Últimas notícias

Fique informado
Futuro da Defesa: unidades cada vez mais conectadas e automatizadas

Futuro da Defesa: unidades cada vez mais conectadas e automatizadas

31/03/2020

O que faz uma força de defesa conectada? Conheça a resposta no novo estudo KPMG e Forrester: O futuro da defesa: Defesa e a corporação conectada

Estudo explora o futuro do ramo, considerando as perspectivas inovadoras que poderão agregar a longo prazo

 

O Estudo “The future of defense” conduzido pela KPMG em parceria com a Forrester revela que 70% das organizações de defesa no mundo investirão em soluções para se tornarem mais conectadas, automatizadas e inteligentes nos próximos 12 meses.

Além disso, 70% estão priorizando estratégias centradas nos clientes e metade (50%) delas pretende investir 16% ou mais do orçamento disponível na força de defesa conectada. Essas são algumas das conclusões da pesquisa

A  melhoria das organizações de defesa estão aumentando seu investimento em recursos como gerenciamento de relacionamentos, alinhamento organizacional e pessoas e estratégia.

No entanto, outros recursos – notadamente o foco na missão e o recurso de arquitetura de tecnologia – estão passando por uma diminuição relativa no investimento. Essa é uma preocupação, dada a percepção de falta de excelência dos entrevistados nessas áreas

“Tecnologias digitais são fundamentais para uma defesa mais efetiva e eficiente das unidades, sejam elas administrativas, táticas ou operativas. Com recursos automatizados e inteligentes, os líderes dessas organizações podem tomar melhores decisões e obter vantagens estratégicas que os diferenciam dos oponentes”, afirma Mauricio Endo, Sócio-líder de Governo e Transporte da KPMG no Brasil e na América do Sul.

O conteúdo também revelou que há três aspectos principais que impactarão o setor mundial de defesa: Connected Enterprise (Corporação conectada), Instantly Informed Enterprise (Corporação instantaneamente informada) e Automated Enterprise (Corporação automatizada).

Paulo Pagliusi, Sócio-líder de Defesa da KPMG no Brasil

“As soluções digitais permitirão que organizações de defesa obtenham resultados estratégicos em suas operações militares e diplomáticas. Entre os recursos de destaque, estão as armas de energia direcionadas, autônomas e hipersônicas, além de computação quântica”, afirma Paulo Pagliusi, Sócio-líder de Defesa da KPMG no Brasil.

Cinco maneiras de construir uma força de defesa conectada segundo o estudo

1 – Planeje as oportunidades revolucionárias da 5G

2 – Mantenha-se atento às tecnologias emergentes

3 – Transforme informações em insights

4 – Invista em parceiros

5- Repense sua força de trabalho

Por que o 5G é a chave para desbloquear um ecossistema mais amplo?

O estudo também trata do futuro do setor de defesa, considerando todas as perspectivas inovadoras que poderão agregar a longo prazo, como Inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT) e Edge Computing.

Outro dado relevante é que o 5G, com seu ecossistema associado, é a tecnologia disruptiva e segura que fará diferença no futuro.

Embora o 5G, por si só, seja a tecnologia mais impulsionadora nos próximos 3-5 anos, é o seu ecossistema mais amplo que será verdadeiramente revolucionário, principalmente para as empresas.

O 5G é o ponto central de um ecossistema que conectará tudo e todos, em todos os lugares … até a Tupperwares está se tornando digital! Este ecossistema tem dados em seu coração e permitirá que o verdadeiro tsunami de dados de inúmeras fontes que o 5G provavelmente libere, seja explorado com segurança de novas maneiras.

O 5G, a IA e o monitoramento remoto estão acelerando a mudança para uma força composta principalmente por veículos pilotados remotamente e potencialmente autônomos de todos os tipos.

Consequentemente, o tempo disponível para tomar decisões e menor a cada dia. É por isso que é tão importante alinhar as funções de front, middle e back office, para manter a força da linha de frente pronta e um passo à frente do inimigo.

