível jornada!

Juntos trabalhamos por um mundo digital com mais sigilo, identificação, segurança e gestão gerando confiança para que empresas, máquinas e pessoas possam confiar umas nas outras.