Últimas notícias

Fique informado

Pelo segundo ano consecutivo, Brasil é o país mais atacado por Ransomware na América Latina

25 de maio de 2023

Spotlight

Entenda o que mudou na assinatura eletrônica em documentos a partir do Decreto nº 68306

Qual o impacto do Decreto nº 68.306 na assinatura eletrônica, simplificação de processos e nos avanços da digitalização dos serviços públicos?

24 de abril de 2024

AX4B impulsiona a resiliência cibernética de Pequenas e Médias Empresas

Conheça como a AX4B está revolucionando a Segurança Cibernética para PMEs.

24 de abril de 2024

O Halving do Bitcoin: Entendendo o Evento que Redefine a Oferta da Criptomoeda. Por Susana Taboas

Uma visão geral do que é o halving do Bitcoin e sua importância no contexto da economia digital.

17 de abril de 2024

Do primeiro Robô Advogado ao ChatGPT: Você sabe como as IAs podem impactar o futuro do setor jurídico?

Assista o webinar na íntegra, gratuitamente pelo canal oficial da doc9 no YouTube e obtenha insights essenciais sobre como aproveitar ao máximo as tecnologias emergentes e manter vantagem competitiva neste setor em constante evolução.

28 de março de 2024

AX4B: 64% das empresas brasileiras não possuem soluções corporativas de antivírus, apesar do aumento de 7% nos ataques cibernéticos

A AX4B acaba de divulgar os resultados de sua mais recente pesquisa sobre a situação da segurança cibernética no Brasil.

26 de março de 2024

Como proteger a sua empresa: Brasil reúne pelo menos 17 grupos de ransomware 

Ransomware é um vírus de computador extremamente poderoso. Normalmente é instalado por meio de links suspeitos em sites, e-mails e aplicativos

31 de janeiro de 2023

Avast lança ferramenta de descriptografia para o ransomware BianLian

Com essa ferramenta de descriptografia, os usuários podem restaurar os arquivos encriptados por variantes conhecidas do ransomware BianLian

23 de janeiro de 2023

Em um ano, número de ataques aumentou 51% no país, totalizando 59 casos em diferentes setores nos últimos 18 meses

De acordo com dados mais recentes da Unit 42, grupo de pesquisa da Palo Alto Networks, os ataques de ransomware no Brasil aumentaram 51% em um ano.

O país ocupa a primeira posição como o país mais atacado da América Latina, e está no top 10 de países mais atacados do mundo, com mais ataques do que a China (29) e o Japão (32).

Só no ano passado foram registrados 59 ataques no Brasil, seguidos por 26 no México, 23 na Argentina, 19 na Colômbia e 5 no Chile.

Os hackers exigem altos pagamentos em troca da recuperação dos dados. No mundo todo, o volume de ransomware continuou a ser um problema para as organizações no ano passado, com pagamentos de até US$ 7 milhões, em casos observados.

O valor médio dos pagamentos exigidos pelos atacantes foi de US$ 650.000, enquanto o pagamento médio de fato realizado foi de US$ 350.000, indicando que uma negociação eficaz pode reduzir os montantes extorquidos.

Um em cada cinco casos de ransomware investigados revelou que os invasores coagem e perseguem suas vítimas, aproveitando informações do cliente que foram roubadas para forçar a organização a pagar o “resgate”.

“Algumas das táticas de ataque incluem criptografia, roubo de dados, negação de serviço distribuída (DDoS) e assédio, com o objetivo final de aumentar as chances de receber o pagamento. O roubo de dados, frequentemente associado a sites de vazamento da dark web, foi a tática de extorsão mais comum, com 70% dos grupos criminosos utilizando no final de 2022 – um aumento de 30 pontos percentuais em relação ao ano anterior”, afirma Bert Milan, Vice-Presidente Regional do Caribe e América Latina da Palo Alto Networks.

Brasil: um alvo atraente

No Brasil, os dados mostram que manufatura, alta tecnologia e atacado e varejo são os três setores do mercado mais afetados por esse tipo de ataque.

Lockbit, Vice Society e Hive, três gangues diferentes de ransomware, foram os responsáveis pela maioria dos ataques, que podem acontecer por meio de links maliciosos, falta de backups e pouco investimento em cibersegurança. Os sites de vazamento da dark web são regularmente associados ao roubo de dados.

A manufatura foi a indústria mais visada do mundo em 2022, com 447 organizações comprometidas e expostas publicamente em sites de vazamento, de acordo com os dados da Palo Alto Networks.

A lista dos cinco países que mais sofrem com esse tipo de ataque é encabeçada pelos Estados Unidos (1.118 ataques), seguido do Reino Unido (130 ataques) e da Alemanha (129 ataques).

“Nossos dados mostraram que pelo menos 75% dos ataques de ransomware combatidos pela equipe de resposta a incidentes da Unit 42 foram iniciados por exposições de superfície. Atualmente, as empresas devem fazer investimentos maciços em segurança cibernética, além de treinar os funcionários para que estejam a par das melhores práticas cibernéticas ao usar os equipamentos da empresa. É desaconselhado que um negócio continue fazendo poucos esforços pela sua cibersegurança, mesmo sabendo que isso não garante total imunidade aos ataques. Ainda assim, essa postura certamente impedirá que grupos de ransomware atinjam o coração da empresa”, o Vice-Presidente reitera.

Sobre a Palo Alto Networks

A Palo Alto Networks é líder mundial em cibersegurança. Inovamos para superar as ameaças cibernéticas, para que as organizações possam adotar a tecnologia com confiança.

Fornecemos segurança cibernética de última geração para milhares de clientes em todo o mundo, em todos os setores. Nossas melhores plataformas e serviços de segurança cibernética são apoiados por inteligência de ameaças líder do setor e fortalecidos por automação de última geração.

43% dos ataques de ransomware em 2022 começaram com a exploração de aplicativos

Setor Financeiro é o segundo mais atingido por ataque de ransomware

Brasil é o quarto maior alvo de ransomware do mundo, revela o Relatório de Ameaças Cibernéticas SonicWall 2023  

Acompanhe como o reconhecimento facial e impressões digitais, de íris e voz estão sendo utilizados para garantir a identificação digital precisa para mitigar fraudes e proporcionar aos usuários conforto, mobilidade e confiança. Crypto ID, o maior canal brasileiro sobre identificação digital. Leia outros artigos aqui!

Learn how facial recognition and iris, voice and fingerprints are being used to ensure accurate digital identification to mitigate fraud and provide users with comfort, mobility and trust. Read other articles here! Crypto ID, the largest Brazilian channel on digital identification. Read other articles here!

Descubra cómo se utilizan el reconocimiento facial y el iris y las huellas dactilares del voz para garantizar una identificación digital precisa para mitigar el fraude y brindar a los usuarios comodidad, movilidad y confianza. Crypto ID, el mayor canal brasileño de identificación digital. ¡Lea otros artículos aquí!