Últimas notícias

Fique informado

Cibersegurança: começar pelo básico é a melhor defesa, diz Thiago Tanaka, diretor de cibersegurança da TIVIT

26 de outubro de 2023

Spotlight

Governo Federal apoia Rio Grande do Sul na emissão 2ª via da Carteira de Identidade Nacional

O mutirão coordenado pelo Governo do RS começou nos abrigos de Porto Alegre. Expedição da segunda via será imediata

20 de maio de 2024

25% de profissionais de cibersegurança são mulheres, aponta BCG

Pesquisa mostra disparidade de mulheres entre profissionais de tecnologia, o que pode ser uma oportunidade para setor de cibersegurança.

15 de dezembro de 2022

O que faz o profissional de pentest e por que ele se tornou peça-chave na cibersegurança das empresas

Especialistas responsáveis por testes de intrusão se tornam uma camada extra de proteção contra ataques virtuais a empresas

25 de novembro de 2022

Como fortalecer a cibersegurança do varejo durante as vendas de fim de ano

Entrevistados do setor de varejo do Relatório Thales de listaram o malware, com destaque para o ransomware, como as maiores ameaças

24 de novembro de 2022

5 dicas de cibersegurança para o seu dia a dia

Confira algumas dicas de cibersegurança que separamos e que são essenciais para proteger seus dispositivos de invasões maliciosas

10 de novembro de 2022

De acordo com o relatório anual da X-Force Threat Intelligence Index, América Latina é a quarta região que mais recebe ciberataques no mundo

Por Thiago Tanaka

EDR
Thiago Tanaka é diretor de cibersegurança da TIVIT

Os ciberataques seguem trazendo pavor ao mundo corporativo. De acordo com o relatório anual da X-Force Threat Intelligence Index, embora a América Latina represente 12% dos ataques observados pela equipe de resposta a incidentes, a região é a quarta mais atacada do mundo. Brasil, Colômbia, México, Peru e Chile foram os maiores alvos. O Brasil, especificamente, foi o responsável por 67% dos casos atendidos pela X-Force. 

Instituições públicas e privadas, nesse exato momento, certamente podem estar sofrendo tentativa de invasão em seus sistemas.

Neste cenário, a principal questão a ser endereçada pelas altas lideranças não é sobre “se”, mas “quando” a empresa terá de enfrentar algum incidente sério de segurança digital. Muito mais do que criar uma paranóia, é preciso desenvolver senso de urgência em relação ao tema. 

As empresas estão conectadas em servidores que armazenam milhares de dados sensíveis de seus clientes, funcionários e fornecedores, além de informações estratégicas que impactam diretamente sua competitividade no mercado.

Manter as ferramentas de cibersegurança atualizadas e, principalmente, escolher quais delas melhor protegem cada setor ou negócio é o primeiro passo para ter uma linha de defesa robusta e mitigar os danos para diversos tipos de ataques que acontecerão no futuro.

A proteção digital corporativa está atrelada ao conceito de cibersegurança conhecido como MDR (Managed Detection and Response), norma global estabelecida para bom gerenciamento de qualquer incidente cibernético: com agilidade, ferramentas adequadas e pronta resposta de times especializados.

Além de investir na capacitação e contratação de pessoas com expertise no assunto, fica sempre a dúvida sobre como escolher as melhores ferramentas. 

No mercado existem inúmeros programas e soluções que se mostram sofisticadas e se comprometem em garantir a cibersegurança das empresas, mas começar pelo básico, nesse caso, não é só uma recomendação, é uma necessidade.

Se a companhia não conta com soluções primárias de gerenciamento de equipamentos, alertas de segurança, gestão de ameaças e um centro de comando para monitorar o ambiente digital, ela está totalmente exposta, no papel de “a sitting duck”, um alvo fácil para os futuros ataques.

Para que as empresas possam focar em seus setores core de negócios e em desenvolver produtos e serviços que gerem valor para seus clientes, endereçando as suas preocupações com os seus dados e informações estratégicas, é importante contar com parceiros que sejam especialistas na área de cibersegurança e saibam trafegar no labirinto dos ambientes digitais.

Um único fornecedor de MDR, pode ser capaz de providenciar e gerenciar de forma contínua um pacote de ferramentas essenciais de defesa cibernética, serviço totalmente centralizado e muito mais vantajoso, do ponto de vista comercial.

Além disso, ele pode contar com um time de especialistas a postos para entrar em ação ao menor sinal de perigo, que trabalhe em sinergia com a equipe interna. No caso da TIVIT, nós desenvolvemos o MDR Suite, que vai do pacote Basic ao Enterprise e oferece uma combinação customizada de serviços de segurança, para atender às diversas necessidades dos negócios.

A MDR Suite também determina o SLA e a classificação de cada uma das ações de segurança, para que qualquer imprevisto seja detectado e resolvido com mais agilidade e que o cliente esteja ciente que as providências serão tomadas conforme a gravidade de qualquer ocorrido. 

Minha experiência no setor de tecnologia e no mercado nacional mostra que as empresas brasileiras têm total capacidade de estarem devidamente protegidas e alertas sobre possíveis ataques às suas redes, desde que estejam conscientes da importância em investir constantemente na cibersegurança. 

Nesta área, a negligência custa muito mais que o investimento em prevenção: além da possibilidade de enfrentar o vazamento de dados sensíveis, a credibilidade da empresa e dos próprios executivos estão em jogo.

A trajetória de anos de uma companhia pode ser questionada. Uma história de sucesso pode ser marcada por uma crise reputacional difícil de ser revertida.

É possível começar pelo pacote básico de ferramentas e serviços de proteção, e evoluir conforme a necessidade da empresa e a sua disponibilidade financeira de fluxo de caixa ou o próprio avanço das ferramentas (sem esquecermos que os próprios ataques ficam mais sofisticados ao longo do tempo).

É o cinto de segurança para engatar a primeira marcha e acelerar. Sem ele, o acidente é certo. Sem o básico, é só uma questão de tempo até o ataque acontecer.

PMDR: A revolução da cibersegurança – Prevenção antes da invasão

Brasil em alerta: aumento de ataques de hackers exige maiores investimentos em cibersegurança

Entrevista com Longinus Timochenco, especialista em cibersegurança, fala sobre proteção de domínio na rede

22mai09:0018:00The Tech Summit 20241ª edição no dia 22 de maio no Palácio Tangará, em São Paulo. 09:00 - 18:00 PALÁCIO TANGARÁ, R. Dep. Laércio Corte, 1501 - São Paulo, SP

28mai09:0012:00Webinar: O que você precisa conhecer da evolução da Criptografia Junte-se aos principais especialistas em cibersegurança do Brasil e explore soluções criptográficas inovadoras para os negócios.09:00 - 12:00