Últimas notícias

Fique informado

A disseminação do metaverso no mercado imobiliário

18 de maio de 2022

Spotlight

Heather Vescent, pensadora e futurista do setor de identidade digital fala sobre ID no Metaverso

“Estamos começando a ver empresas de identidade digital aplicarem suas soluções para um mercado metaverso. Faz sentido resolver os casos de uso de hoje e planejar um mercado futuro”

9 de agosto de 2022

Telecomunicações, a raiz para os desafios de segurança cibernética

Alguns dos maiores golpes de inteligência artificial da história foram resultado do comprometimento dos sistemas de telecomunicações

8 de agosto de 2022

O que é criptografia assimétrica – ID Plus #10

No Id Plus dessa semana, a equipe de redação te explica o que é a criptografia assimétrica e como ela se aplica em nosso cotidiano

8 de agosto de 2022

FEBRABAN TECH traz renomados keynotes internacionais e nacionais para a edição 2022

Ban Ki-moon, Paul Krugman, Makaziwe Mandela, Ilan Goldfajn, Roberto Campos Neto e o ex-jogador Cafu estão entre os destaques do tradicional evento de tecnologia, que ocorre de 9 a 11 de agosto, na Bienal de São Paulo

3 de agosto de 2022

CISO Forum Brazil 2022 acontece 100% on line com o apoio do CRYPTO ID

CISO Forum Brazil 2022, a ser realizado nos dias 18, 19 e 20 de outubro de 2022 de forma 100% online.

25 de julho de 2022

Techfin Moeda Semente anuncia presença no metaverso

Moeda Semente, primeira techfin a usar blockchain para o mundo alcancem o desenvolvimento sustentável, está investindo no metaverso

7 de março de 2022

Por que investir em segurança da informação e qual o seu retorno financeiro?

O principal ponto para decidir investir na segurança da informação nas empresas é para fortalecer a segurança dos dados

7 de março de 2022

Cidadão passa a ter acesso no GOV.BR a consulta e transferência dos valores ‘esquecidos’ em bancos

Nesta segunda-feira (7), serviço do Banco Central está disponível para usuários com contas nos níveis Prata e Ouro no GOV.BR

7 de março de 2022

LGPD: não basta ter, é preciso executar

Estar em conformidade com a LGPD é relevante para o contexto geral de mercado, como o ambiente de negócios ao qual a empresa está inserida

7 de março de 2022

Como a Inteligência Artificial e os Data Centers neutros apoiam a evolução dos negócios

O avanço da tecnologia vem estimulando cada vez mais o investimento em métodos inovadores e disruptivos para os negócios

7 de março de 2022

O valor de um imóvel no metaverso está na autenticidade digitalmente reconhecida através deste certificado digital

Por Thammy Marcato e Eduardo Tomazelli

O mercado imobiliário já migrou para o ambiente virtual há algum tempo. Mas, diferentemente da realização de operações de compra e venda de imóveis físicos feitas pela internet, atualmente esse setor ganhou uma nova camada de oportunidades com o advento do metaverso.

Nesse ambiente, as propriedades digitais podem ser negociadas de uma maneira muito parecida que uma casa ou um terreno físico é comercializado hoje. Dessa forma, você pode adquirir ou desenvolver um terreno digital, monetizando-o e, eventualmente, vendendo-o com lucro.

Temos observado uma movimentação crescente de empresas comprando terrenos em plataformas de mundos virtuais por meio de operações que usam certificados digitais de propriedade (conhecidos pela sigla NFT) e criptomoedas.

Essas movimentações, segundo o DappRadar – site que rastreia NFT e vendas de terrenos virtuais –, registraram um volume de negociação de 330 milhões de dólares no quarto trimestre do ano passado. E, com certeza, o anúncio feito pelo fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, da mudança de nome desta empresa para Meta, junto com a intenção dele de tornar-se dono de uma companhia dentro do metaverso, foi significante para intensificar esse movimento.

Desde então, diversos setores – especialmente o imobiliário e o varejo – parecem ter entrado em um vórtice em torno dos potenciais desdobramentos deste conceito do qual ainda sabemos pouco. 

Um estudo da CoinMarketcap, por exemplo, estima que o metaverso pode chegar a um trilhão de dólares em valor de mercado em até três anos, considerando a indústria de modo amplo. Em comparação, o mundo dos jogos eletrônicos, que engloba a maior parte das aplicações de metaverso atuais, está projetada para alcançar 400 bilhões de dólares no mesmo período.

Se, para os nativos digitais, a compra desses espaços é algo perfeitamente compreensível, outros ainda se perguntam qual é o sentido de comprar um espaço digital onde não se pode morar. Para começar a compreender como funciona o mercado imobiliário no metaverso, devemos saber como esses imóveis são transformados em NFTs e como o proprietário passa a ter uma espécie de “escritura” criptografada.

Ou seja, o valor de um imóvel no metaverso está na autenticidade digitalmente reconhecida através deste certificado digital, somado aos fatores como popularidade e raridade do ativo.

Se, por um lado, uma casa é feita de tijolos e argamassa, no contexto virtual, é realizada a compra de um código registrado em um token. Assim, a diferença está na interface de negociação e na experiência do comprador. Um exemplo para ilustrar esta nova experiência é analisar o retrato de Adele Bloch-Bauer I, do pintor austríaco Gustav Klimt, avaliado em 135 milhões de dólares e exposto permanentemente na Neue Galerie, em Nova Iorque.

O empresário estadunidense Ronald Lauder comprou a pintura, no entanto, ele não pode retirar o quadro da galeria ou admirá-lo de forma privada em casa. Embora a obra comprada não possa ser manuseada, trata-se de um investimento pela exclusividade de possuí-la. 

No que diz respeito ao metaverso, existem diversas plataformas onde se pode interagir e que colocam imóveis digitais à venda em uma espécie de shopping virtual (marketplace). Na prática, a maioria delas agrega informações sobre localização no mapa do metaverso e os preços dos ativos.

Além de atribuições de valor, plataformas como The SandboxDecentraland e SuperWorld saíram na frente nesse novo horizonte de venda de imóveis e estão negociando espaços virtuais por milhares de dólares, sendo as mais procuradas por marcas para fincarem bandeiras no metaverso. 

Como as cifras impressionam, esse tema está em evidência. E onde isso vai dar, afinal? Ninguém sabe ainda. No futuro, tudo pode resultar em um novo estouro de uma bolha de expectativas exageradas ou numa nova sociedade paralela a nossa, totalmente digital. Por isso, muitos defendem que o valor desses imóveis virtuais, na verdade, está no potencial publicitário que esses espaços têm. 

É importante destacar, também, que sob a perspectiva de tecnologia, ainda há muito a evoluir para se chegar no estado da arte do metaverso. Hoje, estão nascendo os blocos que fundamentarão o desenvolvimento deste novo universo. Vamos continuar construindo.

Quais são os riscos para a privacidade e proteção de dados no Metaverso?

Metaverso e o Comércio Exterior

Metaverso: o que dizem empresas e especialistas?

Crypto ID no TikTok? Conheça essa novidade, você vai adorar!!

Ótimo pra você assistir e compartilhar com a família e amigos.

Dá uma olhadinha aqui! e se inscreva no canal.