Últimas notícias

Fique informado

Especialista afirma que nuvem pode evitar ciberataques globais

30/06/2017

Spotlight

Leia o Parecer de Plenário sobre a MP 983/20 e diversos artigos e entrevistas

Leia também outros artigos e entrevistas sobre a MP 983 2020 publicados pelo Portal Crypto ID

12/08/2020

Como gerenciar seus certificados TLS sob as novas regras do Google?

Em 01 de setembro de 2020, os principais navegadores passam a bloquear certificados TLS que têm um período superior a 398 dias.

10/08/2020

Quatro motivos para investir na autenticação de múltiplos fatores com Inteligência Artificial

Uma maneira de resolver problemas de acessos de usuários é aplicar sistemas de autenticação de múltiplos fatores, como a autenticação condicional.

10/08/2020

Presidente do ITI fala sobre a CertLive que abordou as MPs 951 e 983

Conversamos com Carlos Roberto Fortner sobre a primeira CertLive recebeu parlamentares e integrantes do governo brasileiro em torno das MPs 951 e 983 de 2020.

31/07/2020

Associações da Sociedade Civil manifestam seu apoio à aprovação da MP 951/2020

A MP autoriza a emissão dos certificados digitais, no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil, por meio de videoconferência.

31/07/2020

O pequeno herói e sua conexão com a tecnologia para acesso ilimitado e seguro

Neste ebook apresentamos a história do pequeno herói neerlandês e sua conexão com a tecnologia do SafeSign e todo o ecossistema de soluções da AET – Unlimited access to your world.

22/07/2020

Danos e expectativas em torno do PetyaWrap

Quintiliano Andrade, gerente de desenvolvimento de sistemas da Soluti, empresa de soluções digitais, explica três principais pontos sobre o novo ataque.

28/06/2017

Petya Ransomware Spreading Rapidly Worldwide, Just Like WannaCry

By Swati Khandelwal     Watch out, readers! It is ransomware, another WannaCry,

28/06/2017

Aker alerta para Correção Capaz de Bloquear o Petya

Na avaliação de Rodrigo Fragola, CEO da Aker N-Stalker, o poder de dano recentemente demonstrado pelo WannaCry e pelo Petya dá uma medida da crescente vulnerabilidade da população mundial.

27/06/2017

Plataformas de Segurança Integradas baseadas em nuvem – cloud computing,  podem processar ameaças antes que elas prejudiquem os sistemas

Menos de dois meses depois do WannaCry, centenas de países e milhares de computadores foram afetados por um novo ciberataque global. O Petya, como foi chamado, é um malware que utiliza métodos diferentes para se propagar e infectar dispositivos dentro da rede. O principal deles é o EternalBlue, falha já explorada em computadores no primeiro ataque, mas diferentemente do anterior, age somente na rede local pode infectar até os dispositivos que estejam com as atualizações em dia.

No Brasil, mais de três mil pacientes do Hospital do Câncer de Barretos (SP) deixaram de ser atendidos e até o porto de Itajaí (SC) teve a movimentação de cargas afetada. Apesar da gravidade do primeiro ciberataque do ano, a forma como a segurança das informações e dos sistemas é tratada parece não ter mudado, e a segunda onda de sequestro de dados aconteceu. “As empresas têm que pensar em segurança como plataforma, e a nuvem pode ajudar a deixar os ambientes menos vulneráveis”, diz Rodrigo Salvo, especialista em segurança da informação.

Salvo, que desenvolve estratégias de segurança na integradora Teltec Solutions, destaca a necessidade da adoção de Plataformas de Segurança Integradas e da computação em nuvem (cloud computing) que possam atuar em todos pontos infecção, seja no perímetro de uma rede, no acesso à ela, nos servidores e nos dispositivos dos usuários.

Estes sensores juntos podem correlacionar eventos em conjunto com um serviço de Nuvem de Inteligência de Ameaças Global, que têm a capacidade de dar proteção rápida e evitar incidentes de segurança.

“Algumas nuvens chegam a analisar diariamente 1,5 milhão de amostras de malware, 600 bilhões de mensagens de e-mails e 16 bilhões de requisições de tradução de endereços (DNS) por dia”, afirma.

No caso de um incidente de segurança em outro país, o especialista diz que todos os sensores podem proteger o ambiente em poucos minutos, independente da distância que estejam do local onde os ataques surgiram.

A adoção de Plataformas de Segurança Integradas também permite a proteção contra eventos maliciosos, interceptando a ameaça antes, durante e depois de um ataque de forma automatizada com a infraestrutura de rede. Em um ambiente corporativo, sobretudo os que não restringem o BYOD (sigla para Bring Your Own Device, ou Traga Seu Dispositivo em português), a vulnerabilidade de celulares, tablets e computadores dos colaboradores podem causar danos significativos.

“A automatização da prevenção identifica, por exemplo, que se um determinado patch de correção não foi aplicado em um dispositivo, ele deve ser colocado em quarentena antes de acessar a rede e retornar somente após a devida atualização, evitando assim uma possível exploração de vulnerabilidade e propagação”, explica.

Sobre a Teltec Solutions

A Teltec Solutions é uma integradora de soluções de tecnologia da informação e comunicação que projeta e implanta redes de dados e voz, soluções de virtualização, cloud computing, armazenamento e segurança, com sede em Florianópolis (SC) e filiais em Brasília e São Paulo (SP). Conta com atuação em todo o território nacional e  parcerias estratégicas de grandes players mundiais do mercado de TI, como Cisco, IBM, Microsoft, Axis, Citrix, Vmware, NetApp, Amazon. Fundada em 1991, tem atualmente mais de 100 colaboradores e atua por meio de unidades de negócio em segmentos, como Governo, Educação, Saúde e Justiça.

Nenhum comentário até agora

Ir para a discussão

Nenhum comentário ainda!

Você pose ser o primeiro a iniciar a discussão.

<