Últimas notícias

Fique informado

Gêmeos Digitais: a união entre o físico e o virtual no combate a crimes cibernéticos 

16 de fevereiro de 2022

Spotlight

O Halving do Bitcoin: Entendendo o Evento que Redefine a Oferta da Criptomoeda. Por Susana Taboas

Uma visão geral do que é o halving do Bitcoin e sua importância no contexto da economia digital.

17 de abril de 2024

Bertacchini da Nethone compartilha sua visão sobre o cenário atual de fraudes digitais

Tivemos a oportunidade de conversar com Bertacchini, especialista em Desenvolvimento de Negócios Sênior na Nethone, sobre como as empresas podem se blindar contra ciberameaças.

17 de abril de 2024

Do primeiro Robô Advogado ao ChatGPT: Você sabe como as IAs podem impactar o futuro do setor jurídico?

Assista o webinar na íntegra, gratuitamente pelo canal oficial da doc9 no YouTube e obtenha insights essenciais sobre como aproveitar ao máximo as tecnologias emergentes e manter vantagem competitiva neste setor em constante evolução.

28 de março de 2024

AX4B: 64% das empresas brasileiras não possuem soluções corporativas de antivírus, apesar do aumento de 7% nos ataques cibernéticos

A AX4B acaba de divulgar os resultados de sua mais recente pesquisa sobre a situação da segurança cibernética no Brasil.

26 de março de 2024

Apesar do conceito dos “Gêmeos Digitais” estar presente no mercado desde 2002, foi graças à evolução da IoT que sua implementação se tornou mais viável

Por Guilherme Lonardoni 

Guilherme Lonardoni, cyber security sales engineer no Grupo Binário 

Os mundos imaginários dos filmes de ficção científica estão cada dia mais se tornando realidade e prova disso é o advento do Metaverso.

Vale, porém, destacar a base de tudo isso que são os Gêmeos Digitais (Digital Twins), um conceito que foi copiado da engenharia industrial e há indicações de que tenha sido apresentado ao mundo pela NASA, numa época em que ainda não existia a conexão da Internet das Coisas (IoT). 

Trata-se de um mercado estimado a atingir US$ 48 bilhões em 2026, que o Gartner define como um padrão de desenho de software que representa um objeto físico cuja finalidade é compreender o estado do ativo, responder oportunamente às mudanças, melhorar as operações comerciais e agregar valor, ou seja, materializar a união entre o mundo físico e o virtual. 

Apesar do conceito dos “Gêmeos Digitais” estar presente no mercado desde 2002, foi graças à evolução da IoT, impulsionada pelas características de alta velocidade de conectividade e baixa latência da tecnologia 5G, que sua implementação se tornou mais viável. 

Segundo dados de uma pesquisa da consultoria Gartner, dos 599 respondentes em seis países, 13% das organizações que já implementam projetos de IoT já utilizam Gêmeos Digitais e 62% encontram-se no processo de estabelecer seu uso em curto prazo.  

No cenário atual de digitalização acelerada, sua adoção se tornou tão vital para os negócios, que foi apontado pelo Gartner como uma das dez tendências tecnológicas mais relevantes e estratégicas para a década. 

Gêmeos Digitais no combate a crimes cibernéticos 

As aplicações dos Gêmeos Digitais para replicar processos, fazer simulações para testar interações em ambientes virtuais e reais são inimagináveis.   

Destacamos sua utilização na área de arquiteturas de rede de TI e principalmente na indústria 4.0 para mitigar ataques cibernéticos.

A digitalização das empresas e a descentralização do trabalho, impulsionada pela crise sanitária, para preservar os negócios e a competitividade abriram grandes brechas nas redes para a ação de facções organizadas e sofisticadas de criminosos cibernéticos que têm resultado em golpes de alto alcance e prejuízos vultosos ao mercado e que se intensificaram nos últimos três anos. 

Além da mudança nos perfis das redes que se tornaram maiores, extremamente mais complexas, na nuvem e com interoperabilidade enorme entre os componentes, existem ainda em operação os sistemas legados antigos e não atualizados, como por exemplo, os das empresas de Utilities, que são vulneráveis a ataques básicos, mas capazes de paralisar setores vitais da economia. 

Diante desse cenário, torna-se prioridade o investimento em segurança cibernética, e a opção pela utilização de Gêmeos Digitais que permitem que uma simulação virtual de um ataque cibernético seja feita antes que uma solução seja adotada nos ambientes reais, para dessa forma aumentar o controle e proteção dos sistemas. 

Fortalecidos pela junção de tecnologias habilitadoras como Big Data, IA e IoT e estratégicas e recursos tradicionais de mitigação de golpes internos e externos, será possível reduzir os riscos de golpes desferidos contra as redes e data centers, garantindo seu funcionamento efetivo com melhor desempenho e menos manutenção, fatores que se refletem positivamente nos custos de operação e na alta confiabilidade. 

O que o futuro nos reserva 

Especialistas da área afirmam que o próximo passo será criar Gêmeos Digitais para pessoas, que inclusive farão negócios no Metaverso. O aumento da presença da realidade virtual e da realidade aumentada deverá agilizar esse processo, que segundo dados do IDC, estima-se que as vendas mundiais de headsets de realidade virtual (VR) aumentem de cerca de 7 milhões em 2021 para mais de 28 milhões em 2025.  Bem-vindos ao mundo ciberfísico!  

Gêmeos Digitais: o mundo ciberfísico já chegou

Adoção da transformação digital no setor aeroespacial e de defesa

Crescimento de crimes cibernéticos na pandemia: como não ser uma vítima

Os crimes cibernéticos devem ser uma das grandes ameaças globais nos próximos vinte anos

Crimes cibernéticos e LGPD impulsionam mercado de cibersegurança e forçam executivos a se envolverem no processo decisório, diz relatório ISG