Últimas notícias

Fique informado
Hospital São José de Criciúma – SC reduz o uso de papel por meio do prontuário eletrônico

Hospital São José de Criciúma – SC reduz o uso de papel por meio do prontuário eletrônico

10/09/2019

Serviço de urgência e emergência do Hospital será o primeiro setor a deixar o uso de papel

Foto divulgação do Hospital São José

Esta semana o serviço de atendimento a urgência e emergência do Hospital São José de Criciúma – SC não fará mais o uso de papel para impressão de prontuários.

Agora, toda atividade para evolução e indicação de procedimentos de internação, cirurgias ou exames neste setor, irá acontecer de forma eletrônica, por intermédio do sistema interno da Instituição com certificação ICP-Brasil.

Médicos e equipes multiprofissionais do HSJosé, que atuam no serviço de urgência e emergência da entidade, emitiram seus certificados digitais ICP-Brasil para assinarem eletronicamente os documentos necessários, tendo assim, validade jurídica, não sendo necessário a impressão para assinatura manuscrita.

Andreia Pisoni

“O objetivo de termos a certificação digital, além claro, de garantir a segurança e legitimidade das informações no prontuário; é diminuir significativamente o custo com papel neste setor ”, aponta Andreia Pisoni, gerente de TI do HSJosé.

Segundo a especialista, como as informações do paciente ficam armazenadas em servidores do Hospital; caso os pacientes que passaram por um período de observação, precisem das informações; estas, podem ser solicitadas para impressão por meio do Serviço de Arquivamento Médico do Hospital – SAME.

“Temos um relatório que é emitido com todos os dados do prontuário. As informações possuem a assinatura de cada item do prontuário. Caso o paciente tenha esta necessidade, é só fazer sua solicitação”, aponta a gerente.

Andreia descreve ainda, que o valor de economia que será feito a partir de agora, ainda não pode ser contabilizado, visto que a implantação do sistema aconteceu esta semana; mas aponta, que somente no serviço de Pronto Atendimento do hospital, eram gastos 6.000 folhas por mês.

“Esta média de folha utilizada, são somente dos atendimentos, se contarmos o relatório de resumo que era realizado, a conta sobe para 9.000 folhas. Sem contar outros relatórios como os de internação, que a partir de agora não serão mais impressos também”, completa.

No Centro de Diagnóstico por Imagem-CDI, os médicos também estão assinando eletronicamente, não havendo mais a necessidade do uso de papel; anteriormente, as impressões do CDI giravam em torno de 2.000. “Uma economia significativa” enfatiza Andreia.

O investimento em novas tecnologias, tem sido uma constante no HSJosé; tudo para garantir segurança e confiabilidade para as pessoas que buscam os serviços da Entidade.

Fonte: Engeplus

7 motivos para trocar a assinatura manuscrita pela digital – Ouça

Como resolver problemas como perda de prontuários? – Ouça

Assinatura digital manuscrita em hospitais: o novo mundo digital chega ao setor da saúde