Últimas notícias

Fique informado

Inovar, adaptar e transformar é tema de painel no Futurecom Digital Summit

29/06/2020

Spotlight

ONLYOFFICE, plataforma colaborativa, apresenta sua estrutura de segurança de dados

Confira a entrevista na íntegra com Nadya Knyazeva, Gerente de Comunicação da ONLYOFFICE, a plataforma open source que possui mais de sete milhões de usuários no mundo

27/11/2020

Lei da Internet das Coisas segue para sanção presidencial e deve impulsionar o mercado de eIDs

Os equipamentos que utilizam a Internet precisam ser identificados para a autenticação precisa máquina a máquina e, em alguns casos, é primordial estarem blindados contra invasões hackers.

26/11/2020

Doutor Fabiano Menke Concede Entrevista Sobre a Evolução das Assinaturas Eletrônicas

Nesta entrevista Dr. Fabiano Menke fala sobre a Lei 14.063 de setembro de 2020 e sobre o Decreto 14.543 de novembro de 2020 sobre os tipos de assinaturas eletrônicas

25/11/2020

A certificação de plataformas de telemedicina para uso da assinatura digital

O uso de certificados digitais para assinatura de documentos clínicos é adotado no Brasil desde a primeira resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), em 2007

25/11/2020

Decreto 14.543/2020 regulamenta o artigo 5º da Lei 14.063/2020

O decreto 14.543/20 define alguns requisitos do artigo 5º Lei 14.063/2020.

16/11/2020

Futurecom Digital Summit discute sobre as cidades inteligentes e as tecnologias a serviço da Justiça na pós-pandemia

Primeiro dia do encontro on-line destaca questões como mobilidade, negócios locais, conectividade e interação social.

24/06/2020

Ao longo de quatro dias, o Futurecom Digital Summit reuniu 5.000 pessoas e 52 palestrantes, totalizando 15 horas de conteúdo

A transformação digital que está em curso foi acelerada compulsoriamente em razão da mudança radical provocada pela pandemia neste ano. Essa conclusão é um consenso entre gestores e profissionais de TI, que debatem se essa transformação é provocada pela tecnologia ou se é comportamental.

Há uma percepção de que quem transforma é a pessoa, o profissional. O novo pensamento e as ideias de modelos de negócios inovadores surgem a partir da evolução das pessoas, tendo as ferramentas da tecnologia como facilitadoras para se colocar em prática a automação do trabalho.

A proporção que a pandemia assume nesse contexto foi o tema da noite de ontem do Futurecom Digital Summit, encontro on-line que nos adianta os debates que estarão no palco da 22ª edição do Futurecom, maior evento de tecnologia, telecomunicações e transformação digital da América Latina, entre 27 e 29 de outubro, no São Paulo Expo, em São Paulo.

O painel “Inovação, Adaptação ou Transformação Digital? Qual o Papel da Pandemia na Digitalização dos Negócios?” contou com apresentação dos casos de empresas como Grupo Boticário, Cogna Educação, Light e Sapore, com mediação de Jamile Sabatini, diretora de inovação e fomento da ABES.

Daniel Knopfholz – CIO do Grupo Boticário

Para a maioria dos participantes do painel, a ideia é de que a reinvenção é hoje a principal necessidade no universo dos negócios. Daniel Knopfholz, CIO do Grupo Boticário – que detém sete marcas do setor de perfumaria e cosméticos –, “inovação é resultado do momento em que os problemas surgem e as pessoas conseguem resolvê-los de forma criativa e diferente”.

“Inovação não vem de ideias de um gênio, mas, na prática, é a adaptação às dificuldades e melhoria contínua; é um processo de ir melhorando e inovando”, argumenta.

O grupo inovou durante a pandemia com o lançamento de canais digitais de vendas como, por exemplo, pedidos por WhatsApp entregues pela loja mais próxima do cliente em 30 minutos ou maquiagem que pode ter experimentação digital em um aplicativo na tela do celular da cliente.

Hoje, 35% do faturamento já é representado por vendas digitais.

