Menu

Últimas notícias

Fique informado

Segurança dos sistemas de Inteligência Artificial prevista como tendência de TI para 2020

23/01/2020

A ManageEngine, divisão de gerenciamento de TI da Zoho Corp, reuniu uma lista de seis tendências significativas para o setor de TI em 2020, incluindo Inteligência Artificial

Rajesh Ganesan – Vice-presidente da ManageEngine

“Graças ao surgimento de novas tecnologias e à evolução contínua das já estabelecidas, a maneira como as pessoas trabalham mudará em 2020”, diz Rajesh Ganesan, vice-presidente da ManageEngine. “Os departamentos de TI verão estratégias de privacidade, segurança e gerenciamento de custos, juntamente com Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning (ML), desempenhando papéis essenciais”.

1. As empresas perceberão a importância de proteger seus sistemas de Inteligência Artificial

À medida que mais organizações implementarem a IA em suas funções comerciais, será reconhecida a necessidade de proteger estes sistemas.

•As empresas verão valor em investir em tecnologias de IA explicáveis, aquelas em que o sistema fornece as razões de suas ações e decisões para que as equipes de TI possam revisá-lo e corrigi-lo em tempo real:

•Os dados de treinamento de Inteligência Artificial e os modelos de ML precisarão ser protegidos por técnicas como criptografia homomórfica, que executa operações matemáticas complexas em informações criptografadas sem descriptografá-las primeiro;

•As organizações precisarão proteger seus modelos de IA contra desvios de conceito, pois isso pode torná-los irrelevantes e fazer com que o sistema perca o controle.

2. 2020 testemunhará o aumento da hiper-automação

A hiperautomação elevará um pouco o crescimento da tecnologia no Brasil em 2020, à medida que as empresas começarem a investir em inteligência impulsionada por Inteligência Artificial e ML, juntamente com a engenharia autônoma movida pela automação de processos robóticos e cognitivos. A hiperautomação será utilizada principalmente para tornar processos comerciais dinâmicos e complexos, como reclamações de seguros, processamento de empréstimos e despacho de armazém, mais rápidos e precisos, sem aumentar os custos.

3. Funcionários assumem a responsabilidade pela adesão às leis de privacidade

Mais países, incluindo o Brasil, estão trabalhando na implementação de uma lei de proteção de dados semelhante ao GDPR da União Europeia. Nesse cenário, as empresas precisarão aderir a vários requisitos destinados a garantir o tratamento adequado de informações confidenciais. Como partes interessadas vitais nas operações comerciais, os funcionários terão de assumir parcela da responsabilidade de cumprir a lei.

É provável que as organizações tomem medidas concretas para educar e treinar seus funcionários sobre novas preocupações com a privacidade.

4. As empresas recorrerão à personalização para oferecer experiências customizadas aos clientes com Inteligência Artificial

As organizações usarão seus vastos conjuntos de dados para criar imagens claras e completas de seus clientes e, assim, fornecer experiências personalizadas com o uso de Inteligência Artificial. Esta personalização ajudará as empresas a responder às necessidades exclusivas de cada cliente, para que a cada interação seja oferecido o produto, serviço ou suporte certo e garantindo que as pessoas certas da empresa estejam envolvidas.

5. A proteção do terminal será uma prioridade máxima

Com o número e o tipo de dispositivos de terminal cada vez maiores e com dispositivos se tornando mais “inteligentes”, os terminais viraram alvos críticos e ainda mais vulneráveis a ataques externos. Aplicativos móveis podem muito bem ser a fonte da próxima violação de segurança corporativa em larga escala, especialmente à medida que o afluxo de trabalhadores não tradicionais e seus dispositivos remotos continua.

Considerando as ameaças à segurança pairando nos terminais, as organizações terão que melhor gerenciá-los e prestar mais atenção às técnicas de proteção, como prevenção de perda de dados (Data Loss Prevention, DLP) e detecção e resposta de pontos de extremidade (Endpoint Detection and Responde, EDR).

6. Empresas restringem os gastos em nuvem

Este ano, as empresas trabalharão para otimizar seus custos. Embora a nuvem, especialmente o SaaS, tenha possibilitado a democratização da tecnologia em todas as funções de negócios, também resultou em organizações gastando mais do que o necessário. No entanto, soluções estão surgindo para oferecer aos líderes de negócios melhor controle e visibilidade.

Inteligência Artificial: o que é, como funciona e para que serve?

Sistemas de informação, carros conectados e estradas inteligentes: saiba as 3 tendências de tecnologia para o mercado automotivo

Cinco tendências de segurança de redes para 2020

X
Pular para a barra de ferramentas