À medida que os requisitos de prontidão mudam, as cadeias de suprimentos devem se ajustar rapidamente

Informações e dados são a força vital das operações

Estar conectado fornece visibilidade total sobre todos os ativos, para entender o custo de serviço e o tempo para implantar durante todo o ciclo de uma operação militar. Os principais tomadores de decisão recebem informações precisas e oportunas, para ajudá-los a entrar no ciclo de decisões do inimigo mais rapidamente do que o adversário.

De acordo com o estudo da Forrester sobre organizações de defesa, uma força de defesa conectada está no topo da agenda

Quase 7 em cada 10 organizações afirmam que investirão na maioria ou em todas as principais capacidades de forças de defesa conectadas nos próximos 12 meses. E metade pretende investir 16% ou mais de seu orçamento em sua estratégia de força de defesa conectada ao longo do período.

Além do 5G, esse ecossistema consiste em outras tecnologias que estão amadurecendo no momento certo.

Os principais componentes desse ecossistema são: inteligência aumentada, Internet das Coisas (IoT), robótica e realidade aumentada / virtual. A nuvem também é um ingrediente essencial, assim como a segurança cibernética e a privacidade. Juntos, esse ecossistema impulsionará a quarta revolução industrial, também conhecida como Indústria 4.0.

O conteúdo do estudo está disponível na íntegra neste link.

As conclusões foram elaboradas a partir de contribuições dos especialistas do setor de defesa da KPMG, entrevistas com profissionais seniores da área, e também por meio de pesquisa com 122 especialistas que atuam em organizações de defesa na Austrália, Canadá, Alemanha, Índia, EUA e Reino Unido.

Paulo Pagliusi, Ph.D., CISM

Partner, Technology Risk Consulting at KPMG

Paulo Pagliusi, Ph.D., CISM, é considerado um dos consultores mais renomados do País em gestão estratégica de riscos tecnológicos, área em que atua há 25 anos, ajudando clientes globais a avaliar, gerenciar e otimizar o risco da tecnologia da informação, auxiliando-os a analisar problemas de tecnologia em seus ambientes e a superar riscos tecnológicos emergentes, para que seus negócios continuem avançando. É um dos palestrantes mais requisitados atualmente, tendo se apresentado em mais de 200 eventos no Brasil e no exterior, e concedido mais de 90 entrevistas às mídia.

Sobre a KPMG

A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory. Estamos presentes em 154 países e territórios, com 200.000 profissionais atuando em firmas-membro em todo o mundo. No Brasil, são aproximadamente 4.000 profissionais, distribuídos em 22 cidades localizadas em 13 Estados e Distrito Federal.

Orientada pelo seu propósito de empoderar a mudança, a KPMG tornou-se uma empresa referência no segmento em que atua. Compartilhamos valor e inspiramos confiança no mercado de capitais e nas comunidades há mais de 100 anos, transformando pessoas e empresas e gerando impactos positivos que contribuem para a realização de mudanças sustentáveis em nossos clientes, governos e sociedade civil.

  Acesse artigos escritos por Paulo Pagliusi

 

Temos aqui no Crypto ID uma coluna sobre Pesquisas e Estudos muito interessante. Conheça!

As 5 tendências que vão impactar o e-commerce em 2020

Especialista internacional em cibersegurança vem ao Rio para falar sobre Blockchain

Internet das Coisas – Riscos e Desafios desta Inovação Disruptiva

Defesa – Brasil terá centro contra ataques cibernéticos

Internet das Coisas – Riscos e Desafios desta Inovação Disruptiva

Grupo New Space renova certificação de Empresa Estratégica de Defesa – EED

 

29set01outEvento CanceladoBrazil Cyber Summit 2020 - NOVA DATAExplore a tecnologia, percepções e tendências que dão forma ao futuro da cyber e dos negócios 29 de setembro a 01 de outubro de 2020 | Brasília (setembro 29) 08:00 - (outubro 1) 18:00 Brasilia Hotel Royal Tulip Brasilia Alvorada, SHTN Trecho 1 Conjunto 1B - Bloco C - Asa Norte, Brasília