Empresas tradicionais que não se adaptarem aos novos tempos podem não ter um futuro muito promissor no novo cenário mundial. Não somente pelas mudanças causadas pelo novo coronavírus, mas porque a digitalização é um caminho sem volta. O painel demonstrou casos de empresas com décadas de atuação no Brasil que estão se reinventando.

É o caso da Cogna Educação e da Light. A Cogna tem 50 anos de vivência e precisava se reinventar. Começou criando uma área de dados para tomada de decisões.

Gabriela Diuana – Diretora de transformação digital da Cogna Educação

“Nossa primeira visão foi alterar a estrutura tradicional que abriga vários segmentos de nossa instituição e agregar a todos numa só plataforma. Em seguida, adotamos o conceito ‘customer experience’ para entender a necessidade dos alunos”, explica Gabriela Diuana, diretora de transformação digital da Cogna Educação.

No caminho da transformação, a instituição fechou parceria com o Cubo/Itaú e patrocina startups de educação para inovar o setor. “O modelo de sucesso com as startups é aprender com os erros e não errar mais”, diz Gabriela.

Ela reforça que na Cogna, os alunos estão no centro do processo e são os embaixadores da transformação.

No setor de fornecimento de energia elétrica de uma empresa centenária, a transformação é uma incógnita que exige mais criatividade ainda.

Alexandre Santos, CTIO da Light, explica que o setor é regulado pelos órgãos governamentais, além de ter muita dificuldade para colocar mudanças em prática.

“Até o começo deste ano, home office era algo impossível de se viabilizar numa empresa como a nossa. Temos pessoal em campo para manutenção, atendimento ao público, escritórios espalhados em várias localidades e tivemos de absorver essa ideia da noite para o dia”, conta Santos.

Foi um impacto forte nos aspectos culturais de uma empresa de tradição hierárquica, mas tudo se ajeitou e está funcionando. O executivo afirma que agora é o momento da colaboração.

O setor de alimentação é, talvez, um dos que mais velocidade precisou imprimir para conquistar o pódio durante o isolamento social. Da noite para o dia, nada mais podia ser servido nos estabelecimentos e o delivery se tornou o principal motor dos negócios.

Rafael Tobara – Head de tecnologia da Sapore

Rafael Tobara, head de tecnologia da Sapore, conta que a empresa tinha sua operação totalmente voltada para servir refeições em restaurantes de empresas, escolas, hospitais e eventos. Ou seja, só presencial.

A reinvenção veio por meio da adoção de plataformas de aplicativos para conectar o serviço com quem quer consumir. A Uber é uma delas, que passou a vender refeições para a Sapore.

“Mesmo que não pareça uma ideia nova, a parceria com startups nos ajuda a transformar nosso negócio, que atende 1,3 milhão de pessoas por dia”, revela Tobara.

Para ele, a inovação foi transformar o B2B em B2C neste momento. A empresa está usando a tecnologia para traçar o perfil dos consumidores, acompanhar sua jornada e oferecer refeições de acordo com seu costume de horário e comportamento.

Percepções

Ao longo de quatro dias, o Futurecom Digital Summit reuniu 5.000 pessoas e 52 palestrantes, totalizando 15 horas de conteúdo. Até o momento, registrou um público de 45% no estado de SP e 55% nos demais estados do Brasil, além de uma presença internacional de países Angola, Argentina, Canadá, Holanda, Reino Unido, Polônia, Portugal, Paraguai, Estados Unidos, Uruguai.

Paulo Alvarenga – CEO da Thyssenkrupp na América do Sul

“Foi uma ótima experiência poder compartilhar com outros líderes a visão da Thyssenkrupp de como a digitalização e a indústria 4.0 são importantes para alavancar a eficiência e a produtividade da indústria brasileira.”

“Além disso, é gratificante conhecer tantos exemplos práticos da evolução trazida pela transformação digital em setores tão diversos da economia”, afirma Paulo Alvarenga, CEO da Thyssenkrupp na América do Sul.

