Últimas notícias

Fique informado

Girls in ICT é realizado com o apoio do Serpro

26 de abril de 2021

Spotlight

Facebook fala sobre o incidente de 4 de outubro

“Agora que nossas plataformas estão funcionando normalmente após a interrupção de 4 de outubro achei que valeria a pena compartilhar,”Santosh Janardhan.

6 de outubro de 2021

Evento online apoiado pela Serpro foi marcado pela presença de empreendedoras da área da tecnologia para debater o empoderamento feminino

Ocorreu nesta quinta-feira, dia 22, a abertura da 10ª edição do Girls in ICT Day, evento online promovido pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU), que contou com a colaboração do Serpro e da Anatel.

Neste ano, o foco foi abordar a presença feminina nas áreas STEM (Science, Technology, Engineering and Mathematics) e fortalecer as políticas públicas de equidade de gênero, além de cumprir uma das metas de desenvolvimento sustentável da ONU para 2030.

“No campo de STEM, as mulheres são sub-representadas e essa realidade se mantém, quando elas se tornam profissionais”, disse a coordenadora da UIT, Caroline Brandão.

Em formato de roda de conversa e com o objetivo de debater o empreendedorismo feminino e carreiras, o evento com o tema “Garotas conectadas para criar futuros mais brilhantes” contou com a participação de mulheres empreendedoras que atuam na área da tecnologia para falar sobre suas trajetórias e como chegaram nas áreas em que atuam atualmente.

Andrea Motta – Diretora da UK Brazil Tech Hub

A diretora Andrea Motta da UK Brazil Tech Hub, programa do governo do Reino Unido, compartilhou sua experiência na inclusão de mulheres em áreas que envolvem desenvolvimento tecnológico e digital.

Com um time na área de acesso digital formado somente por mulheres, Andrea ressaltou que apenas 20% dos cargos de tecnologia, no Brasil, são ocupados por pessoas do sexo feminino.

“Nós trabalhamos para promover, dentre outras ações, programas que facilitem o acesso e o protagonismo de meninas e mulheres na tecnologia digital nas techs”, ressaltou.

Espaço de Inclusão

Partindo da problemática de gênero e da questão racial, a estudante de Engenharia Elétrica Thamiris Bernardo de Paula, que também faz parte do projeto Mulheres Negras Fazendo Ciência da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), apresentou uma pesquisa, realizada por meio do Projeto, com o objetivo de mostrar como está a distribuição de mulheres negras nos programas de pós-graduação em engenharia, no estado do Rio de Janeiro.

A conclusão foi de que, dentre os 925 docentes, apenas 1,6% eram mulheres negras. “Esse número denuncia a necessidade de discutir esse problema, tanto com o viés da discriminação de gênero quanto da discriminação de raça”, explicou a estudante.

Para finalizar o encontro, a estudante de Engenharia da Computação Thamires de Pontes contou a sua trajetória e o que precisou enfrentar para ser uma discente na área tecnológica.

Cercada por uma pressão familiar e de amigos, ela sempre foi pressionada a cursar medicina, área que tentou durante seis anos. Quando decidiu ir para a engenharia, Thamires não teve muito apoio, mas decidiu encarar e hoje faz parte do projeto Meninas.comp da Universidade de Brasília (UnB).

“O projeto é uma forma de incentivar meninas a ingressarem na área da computação, através de mesa redonda, workshop e visitas em escolas”, contou Thamires.

A abertura do evento contou, ainda, com a participação da presidente do grupo Mulheres do Brasil e do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, e da graduada em Forense Educacional e mestranda em Operação, Avaliação e Gerenciamento Avançado de Rede de Computadores na UFRJ, Camilla Martins.

Atuação internacional

Iniciado em 2011, o projeto Girls in ICT está comemorando 10 anos de criação e busca incentivar jovens mulheres a estudarem e seguirem carreiras de STEM. Mais de 377 meninas já participaram do projeto em mais de 171 países.

“Estamos aqui para celebrar, porque é assustador o quanto ainda existe um abismo de gênero nessas profissões que possuem uma grande demanda e são consideradas profissões do futuro”, disse Caroline Brandão.

O Serpro atua no Girls in ICT Day desde 2018, ano em que recebeu da ONU um selo em reconhecimento ao projeto Menina de TI e à atuação da empresa como parceira desse evento internacional.

Cursos online e gratuitos serpro

Nesta edição do Girls in ICT Day, estão sendo ofertados cursos online sobre linguagem de programação Scratch 3.0; gamificação; introdução à produção de vídeos; e edição de imagem com o software Gimp 2.8, com o apoio de tutores especialistas do Serpro e direito a certificados de conclusão. Os interessados podem se inscrever até hoje, 23 de abril, pelo portal Conecta, a escola virtual do Serpro, e os cursos poderão ser feitos de 26 de abril a 7 de maio. 

Fonte: Serpro

Webinar Serpro discute importância do tratamento de dados na atualidade

Serpro faz chamamento público para serviços de Robotic Process Automation

Serpro e AWS debatem transformação digital para conselhos profissionais