Últimas notícias

Fique informado

Como se adaptar à revolução financeira das criptomoedas ?

27 de abril de 2023

Spotlight

Governo Federal apoia Rio Grande do Sul na emissão 2ª via da Carteira de Identidade Nacional

O mutirão coordenado pelo Governo do RS começou nos abrigos de Porto Alegre. Expedição da segunda via será imediata

20 de maio de 2024

Pesquisa mostra que hackers criaram mais de 130.000 contas para mineração de criptomoedas

Os hackers utilizam determinadas plataformas que, no pico de suas operações, criavam de 3 a 5 contas por minuto para cripto mineração

9 de janeiro de 2023

Você sabe o que é Rug Pull? Previna-se do golpe que mais cresce entre criptomoedas 

O que faz o golpe Rug Pull ser bem-sucedido é que na maioria dos casos não é fácil identificar que se trata de uma fraude

2 de janeiro de 2023

Quais as perspectivas para o bitcoin e outras criptomoedas em 2023?

Analistas avaliam o mercado de criptomoedas em 2022, projetam tendências e preveem retomada positiva para o próximo ano

30 de dezembro de 2022

O uso das criptomoedas ainda é controverso, mas a cada dia vem ganhando mais espaço no mercado e cada vez há mais interesse sobre o assunto

O uso das criptomoedas ainda é controverso, mas a cada dia vem ganhando mais espaço no mercado e atualmente até grandes players vêm adotando e inclusive lançando seus próprios ativos.

Cada vez há mais interesse sobre o assunto, e diariamente, mais e mais notícias surgem nos jornais sobre o uso dessas moedas digitais, suas regulamentações, compras extravagantes e até mesmo governos que apostam em uma revolução financeira através da internet.

Revolução financeira e digital à vista

As criptomoedas são uma moeda digital que surgiu como uma alternativa às moedas fiduciárias, como o dólar, euro, iene, entre outras.

Entre seus benefícios estão a redução do custo das transações, a diminuição dos tempos e a eliminação da necessidade de utilizar agentes financeiros. No entanto, seu uso tem sido controverso e o marketing por trás da revolução financeira das criptomoedas tem sido bastante chamativo.

No continente americano, temos dois casos de países que deram um salto a favor da regulamentação dessas moedas: El Salvador, que em junho de 2021 se tornou o primeiro país a aceitar o Bitcoin como moeda de curso legal, e Cuba, que em agosto do mesmo ano aceitou essa moeda como uma alternativa para evitar as sanções do bloqueio dos Estados Unidos.

Além disso, o Brasil confirmou em abril deste ano o início de um programa piloto para lançar o “real digital” como meio de pagamento, que poderia começar no final de 2024.

“Assim como os governos, as agências de publicidade e comunicação precisam estar preparadas para as moedas digitais. A aposta na descentralização dos serviços financeiros é grande, precisamos estar prontos para apoiar as operações de nossos clientes”, disse Alan Lara, CFO da another, a agência com parceiros globais com a maior oferta na América Latina.

Estamos preparados?

De acordo com um estudo da Comscore, durante abril de 2021, nas principais redes sociais da América Latina, foram registradas 95 mil menções relacionadas a exchanges de criptomoedas, sendo que mais de 90% delas foram realizadas através do Twitter, representando um aumento de 30% em comparação com o mês anterior.

“Com o aumento da popularidade das criptomoedas e sua possível regulamentação na região, é importante que as agências compreendam como se adaptar para aproveitar as oportunidades que essa nova tecnologia oferece”, comentou Alan Lara, CFO da another.

Diante desse panorama, o CFO da another apresentou alguns pontos que toda agência deve ter em mente diante de uma possível regulamentação do mercado financeiro digital, sob a perspectiva de prestação de serviços para anunciantes e a indústria de publicidade e marketing digital:

Educação em criptomoedas

Uma maneira pela qual as agências podem começar a se preparar é se educando sobre criptomoedas e sua tecnologia subjacente, blockchain. À medida que a tecnologia evolui, as regulamentações governamentais em torno das criptomoedas também evoluem.

Portanto, as agências devem se manter atualizadas sobre as mudanças na legislação e trabalhar dentro dos limites legais estabelecidos para não correrem o risco de infringir qualquer lei.

Tecnologia ao alcance

“Outra forma pela qual as agências podem se adaptar à revolução financeira das criptomoedas é através da integração da tecnologia blockchain em suas operações. A blockchain oferece maior segurança e transparência na cadeia de suprimentos publicitária, o que pode ajudar a abordar os problemas de transparência no mundo da publicidade digital, desde contratos para utilização de mídia até a contratação de influenciadores”, destacou Alan Lara.

Também é importante para as agências reconhecerem a importância das criptomoedas na economia global e como elas podem afetar seus clientes.

Portanto, devem ser capazes de aconselhar seus clientes sobre as possibilidades e riscos das criptomoedas, bem como ajudar a desenvolver estratégias de marketing e publicidade que incorporem seu uso.

Mudança na estrutura

Ao se manterem atualizadas sobre as regulamentações governamentais e se educarem sobre criptomoedas e sua tecnologia, as agências podem se preparar para aproveitar as oportunidades que essa nova tecnologia oferece.

A integração da tecnologia blockchain nas operações publicitárias e a capacidade de aconselhar os clientes sobre criptomoedas também são fundamentais para se manterem à frente em um mundo cada vez mais digital, concluiu o especialista.

Crise dos bancos tradicionais pode impulsionar o setor de criptomoedas

Pagamentos com criptomoedas passam a ser aceitos pelo Banco do Brasil

O que é a tokenização e por que esse processo está tão em alta no mercado de criptomoedas

Leia outros artigos sobre Criptomoedas, Criptoativos e Tokenização aqui!