Últimas notícias

Fique informado

Estudo de fraude de identidade no Brasil mostra que 80% das tentativas de fraude de ID ocorrem na etapa de verificação

6 de setembro de 2022

Spotlight

O Halving do Bitcoin: Entendendo o Evento que Redefine a Oferta da Criptomoeda. Por Susana Taboas

Uma visão geral do que é o halving do Bitcoin e sua importância no contexto da economia digital.

17 de abril de 2024

Bertacchini da Nethone compartilha sua visão sobre o cenário atual de fraudes digitais

Tivemos a oportunidade de conversar com Bertacchini, especialista em Desenvolvimento de Negócios Sênior na Nethone, sobre como as empresas podem se blindar contra ciberameaças.

17 de abril de 2024

Do primeiro Robô Advogado ao ChatGPT: Você sabe como as IAs podem impactar o futuro do setor jurídico?

Assista o webinar na íntegra, gratuitamente pelo canal oficial da doc9 no YouTube e obtenha insights essenciais sobre como aproveitar ao máximo as tecnologias emergentes e manter vantagem competitiva neste setor em constante evolução.

28 de março de 2024

AX4B: 64% das empresas brasileiras não possuem soluções corporativas de antivírus, apesar do aumento de 7% nos ataques cibernéticos

A AX4B acaba de divulgar os resultados de sua mais recente pesquisa sobre a situação da segurança cibernética no Brasil.

26 de março de 2024

Pesquisa mostra que 88% das identidades brasileiras falsificadas são impressas

Plataforma global de verificação de identidade, Sumsub compartilha os resultados de seu estudo de fraude de identidade no Brasil para ajudar as empresas locais a se manterem protegidas contra crimes cibernéticos

A Sumsub, empresa de tecnologia sediada no Reino Unido dedicada ao combate à lavagem de dinheiro e fraude online, publicou hoje os resultados de seu novo estudo.

A pesquisa ocorreu entre 2021 e 2022 e teve como foco a fraude de identidade e a regulação PLD (prevenção à lavagem de dinheiro) no Brasil.

Para esse relatório, a Sumsub combinou estatísticas anônimas de 4,3 milhões de verificações realizadas no Brasil com insights de especialistas jurídicos e antifraude — que incluem análises de especificidades regulatórias, tipos de fraude e métodos de detecção. A equipe de análise da Sumsub examinou mais de 50.000 tentativas de fraude em 19 setores.

O Brasil é um dos países que mais contribuem para a fraude online — bem como um dos mais infectados por malware e um dos maiores produtores de spam, vírus trojan e phishing.

A fraude de identidade online está aumentando, e supostamente está afetando seriamente os mercados brasileiros e as empresas estrangeiras que operam no país.

A pesquisa examina os padrões de fraude no mercado de verificação de identidade do Brasil com levantamento das principais práticas e estatísticas. Alguns resultados merecem destaque.

Os dados analisados ​​sugerem que 80% das tentativas de fraude de identidade no Brasil ocorrem na etapa de verificação de identidade. Já a verificação de comprovante de endereço (PoA) representa quase 15% de todas as fraudes. Trata-se de uma etapa obrigatória para todas as empresas reguladas pelo Banco Central (Bacen) e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Contas de energia elétrica e telefone, além de extratos bancários, são aceitos principalmente como comprovante de endereço, e os fraudadores inserem dados falsos (nome, data de emissão e endereço) nesses documentos para falsificá-los. Os 5% restantes de fraude referem-se a deepfakes, máscaras e vídeos pré-gravados usados ​​por fraudadores para burlar verificações de prova de vida e selfie.

De acordo com os especialistas da Sumsub, o tipo de fraude de identidade mais popular no Brasil é a sintética. Ou seja, combina dados reais e falsos para fabricar uma identidade que será usada no cadastramento de diversos serviços online. Outros tipos comuns de fraude incluem roubo de dados, notas/boletos bancários falsificados, fraudes no uso de cartão de crédito (empréstimo do cartão ou não reconhecimento de compra efetuada) e financiamento bancário com documentos falsos.

Ao examinar mais atentamente os documentos de identidade brasileiros, o estudo constatou que o passaporte é duas vezes mais propenso à fraude do que o RG (1,2% de todos os passaportes têm sinais de falsificação em comparação com 0,6% de todos os RG), enquanto as carteiras de motorista são menos propensas a serem falsificadas (apenas 0,18% das falsificações).

A maioria absoluta (87,5%) das identidades brasileiras falsificadas são apenas impressos (com uso de editores gráficos), destacando a alta participação de tentativas amadoras de fraude no país.

