Últimas notícias

Fique informado

Por que é tão fácil ser vítima de golpes digitais?

17 de outubro de 2022

Spotlight

Nuvens Tempestuosas: Navegando pelo Panorama Complexo da Cibersegurança na Nuvem

Enquanto as organizações migram cada vez mais dados e serviços para a nuvem, a complexidade e a magnitude das ameaças cibernéticas também crescem.

15 de maio de 2024

Cancelamento de hipotecas – Assinatura avançada versus qualificada – Parte II

Essa segunda parte discute os padrões e requisitos para o processamento eletrônico de documentos no registro de imóveis no Brasil.

15 de maio de 2024

Cancelamento de hipotecas – Assinatura avançada versus qualificada – Parte I

Questão das assinaturas eletrônicas no Registro de Imóveis é incerta, mesclando aspectos tecnológicos e jurídicos.

14 de maio de 2024

Por que é tão complexo se proteger de ataques cibernéticos? Por Rodrigo Fragola

“A meta agora não é alcançar segurança absoluta, mas sim segurança relativa no mercado em que se atua.” Fragola

13 de maio de 2024

Edmar Araujo, o novo diretor-executivo da ANCD concede sua 1ª entrevista ao Crypto ID

Edmar Araujo diretor-executivo da Associação Nacional de Certificação Digital e fala com exclusividade ao Crypto ID.

13 de maio de 2024

Confira 7 dicas para a redução do uso de papel nas empresas

São sete dicas essenciais para ajudar as empresas a reduzirem o uso de papel e promoverem práticas mais sustentáveis.

9 de maio de 2024

E, com o aumento do número de usuários no mundo virtual, surgem os golpes digitais, aqueles praticados utilizando-se basicamente de três elementos: o desejo da vítima em ter algum ganho (financeiro ou pessoal); a oportunidade que é oferecida por meio de propostas tentadoras e a engenharia social

Por Francisco Gomes Júnior

golpes digitais
Francisco Gomes Junior, advogado especialista em direito digital

A era digital trouxe a dependência das pessoas pelos seus smartphones, pelas mídias sociais e pela exposição (seja pessoal ou profissional).

E, com o aumento do número de usuários no mundo virtual, surgem os golpes digitais, aqueles praticados utilizando-se basicamente de três elementos: o desejo da vítima em ter algum ganho (financeiro ou pessoal); a oportunidade que é oferecida por meio de propostas tentadoras e a engenharia social, que consiste em fazer com que, através de uma aproximação, a proposta se torne confiável para a pessoa.

Exemplificando: imagine a oferta de um televisor com tela gigante sendo vendida por metade de seu valor de mercado (a proposta tentadora desperta na vítima o desejo de levar uma grande vantagem econômica).

Nesse tipo de golpe, o anúncio é postado em mídias sociais e remete o interessado ao site da empresa, onde poderá efetivar a compra – tudo feito de forma perfeita e detalhada para convencer a vítima da legitimidade da venda.

E, mesmo que desconfie, como há um telefone para contato no site, a vítima entra em contato e é atendida por um “vendedor” que transmite confiança e dá a segurança para que o negócio seja fechado (a engenharia social do golpe). Pronto, golpe efetivado.

Diante dessas fraudes (como vendas de veículos, de eletrodomésticos, grandes promoções e grandes prêmios, concessão de crédito sem a necessidade de envio de documentos, concessão de juros zero sem nenhuma garantia, empréstimo consignado com taxa zero de juros), identificou-se a necessidade de alertar aos consumidores para que não sejam vítimas deles.

Há uma brigada formada por apresentadores em programas de TV aberta e fechada, advogados, especialistas em cibersegurança, além de empresas e bancos que dão dicas diariamente para que não se caia nesses golpes, mas, mesmo assim, eles continuam crescendo.

Isso vem ocorrendo devido principalmente a dois fatores.

Primeiro, os golpes estão se massificando cada vez mais, ou seja, se antes o golpista abordava mil vítimas por dia para buscar a fraude, agora milhões de pessoas são abordadas, as quadrilhas aparentemente criaram mecanismos que permitem abordar um número muito maior de pessoas e, assim, ainda que percentualmente não se aumente o número de vítimas, o número absoluto não para de crescer.

O outro fator que muito contribui para que os golpes se efetivem é a “automaticidade” do comportamento das vítimas, ou seja, agem automaticamente em muitas situações e quando percebem, já caíram no golpe.

A pessoa vê um anúncio, entra no site e faz a compra, sem maiores verificações. É um comportamento automático.

De fato, existem golpes em que a mensagem inicial é enviada a milhões de pessoas, como o golpe do falso emprego.

No caso de ser enviada a 2 milhões de pessoas, se apenas 10% delas caírem no golpe, já se somam 200 mil vítimas.

Você clica em links indevidos porque comumente clica nos links que recebe; você acredita em um e-mail que imita o do seu banco, porque frequentemente recebe e-mails da instituição financeira; você aceita qualquer aviso sobre seus dados, porque com frequência entra em sites que pedem autorização e clica em aceitar todas; e por aí vai.

Esse é o comportamento automático que precisa ser quebrado. É preciso questionar sempre o link, verificar que tipos de e-mail seu banco envia e quais não envia, ler os avisos com os quais está concordando.

Como todos estão na correria, o modo automático é o mais rápido, quando se abre, então, a porta para os golpes digitais.

Resiliência em Cibersegurança é o tema do Tempest Talks 2022

O cenário de malware móvel em 2022 – spyware, ataques Zero-Click, smishing e segurança da loja

Observabilidade? Quase metade das empresas do mundo tem dificuldade de acessar suas informações

Confira 4 dicas de segurança digital para as compras de fim de ano

22mai09:0018:00The Tech Summit 20241ª edição no dia 22 de maio no Palácio Tangará, em São Paulo. 09:00 - 18:00 PALÁCIO TANGARÁ, R. Dep. Laércio Corte, 1501 - São Paulo, SP

28mai09:0012:00Webinar: O que você precisa conhecer da evolução da Criptografia Junte-se aos principais especialistas em cibersegurança do Brasil e explore soluções criptográficas inovadoras para os negócios.09:00 - 12:00

Você quer acompanhar nosso conteúdo? Então siga nossa página no LinkedIn!