Últimas notícias

Fique informado

Mulheres que constroem: dados mostram o impacto da diferença de gênero

12 de dezembro de 2022

Spotlight

A Transformação Digital do Mercado Imobiliário: Blockchain, Moedas digitais, Cartórios e o Futuro

A tecnologia blockchain tem despertado interesse devido ao seu potencial disruptivo em vários setores, incluindo o setor imobiliário.

8 de abril de 2024

Empresa de Israel traz tecnologia de ponta em cibersegurança para o mercado brasileiro

Com o potencial de crescimento do mercado brasileiro e sua consequente inserção no ambiente digital, os fundadores da Cysfera decidiram trazer as inovações de ponta israelenses ao cenário nacional.

3 de abril de 2024

Do primeiro Robô Advogado ao ChatGPT: Você sabe como as IAs podem impactar o futuro do setor jurídico?

Assista o webinar na íntegra, gratuitamente pelo canal oficial da doc9 no YouTube e obtenha insights essenciais sobre como aproveitar ao máximo as tecnologias emergentes e manter vantagem competitiva neste setor em constante evolução.

28 de março de 2024

AX4B: 64% das empresas brasileiras não possuem soluções corporativas de antivírus, apesar do aumento de 7% nos ataques cibernéticos

A AX4B acaba de divulgar os resultados de sua mais recente pesquisa sobre a situação da segurança cibernética no Brasil.

26 de março de 2024

Imagine como seria o nosso mundo se os estereótipos de gênero nunca tivessem existido e se a sociedade sempre dissesse às mulheres e meninas: sim, você pode!

por Melina Masnatta

A essa altura, haveria pelo menos três mulheres presidentes em todos os países do mundo, as copas do mundo de futebol feminino seriam tão comemoradas quanto as masculinas e haveria muito mais mulheres na indústria de tecnologia.

Durante anos, as mulheres acreditaram que não havia espaço para elas nas áreas ligadas à Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática (STEAM) e decidiram seguir outras carreiras sem, sequer, pensar no mundo de oportunidades infinitas que a tecnologia oferece. Porém, com a chegada da pandemia do COVID-19, todos nós vimos a importância da tecnologia e o poder que ela tem de transformar a sociedade. A aceleração da digitalização trouxe novas oportunidades. Mas, para compreendê-las, devemos ser capazes de medir e gerar dados atualizados.

De acordo com o relatório Global Gender Gap 2022, publicado pelo Fórum Econômico Mundial, a porcentagem de mulheres formadas em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) é de 1,7% em comparação com 8,2% dos homens formados e, em Engenharia e Manufatura, os números são de 24,6% para os homens e 6,6% para mulheres. Esse cenário mostra que ainda há um longo caminho a percorrer e que precisamos começar a incentivar as mulheres a considerarem os campos STEAM.

Por isso, devemos apostar na promoção da diversidade e inclusão na indústria tecnológica porque existe uma oportunidade para a transformação do emprego feminino. Mas, como devemos fazer isso? Como convidamos outras pessoas a participar de nosso setor? E se começarmos a trabalhar para elevar as histórias de muitas mulheres que tiveram um impacto positivo na indústria?

Iniciativas de reconhecimento a mulheres e pessoas não binárias que lideraram o caminho da tecnologia é um passo. Evidenciar e impactar mulheres em cargos de liderança que deixaram sua marca na indústria e que estão apoiando outras mulheres em suas carreiras profissionais é uma forma de chamar a atenção para este cenário.

Outra medida é apostar em pesquisas que revelem, por exemplo, como a pandemia afetou mulheres, homens e outros gêneros que trabalham no STEAM, os novos desafios que enfrentam e as oportunidades que surgiram. Num recente levantamento, conseguimos detectar que uma das principais constatações foi relacionada justamente à remuneração: apenas 19% das mulheres que já trabalham em tecnologia afirmou ter recebido redução no salário. Dos 81% restantes, 41% afirmaram que tiveram aumento salarial.

Também foi possível identificar um crescimento nas oportunidades de aprendizado. Mas, neste caso, existiam lacunas entre quem desempenha funções de cuidado e quem trabalha: 60% deste grupo viu aumentar as suas oportunidades profissionais. Enquanto 67% das pessoas sem dependentes viram suas oportunidades de carreira aumentarem durante a pandemia.

Essa disparidade é a razão pela qual os líderes empresariais devem abraçar os diversos papéis que as pessoas desempenham em suas famílias ao projetar programas de treinamento profissional e incorporar flexibilidade para permitir o gerenciamento de tempo e outros fatores. Dessa forma, garantimos o acesso, a continuidade e a conclusão dos programas de formação, que são fundamentais no ecossistema tecnológico, onde o upskilling e o reskilling se tornam motores de crescimento das pessoas e da indústria.

Os resultados da pesquisa indicam que houve mudanças na percepção do ecossistema tecnológico e que as ações e as políticas que as empresas implementaram para reter o talento feminino durante a pandemia funcionaram. No entanto, ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar uma participação mais igualitária e melhores condições para as mulheres na indústria.

Capacitar mulheres e minorias para os campos STEAM é uma responsabilidade coletiva dos tomadores de decisão na indústria de tecnologia. Precisamos ter um grupo diversificado de pessoas moldando esse futuro e liderando as transformações digitais que estão ocorrendo. Percorremos um longo caminho para alcançar um espaço aberto para mulheres na tecnologia e temos que continuar nesse caminho criado para tomar ações concretas e sustentáveis ​​que melhorem as questões que estamos abordando.

Melina Masnatta é diretora global de Aprendizagem, Diversidade, Igualdade e Inclusão na Globant, empresa nativa digital focada em reinventar negócios por meio de soluções tecnológicas inovadoras.

Ada Lab: Soluti apresenta projeto de incentivo a inclusão de mulheres no mercado de tecnologia 

Última oportunidade para se inscrever em programa que oferece bolsas de estudo para mulheres ingressarem na área de TI

MyInova Summit vai debater diversidade no mercado de TI

Cartão de Pagamento por Voz da Thales Gemalto traz inclusão, autonomia e comodidade

Somos o maior portal brasileiro sobre Criptografia e Identificação Digital.

Com uma década de existência, temos um público de cerca de 2 milhões de leitores por ano.

As empresas que nos apoiam e nossos colunistas ajudam a criar um mundo digital mais seguro, confiável e tranquilo.

Acompanhe o Crypto ID nas redes sociais!