As falsificações de identidade física (adulterações feitas diretamente em documentos existentes) vêm em segundo lugar (7,5%), e as falsificações de identidade digital representam cerca de 5%.

Ao tentar burlar a verificação, os fraudadores usaram aplicativos de desktop com mais frequência do que de tablets e smartphones: 0,8% do total de sessões da Web foi marcado como tentativa fraudulenta, em comparação com 0,5% das sessões móveis. Vale ressaltar que os fraudadores não têm preferências entre sistemas Android e iOS em termos de dispositivos utilizados.

Investimentos e pagamentos são os dois segmentos mais propensos a fraudes no Brasil, destaca a pesquisa. As indústrias de criptomoedas, jogos de azar e comércio também sofrem com fraudes, embora em menor grau. As descobertas devem dar às empresas que operam no Brasil uma compreensão clara dos riscos locais de fraude e como lidar com eles. A Sumsub conclui o relatório com várias recomendações sobre como reduzir a fraude de identidade ao fazer negócios no Brasil.

“Há mais de cinco anos a Sumsub cadastra novos clientes do Brasil nos sistemas de clientes internacionais. Isso nos permitiu melhorar significativamente o tempo médio de verificação para usuários locais — reduzindo de mais de três minutos no primeiro semestre de 2021 para menos de um minuto em 2022. Quanto às taxas de aprovação de usuários, atingimos mais de 90% de conversão no Brasil. Embora seja importante manter a velocidade de verificação e as taxas de aprovação altas, impedir a entrada de fraudadores não é menos crucial”, diz Andrew Sever, cofundador e CEO da Sumsub.

Guilherme Terrengui, Head of LATAM da Sumsub no Brasil, acrescenta que, para combater efetivamente a fraude no país, é recomendável que antes de tudo as empresas escolham um parceiro KYC/PLD decente para conhecer exatamente quem é o cliente e evitar lavagem de dinheiro.

“É fundamental se certificar de que o provedor seja capaz de validar documentos do usuário via Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), realizar verificações biométricas faciais (prova de vida) para garantir que os usuários estejam presentes real e fisicamente durante a verificação, além de rastrear sinais de risco comportamental. Também há uma série de tecnologias antifraude que devem ser aplicadas para avaliar rapidamente a autenticidade dos documentos e detectar quaisquer características suspeitas, como sinais de falsificação física ou edição gráfica”, diz Terrengui.

As tecnologias internas baseadas em inteligência artificial (IA) da Sumsub permitem que os clientes empresariais permaneçam em conformidade com os regulamentos locais e globais, alcançando altos níveis de proteção contra fraudes sem prejudicar as taxas de aprovação. Ainda com relação a taxas de conversão globais, por exemplo, demonstramos 91,64% nos EUA, 96,37% na Argentina e 94,16% no México. Estudos de caso com Nicehash e CakeDefi podem ser livremente acessados.

Sobre a Sumsub

A Sumsub é uma empresa de tecnologia internacional que fornece uma plataforma de verificação all-in-one para detectar fraudes e garantir conformidade com os requisitos KYC (conheça seu cliente) em todo o mundo, incluindo verificação de identidade, triagem de PLD (prevenção à lavagem de dinheiro) e monitoramento contínuo.

Com experiência em mais de 220 países e territórios, a Sumsub alcança taxas de conversão relevantes enquanto verifica usuários em menos de 50 segundos, em média. Suas ferramentas antifraude orientadas por IA ajudam empresas a fazer negócios com mercados internacionais dentro da regulamentação e conformidade de cada país. Com mais de 2.000 clientes nas indústrias de fintech, cripto, transporte, comércio e jogos, a Sumsub fez parceria com empresas como Binance, Mercuryo, Bybit, Huobi, Moonpay, Unlimint, DiDi, Poppy e Transfergo. A metodologia da empresa segue as recomendações do GAFI, o padrão internacional para regras AML/CTF e requisitos regulatórios locais (FINMA, FCA, CySEC, MAS).

Com cinco anos de atuação, Minds Digital lança soluções de prevenção à fraude para aplicativo e WhatsApp

Biometria facial evita mais de R$ 8 bi em fraudes para as fintechs

Entrevistamos Darryl Green, CEO da CAF – Combate a Fraude

O Crypto ID reúne as principais notícias e artigos sobre as diversas tecnologias que identificam, no meio eletrônico, pessoas, empresas, equipamentos, aplicações e softwares. São artigos do Brasil e do Mundo, afinal, identidade digital é parte do nosso nome! Confira a coluna Identidade Civil e Digital.

Aqui no Crypto ID você encontra reunidos os melhores estudos e pesquisas sobre o universo da Segurança da Informação aplicada a diversas verticais de negócios. Acesse nossa coluna e conheça!