Últimas notícias

Fique informado

Segurança em nuvem: O que é Cloud Security Posture Management (CSPM) e quais os seus benefícios para as empresas?

6 de janeiro de 2022

Spotlight

O Halving do Bitcoin: Entendendo o Evento que Redefine a Oferta da Criptomoeda. Por Susana Taboas

Uma visão geral do que é o halving do Bitcoin e sua importância no contexto da economia digital.

17 de abril de 2024

Bertacchini da Nethone compartilha sua visão sobre o cenário atual de fraudes digitais

Tivemos a oportunidade de conversar com Bertacchini, especialista em Desenvolvimento de Negócios Sênior na Nethone, sobre como as empresas podem se blindar contra ciberameaças.

17 de abril de 2024

Do primeiro Robô Advogado ao ChatGPT: Você sabe como as IAs podem impactar o futuro do setor jurídico?

Assista o webinar na íntegra, gratuitamente pelo canal oficial da doc9 no YouTube e obtenha insights essenciais sobre como aproveitar ao máximo as tecnologias emergentes e manter vantagem competitiva neste setor em constante evolução.

28 de março de 2024

AX4B: 64% das empresas brasileiras não possuem soluções corporativas de antivírus, apesar do aumento de 7% nos ataques cibernéticos

A AX4B acaba de divulgar os resultados de sua mais recente pesquisa sobre a situação da segurança cibernética no Brasil.

26 de março de 2024

Temos um cenário em que a maior parte das empresas já usam computação em nuvem e a segurança dos dados é uma das principais preocupações

Por Henrique Vaz

Henrique Vaz é fundador e CEO da CleanCloud, startup brasileira especializada em cloud security

Desde 2020 a aceleração digital aumentou substancialmente o uso computação em nuvem pelas empresas de diversos tamanhos.

Isso não é de se surpreender, já que a nuvem demonstrou seus benefícios, como o fácil acesso a novas tecnologias e serviços, capacidade de processamento de dados, preço competitivo e muitas vezes com mais segurança que um data center privado.

No Brasil, 33% das grandes empresas brasileiras já usam computação em nuvem para fazer a gestão dos dados internos de clientes e parceiros com segurança e agilidade.

Além disso, 45% das empresas usam ao menos uma nuvem pública e pretendem usar o serviço para executar ao menos metade das suas cargas de trabalho em até dois anos.

Segundo a Gartner, mais de 99% das falhas de segurança são decorrentes de erros do usuário, e, de acordo com a IBM, o custo médio de um vazamento de dados é de US$ 7,8 mi.

Desta forma, temos um cenário em que a maior parte das empresas já usam computação em nuvem e a segurança dos dados é uma das principais preocupações.

Por isso, não é de se surpreender que uma das categorias de produto com maior crescimento da atualidade em cibersegurança seja o Cloud Security Posture Management (CSPM), que nada mais é que o gerenciamento da postura de segurança na nuvem.

O CSPM se baseia no Modelo de Responsabilidade Compartilhada, no qual o provedor de nuvem, AWS, Azure e Google Cloud para citar alguns, é responsável pela camada de infraestrutura, com centenas de certificações e controles que dificilmente um data center privado teria.

Já o usuário é responsável apenas pela configuração dos serviços que utiliza na nuvem, já que estes muitas vezes devem seguir sua regra de negócio – e quanto mais dados possui em nuvem, mais difícil é fazer manualmente.

Em um ambiente em nuvem maior – com mais de um provedor, diversas contas e dezenas de serviços – o CSPM é ainda mais necessário já que as empresas precisam verificar de forma contínua muitas regras e regulações, o que só pode ser feito de forma automatizada para atestar que foram implementadas as melhores práticas para terceiros e trazer visibilidade para o C-level sobre a maturidade de segurança da organização.

Outra vantagem é o apoio ao time na execução da correção das vulnerabilidades, essencial em um cenário tão desafiador de compor um time com especialistas em computação em nuvem e segurança da informação.

A relevância com a segurança e conformidade na nuvem aumentou muito em praticamente todos os segmentos.

Se há poucos anos tínhamos empresas de setores regulados, como o financeiro com regulações do Banco Central e frameworks como PCI, com grande maturidade em cibersegurança e as demais alguns passos atrás, agora vemos os mais diferentes tipos de organizações atentas ao tema de segurança de dados – e não necessariamente por conta de uma regulação, mas pela exigência de manter seguras as informações de seus clientes e de outros stakeholders.

Com o CSPM como a principal tendência em cloud security em 2022, veremos cada vez mais presente na lista de produtos usados pelos CISOs e líderes de segurança da informação das empresas que conseguem sucesso na jornada de conformidade e tratamento adequado de dados em nuvem.

Cloud: como potencializar a segurança e produtividade da Nuvem Corporativa

Na nuvem: instituições financeiras utilizam infraestrutura de cloud para continuar crescendo

Cloud Computing: Esta na hora de rever os custos e potencializar o sucesso em projetos na nuvem

Você quer acompanhar nosso conteúdo? Então siga nossa página no LinkedIn!