Últimas notícias

Fique informado

Tecnologia blockchain no mundo do cinema

30/06/2020

Spotlight

A MP 983 e a classificação das assinaturas eletrônicas: comparação com a MP 2.200-2 | Por Fabiano Menke

Em 16 de junho de 2020 foi editada a Medida Provisória nº 983 (MP 983), que dispõe sobre as assinaturas eletrônicas em comunicações com entes públicos e em questões de saúde, e trata sobre as licenças de softwares desenvolvidos por entes públicos.

29/06/2020

Gartner lista as 10 principais tendências em analytics para 2020

O Gartner identificou as dez principais tendências da tecnologia de dados e análises para 2020.

23/06/2020

Cidade da Colômbia lança aulas online gratuitas de blockchain

Bogotá, capital da Colômbia, está se tornando um interessante polo de estudos da tecnologia Blockchain, e vem investido em cursos da área.

04/05/2020

Entenda como algumas oportunidades trazidas pelo uso prático da tecnologia blockchain podem mudar o mundo do cinema

A tecnologia Blockchain tem sido objeto de debate entre muitos especialistas sobre como isso afetará setores tradicionais que relutam em mudar, em comparação com outros que são mais tecnológicos e certamente mais abertos à inovação.

De fato, o mundo do cinema gira em torno de mecanismos que agora são muito lentos e pesados e podem ser um dos setores que mais se beneficiarão dessa tecnologia. A indústria cinematográfica é um dos sistemas mais centralizados que existem, além de ser hermético e complicado.

Tokenizando o cinema

Esse processo envolve tanto a esfera financeira quanto a proteção da propriedade intelectual, em ambos os casos, tornando o acesso a esses serviços mais rápido e eficaz, transparente e democrático.

No caso de captação de recursos, a blockchain oferece a possibilidade de levantar capital de maneira simplificada e monitorada. Graças a um contrato inteligente, podem ser emitidos tokens fungíveis para um determinado projeto, além de estabelecer o orçamento. Por exemplo, um filme tem um orçamento de 800 mil euros, que se traduz em tokens emitidos com um valor nominal mínimo para o investidor.

Por exemplo, serão emitidos 800 tokens no valor de 1000 euros cada um, representando o valor mínimo de investimento para este filme. Um conceito que também combina muito com o crowdfunding, enquanto o token não fungível representa suas características.

Há uma descrição do projeto, do roteiro, dos perfis dos personagens, da breve biografia do diretor e de outras figuras importantes do cenário. Se já houver pré-contratos com os atores e distribuidoras, que são importantes para tornar o filme mais atraente para o investidor, eles serão incluídos no token não fungível.

Uma nova classe de ativos

Mesmo nos momentos mais difíceis da história contemporânea, o cinema foi um dos setores que menos sofreu, basta dizer que, durante a Segunda Guerra Mundial, um dos títulos de Wall Street que não teve perdas foi o da MGM.

Em 2020, em uma era de completa transformação digital em que estamos vivendo, os filmes podem ser “vistos” como uma nova classe de ativos. Um filme pode gerar muitos lucros, basta pensar em hits como Vingadores ou Avatar.

Mas filmes ainda menores podem dar uma grande satisfação aos seus financiadores. Através da blockchain, será possível investir em grandes filmes ou apoiar filmes de menores orçamentos e independentes. Transformar um filme em uma oportunidade de investimento acessível a todos é apenas um dos aspectos positivos do uso dessa tecnologia.

Propriedade intelectual

Pense em quando os roteiristas precisam gravar seu trabalho para impedir que alguém o roube ou copie. A tokenização também pode ser usada para registrar a autenticidade do trabalho. Além disso, os roteiristas podem não querer renunciar completamente aos direitos do roteiro, vendendo apenas 50% para a produção que fará o filme e depois manter os 50% restantes para si, recebendo royalties por toda a vida.

Isso não acontece hoje em dia, muitas vezes, são as produtoras que desfrutam desse enorme lucro comprando o roteiro com frequência a preços ridiculamente baixos, sejam eles roteiristas iniciantes ou não. Portanto, muitas vezes não há uma avaliação real do valor potencial do roteiro e a blockchain pode ser usada para estabelecer um processo virtuoso de validação do projeto.

Se, por exemplo, uma blockchain for criada especificamente para esse fim, a validação poderá ser baseada em uma pontuação fornecida pelos participantes da rede.

Claramente, essa blockchain deve ser permitida e seria apropriado incluir usuários que tenham conhecimento e experiência muito relevantes em campo, ou um público muito preparado, atento e exigente, disposto a ler a sinopse ou mesmo o script inteiro, disposto contribuir para a rede.

Dessa maneira, os roteiristas seriam avaliados em um tempo menor em comparação com o caminho que costumam seguir e também teriam a possibilidade de serem melhor protegidos, ao contrário de quando estão passando o roteiro de mão em mão em busca desesperada de um produtor ou produtora.

Os players do setor

Hoje existem várias empresas na indústria cinematográfica que estão caminhando nessa direção, uma das mais interessantes é a Media Capital Technologies, que prevê uma Hollywood 2.0, onde, graças à tecnologia blockchain, será possível tokenizar filmes e torná-los acessíveis a investidores de No mundo todo.

Fonte: WeBitcoin

O que podemos aprender sobre segurança da informação com os filmes da saga Star Wars

Tecnologia Blockchain é usada para monitorar abastecimento de dispositivos médicos

O que há por trás das votações via Blockchain?

Temos uma coluna focada em Blockchain, aproveitei e leia mais sobre!

  Explore outros artigos! ] i