Últimas notícias

Fique informado

Colégios discutem modelos para integrar competências cognitivas no Bett Educar

20/05/2019

Assunto foi um dos temas discutidos entre os vários eventos de conteúdo da Bett Educar, no terceiro dia do maior encontro de educação da América Latina. Inteligência artificial também ganha ênfase como estratégia

Em meio à efervescência que pautou a última quarta-feira nas principais capitais do País, a Bett Educar promoveu mais um dia de intensa atividade voltada à discussão da estruturação de estratégias para o aprimoramento geral das metodologias de ensino e da prática pedagógica.

Os seis auditórios espalhados pelo pavilhão estiveram lotados por milhares de professores, acadêmicos e profissionais ligados à educação, que marcaram presença no terceiro dia do evento, que segue até amanhã, sexta-feira (17), no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Na quinta-feira (16), nove eventos marcaram o Fórum de Gestores, entre palestras, debates e estudos de caso que abordaram a experiência em sala de aula, a sinergia entre as matérias e o desafio de encontrar a tangência entre teoria e prática, em um momento de intensa exigência sobre o desempenho do aluno.

Na palestra “O novo ensino médio e o acesso à universidade: a visão de escolas de alto desempenho”, Mayra Ivano Lora trouxe a experiência com disciplinas eletivas do Colégio Bandeirantes, onde atua como diretora-pedagógica.

O principal desafio, segundo ela, é conciliar estas competências cognitivas com a preparação para os processos seletivos para as universidades.

A solução que o colégio encontrou, segundo ela, foi integrar os dois propósitos. Ela cita, por exemplo, as aulas de Democracia e Direitos Humanos, direcionadas à formação da cidadania, mas também com foco na preparação do aluno para as redações dos vestibulares, assim como a disciplina de Física Aplicada à Medicina e aos Esportes.

“As disciplinas eletivas têm que ser dinâmicas, com conteúdos multidisciplinares e ensinadas com estratégias diferentes em sala de aula”, ensina a educadora.

Participante do mesmo debate, o diretor do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves Ramos, reforçou que, para inserir atividades voltadas ao desenvolvimento comportamental não é necessário retirar as disciplinas tradicionais. “É um erro considerar que uma coisa exclui a outra; elas precisam ser articuladas e não se sobrepor uma à outra”.

Inteligência artificial ganha protagonismo nos programas acadêmicos

Outro tema em destaque no Fórum de Gestores no terceiro dia da Bett Educar foi a inteligência artificial. A gerente de programas acadêmicos para a Microsoft América Latina, Mariana Maggio, apresentou o Programa APEI-50, que fornece material gratuito às escolas a fim de dar suporte ao desenvolvimento de inovações nas escolas.

Entre as experiências inspiradoras citadas por ela está a história do professor brasileiro Francisco Tupy – também presente à feira – que, por meio de jogos de Minecraft, desenvolve diferentes disciplinas.

Ele hoje compartilha sua experiência em escolas de todo o mundo por meio de uma plataforma criada pela Microsoft chamada Minecraft Education Edition. “Não se trata somente de uma transformação digital, mas a transformação das pessoas e a construção de um mundo melhor”, comentou Maggio.

O diretor de Educação para a América Latina na Cisco Systems, Ricardo Santos, conduziu o debate “Transformação digital na educação”, com as participações do reitor do Instituto Mauá de Tecnologia, José Carlos Souza, e o vice-presidente de Tecnologia Educacional do Grupo Estácio de Sá, duas instituições consideradas referências em boas práticas voltadas à tecnologia aplicada à educação.

Entre as lições que ambos deixaram estão priorizar laboratórios compartilhados por diferentes disciplinas em vez de salas de aula; criar ambientes digitais que possam ser acessados pelo celular e promover mudanças na cultura organizacional das empresas.

Ainda sobre a abordagem digital nas metodologias pedagógicas, o vice-presidente mundial de Educação da Microsoft, Anthony Salcito, falou para um auditório repleto de profissionais do setor de educação sobre o futuro da aprendizagem digital. “As pessoas são o elemento mais importante, transformação é e sempre será sobre pessoas”, disse.

Para Salcito, a questão fundamental não está em como a escola é ou precisa ser, mas sim como o aluno se sente ao entrar na sala de aula.

Para tanto, destaca ele, “é preciso formular planos que mudem o mindset dos educadores, nos quais professores desejem inovar e compartilhar ideias e se disponham a embarcar com seus alunos em uma jornada de conhecimento sem precedentes. Lembrem-se, fundamental é alimentar talentos e deixar com que os alunos desejem mais de seu futuro”, conclui Antony.

Sobre a Bett Educar

A Bett Educar é o maior evento de educação e tecnologia da América Latina. Parte do portfólio da ITE Group plc, uma das líderes mundiais na realização de eventos considerados referência de mercado.

A Bett Educar visa inspirar, discutir o futuro do segmento e o papel da tecnologia e da inovação na formação de educadores e alunos.

A 26ª edição do evento acontece de 14 a 17 de maio de 2019 no Transamerica Expo Center e reunirá mais de 230 empresas nacionais e internacionais, cerca de 20 startups do mercado e mais de 22 mil participantes do setor educacional de todos os estados do Brasil.

Após sucesso em Londres, Bett Educar acontece em maio no Brasil

Equipe do Professor Jean Martina implanta Diploma Eletrônico na UFSC