Para Longinus Timochenco, CISO da Kabum!, o formato on-line atraiu novos públicos que, eventualmente não poderiam participar presencialmente pela distância física.

“Tenho acompanhado as discussões ao longo da semana e a repercussão entre os executivos com quem tenho falado é muito boa. Há bastante conteúdo e troca de experiências, o que comprova que não existem fronteiras para a informação de qualidade”, ressalta.

Na avaliação de Antonio Carlos Neves, CIO do Groupe PSA, “Foi um evento de alto nível, que conseguiu abordar temas interessantes com profissionais experientes a uma grande audiência, mesmo em um momento conturbado que estamos vivendo”.

“Tempos atípicos exigem propostas inovadoras. Por isso, a iniciativa do Futurecom Digital Summit vai ao encontro da necessidade dos profissionais da área de tecnologia se manterem atualizados, conhecendo casos de sucesso e acumulando novas experiências em temas, sem comprometer as medidas de distanciamento social.”

“A variedade dos assuntos tratados, a abrangência dos palestrantes, e a qualidade do material produzido impressiona”, destaca o internauta que tem acompanhado os encontros online Theo Pires, engenheiro na Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará/Engenharia Civil e Gestão de TIC Pública.

Já Alberto Vieira Andrade, manager Field Operations da CenturyLink Brasil, que também tem assistido as apresentações virtuais do Digital Summit, acessando o evento on-line diretamente dos Estados Unidos, afirma que ficou bastante satisfeito com a escolha da grade de profissionais e especialistas de alto nível e conhecimento.

Nesta segunda-feira, dia 29 de junho, o Futurecom Digital Summit dá continuidade em suas rodadas on-lines que seguem até o dia 2 de julho. Organizado pela Informa Markets, o Digital Summit leva para seus debates a mesma qualidade dos conteúdos do encontro físico do Futurecom. São duas sessões diárias com acesso totalmente gratuito e veiculadas pelo site do Futurecom.

Para conferir as próximas discussões, clique aqui.

Futurecom Digital Summit discute sobre as cidades inteligentes e as tecnologias a serviço da Justiça na pós-pandemia

Futurecom 2020 promove Digital Summit e debate o mundo além da pandemia

Sobre o Futurecom

O Futurecom, o maior e mais importante evento de tecnologia, telecomunicação e transformação digital da América Latina, chega à 22ª edição, que acontece de 27 a 29 de outubro, no São Paulo Expo. Lançado em 1998, na cidade de Foz do Iguaçu, o Futurecom foi transferido para Florianópolis posteriormente, onde ocorreu entre 2001 e 2007.

A partir de sua décima edição, passou a ser realizado em São Paulo, com duas edições no Rio de Janeiro em 2012 e 2013. A realização da Futurecom seguirá as normas e regras estabelecidas pelas instituições estaduais e municipais.

Sobre a Informa Markets

A Informa Markets cria plataformas para indústrias e mercados especializados para fazer negócios, inovar e crescer. Nosso portfólio global é composto por mais de 550 eventos e marcas internacionais, sendo mais de 30 no Brasil, em mercados como Saúde e Nutrição, Infraestrutura, Construção, Alimentos e Bebidas, Agronegócio, Tecnologia e Telecom, Metal Mecânico, entre outros.

Oferecemos aos clientes e parceiros em todo o mundo oportunidades de networking, viver experiências e fazer negócios por meio de feiras e eventos presenciais, conteúdo digital especializado e soluções de inteligência de mercado, construindo uma jornada de relacionamento e negócios entre empresas e mercados 365 dias por ano.

Soluções da Link são destaque no Futurecom

Leia mais do Crypto ID e acompanhe nosso calendário com todos os eventos em tecnologia!

05out(out 5)20:0007(out 7)18:00Futurecom 2021Tecnologias que transformam o ecossistema de negócios | 20 - 22 de outubro em São Paulo20:00 - 18:00 (7) São Paulo São Paulo Expo, Rodovia dos Imigrantes, km 1.5 - 04329-90