Últimas notícias

Fique informado

Crypto-hacking: a nova forma de roubo de criptomoedas que arrecadou 1,3 bilhões de dólares no primeiro trimestre de 2022

2 de setembro de 2022

Spotlight

Do Deepfake ao ChatGPT: como a evolução tecnológica está influenciando as fraudes e golpes que vemos hoje?

Os golpes, de falsificação de identidade bancária a investimentos fictícios e golpes românticos, são cada vez mais diversificados

20 de maio de 2024

Contato Seguro une forças com a DOC9 para trazerem mais segurança aos abrigos do Rio Grande do Sul

Contato Seguro une forças com a Doc 9 para trazerem mais segurança aos abrigos do Rio Grande do Sul. Essa parceria é essencial para enfrentar o momento difícil que o estado está passando devido às enchentes.

20 de maio de 2024

Governo Federal apoia Rio Grande do Sul na emissão 2ª via da Carteira de Identidade Nacional

O mutirão coordenado pelo Governo do RS começou nos abrigos de Porto Alegre. Expedição da segunda via será imediata

20 de maio de 2024

Reconhecimento facial: a nova fronteira de segurança em meio aos desafios dos Deepfakes

A capacidade dos deepfakes de imitar e falsificar identidades compromete diretamente a eficácia do reconhecimento facial

20 de maio de 2024

Nuvens Tempestuosas: Navegando pelo Panorama Complexo da Cibersegurança na Nuvem

Enquanto as organizações migram cada vez mais dados e serviços para a nuvem, a complexidade e a magnitude das ameaças cibernéticas também crescem.

15 de maio de 2024

Um conceito que tem ganhado força ultimamente é o chamado “crypto-hacking”: o uso de dispositivos de outras pessoas (PC, smartphones, tablets ou mesmo servidores), sem o devido consentimento ou conhecimento, para minerar e extrair criptomoedas das vítimas

Seja por meio de um link, e-mail ou malware clássico, ataques desse tipo podem ser muito difíceis de detectar.

No entanto, existem alguns sinais que podem dar um alerta para evitar que esse ataque cibernético vá mais longe

A chegada do mundo das criptomoedas trouxe consigo certas facilidades e flexibilidade para adotar novas mudanças econômicas, mas também contribuiu muito para diversos golpes, riscos e até ataques cibernéticos.

Dessa forma, um conceito que tem ganhado força ultimamente é o chamado “crypto-hacking”: o uso de dispositivos de outras pessoas (PC, smartphones, tablets ou mesmo servidores), sem o devido consentimento ou conhecimento, para minerar e extrair criptomoedas das vítimas.

No primeiro trimestre de 2022, foram registrados 78 eventos de hackers, dos quais quase 1,3 bilhões de dólares foram obtidos através do blockchain, o que representa um aumento de crimes de 136% em relação ao mesmo trimestre de 2021.

Esses números continuam aumentando e, por isso, é importante estar atento aos diferentes sinais de alerta que podem surgir.

Embora atualmente o mercado busque constantemente promover a segurança do usuário, por meio de métodos como verificação de identidade ou QR codes, ninguém está isento de sofrer esse tipo de hack. Por isso, é importante estar atento a sinais inusitados que possam estar presentes no computador. Apesar de muitas empresas terem divulgado sua vulnerabilidade a esse tipo de hack, a expansão do mercado de criptomoedas continua. Por sua vez, o Brasil ocupa o primeiro lugar na América Latina com o maior número de ataques cibernéticos, segundo relatório divulgado pela empresa especializada em Inteligência de Ameaças, a SonicWall. No entanto, em um setor que não para, o que se busca é promover no usuário o uso de sistemas informatizados capazes de proporcionar grande segurança para dados e informações sensíveis que representem um nível maior de importância para o público”, explica Eduardo Borba, presidente da Softline Brasil.

A principal motivação para realizar crypto-hacking é o dinheiro e, com ele, o poder de realizar outros tipos de ataques.

Esses tipos de ataques cibernéticos visam ir cada vez mais longe e invadem hardwares cada vez mais relevantes.

Um exemplo disso é um incidente em que criminosos hackearam a rede de tecnologia operacional do sistema de controle de uma concessionária pública europeia de água, que especialistas em segurança de infraestrutura dizem ter degradado a capacidade da operadora de gerenciar a usina, com um impacto significativo na segurança interna.

Felizmente, a companhia percebeu quando instalou produtos de detecção de intrusão na rede da empresa, principalmente em sua rede interna, que normalmente não estaria exposta à Internet.

O processo desse tipo de ataque é o mesmo do malware, eles podem entrar no dispositivo por meio de um e-mail, um link, etc.

Tal ataque em um sistema pode ser difícil de detectar. Da mesma forma, descobrir a origem do uso da CPU pode ser complexo.

Os processos podem ser ocultados ou mascarados como legítimos por meio de nomes próprios do sistema para impedir que os usuários os interrompam.

Em um cenário de ameaças em constante mudança, manter-se seguro contra os perigos mais recentes, como o crypto-hacking, é um trabalho em tempo integral.

Por esta razão, ter os meios necessários para detectar e limpar qualquer tipo de intrusão e proteger todos os recursos altamente valiosos presentes no computador é de vital importância.

Esteja você entrando ou não no mundo das criptomoedas, cuidar dos seus dispositivos é essencial para evitar cair nas mãos de pessoas mal-intencionadas. A prevenção é essencial para se manter seguro.

Sobre a Softline

A Softline é fornecedor líder mundial de soluções e serviços de transformação digital e segurança cibernética com sede em Londres. A empresa permite, facilita e acelera a transformação digital para os negócios dos seus clientes, ligando mais de 150.000 organizações de todos os setores com mais de 6.000 fornecedores de TI de primeira classe, juntamente com os seus próprios serviços e soluções.

Com um volume de negócios de 2,2 bilhões de dólares no ano fiscal de 2021, a Softline é hoje em dia uma das empresas de crescimento mais rápido no setor. Em outubro de 2021, a empresa obteve a sua cotação principal na bolsa de Londres (LSE:SFTL). O crescimento da Softline é baseado na sua estratégia tridimensional para expandir a sua geografia, carteira e canais de vendas. A estratégia é apoiada pela abordagem ativa da Softline às M&A, permitindo à empresa tirar partido da consolidação em curso no setor. Durante o ano fiscal de 2021, a Softline adquiriu várias empresas com um volume de negócios anual de aproximadamente 200 milhões de dólares, incluindo cinco aquisições que foram anunciadas nas primeiras seis semanas de 2022.

Os 8.400 funcionários da Softline trabalham em quase 60 países da Ásia, América Latina, Europa Oriental, Oriente Médio e África – mercados com um potencial de crescimento significativo.

Malware Escondido em imagens do telescópio James Webb: como se proteger

Com cinco anos de atuação, Minds Digital lança soluções de prevenção à fraude para aplicativo e WhatsApp

Saiba o que é e como evitar o phishing

Google Translate Desktop utilizado para ataque com malware de mineração de criptomoedas

22mai09:0018:00The Tech Summit 20241ª edição no dia 22 de maio no Palácio Tangará, em São Paulo. 09:00 - 18:00 PALÁCIO TANGARÁ, R. Dep. Laércio Corte, 1501 - São Paulo, SP

28mai09:0012:00Webinar: O que você precisa conhecer da evolução da Criptografia Junte-se aos principais especialistas em cibersegurança do Brasil e explore soluções criptográficas inovadoras para os negócios.09:00 - 12:00

Acompanhe também artigos sobre Criptoativos aqui no Crypto ID.