Últimas notícias

Fique informado

Digitalização inteligente de documentos: informação disponível, validada e com redução de custo. Por Carlos Kazuo Tomomitsu

11 de janeiro de 2021

Spotlight

Reconhecimento facial sem prova de vida está com os dias contados, afirma CEO de uma das principais plataformas brasileiras de biometria facial

Conversamos com José Luis Volpini, CEO da CredDefense, uma das pioneiras e mais conceituadas plataformas de biometria facial do mercado brasileiro.

6 de janeiro de 2021

Carimbo do Tempo dá início ao fim da era dos protocolos proprietários na ICP-Brasil. Ouça

Segundo Dr. Roberto Gallo, o fim da era dos protocolos proprietários na ICP-Brasil tem data marcada e deve beneficiar fabricantes, prestadores de serviços e clientes finais.

28 de dezembro de 2020

Em tempo de mobilidade extrema e home office, como controlar o perímetro de segurança da empresa? Ouça

Conversamos com Jan Rochat da AET Europe, sobre a eficiência das tecnologias que protegem as informações das empresas, especialmente nesse momento de extrema necessidade de mobilidade das pessoas em “home office.

8 de dezembro de 2020

Identificar, confiar e conectar. Quantas vezes por dia nos autenticamos?

Controlar credencias de acesso nas organizações é tão difícil quanto

2 de dezembro de 2020

Doutor Fabiano Menke Concede Entrevista Sobre a Evolução das Assinaturas Eletrônicas

Nesta entrevista Dr. Fabiano Menke fala sobre a Lei 14.063 de setembro de 2020 e sobre o Decreto 14.543 de novembro de 2020 sobre os tipos de assinaturas eletrônicas

25 de novembro de 2020


*Por Carlos Kazuo Tomomitsu

Carlos Kazuo Tomomitsu

Tanto a obrigatoriedade da adoção do trabalho à distância devido à pandemia do Coronavírus, assim como a tendência da permanência de um modelo híbrido, impulsionou a digitalização de processos nas empresas. Mas, para que não comprometa as organizações, é necessário que a transformação de documentos físicos para digitais esteja amparada por um processo seguro, que envolve inclusive a validade jurídica.

No âmbito das legislações, temos o Governo com seu decreto presidencial Nº 10.278 de março de 2020, responsável por definir que documentos digitais, sejam públicos ou privados, tenham os mesmos efeitos legais dos originais. Ou seja, aplicando tecnologia, o armário de documentos dos escritórios se transforma em pastas virtuais e as rotinas de trabalho podem ocorrer de qualquer localidade.

Mas, e quanto à organização desses documentos? Atualmente, através de Inteligência Artificial e de metadados, plataformas de gestão foram criadas para automatizar a digitalização de documentos sem a necessidade de passar por um processo manual. Os documentos são categorizados por tipo – contábeis e financeiros, e armazenados num único ambiente a “cliques de distância”. E mais: é possível definir aqueles arquivos que exigem validade legal integrando a certificação digital.

A digitalização, que se tornou uma exigência na pandemia, ampliou as possibilidades das empresas. Com informações disponíveis eletronicamente e validadas juridicamente, as organizações têm tudo o que precisam para operar de qualquer localidade, além de obterem o benefício de reduzirem seus custos com armazenamentos e operacionalização de documentos físicos, permitindo o descarte de papéis e a liberação de espaços, que muitas vezes são ineficientes e onerosos.

Estamos no momento de otimizar a administração das empresas e essa migração para o digital garantirá agilidade e segurança às operações. Para 2021, um primeiro passo importante está num inteligente e estratégico plano de digitalização de documentos.


*Carlos Kazuo Tomomitsu é CEO e mentor da KeepTrue, empresa de Tecnologia da Informação responsável pela plataforma DocsIA, de gestão de documentos.

Sobre a KeepTrue (https://www.keeptrue.com/)

A KeepTrue é um hub de startups de Tecnologia da Informação com foco em automação e Inteligência Artificial. Através de soluções integradas na nuvem, a empresa promove a otimização de processos dos clientes, reduz seus custos e aumenta a produtividade. Com experiência no mercado de TI e projetos em clientes de grande e médio porte, seu objetivo é transformar as operações em modelos Data Driven.