Últimas notícias

Fique informado

Desafios da IoT a partir de um novo cenário de regulamentações da cibersegurança

27 de novembro de 2023

Spotlight

O Halving do Bitcoin: Entendendo o Evento que Redefine a Oferta da Criptomoeda. Por Susana Taboas

Uma visão geral do que é o halving do Bitcoin e sua importância no contexto da economia digital.

17 de abril de 2024

Bertacchini da Nethone compartilha sua visão sobre o cenário atual de fraudes digitais

Tivemos a oportunidade de conversar com Bertacchini, especialista em Desenvolvimento de Negócios Sênior na Nethone, sobre como as empresas podem se blindar contra ciberameaças.

17 de abril de 2024

Do primeiro Robô Advogado ao ChatGPT: Você sabe como as IAs podem impactar o futuro do setor jurídico?

Assista o webinar na íntegra, gratuitamente pelo canal oficial da doc9 no YouTube e obtenha insights essenciais sobre como aproveitar ao máximo as tecnologias emergentes e manter vantagem competitiva neste setor em constante evolução.

28 de março de 2024

AX4B: 64% das empresas brasileiras não possuem soluções corporativas de antivírus, apesar do aumento de 7% nos ataques cibernéticos

A AX4B acaba de divulgar os resultados de sua mais recente pesquisa sobre a situação da segurança cibernética no Brasil.

26 de março de 2024

Segurança em IoT: conheça três maneiras de evitar ataques virtuais

Aumento no roubo de dados e informações no ambiente virtual tem desafiado as empresas a elevar a proteção e segurança de suas operações

28 de fevereiro de 2023

IoT: entenda como essa tecnologia impulsiona negócios

Seja na indústria ou nas cidades, a Internet das Coisas (IoT) tem impactado positiva e diretamente os mais variados processos

15 de fevereiro de 2023

IoT, IA, cadeias de suprimentos: quais setores devem enfrentar mais desafios de segurança em 2023?

O ano de 2022 foi marcado por diversos ataques cibernéticos, e foi de grande turbulência para equipes de segurança de organizações pelo mundo

9 de fevereiro de 2023

Os ataques cibernéticos à IoT aumentam a cada dia, se tornando mais sofisticados, difundidos e destrutivos

Fernando de Falchi, gerente de Engenharia de Segurança da Check Point Software Brasil

Os ataques cibernéticos à Internet das Coisas (IoT) aumentam a cada dia e, infelizmente, estão se tornando mais sofisticados, difundidos e destrutivos para qualquer negócio.

Temos acompanhado um grande número de exemplos em que centenas de milhares de dispositivos conectados foram atacados por malware que se espalhou por toda a rede, infectando PCs, servidores e ativos internos com ransomware, mineradores de criptografia, cavalos de Troia, botnets e muito mais.

Com um aumento de 41% nos ataques cibernéticos contra dispositivos de IoT só este ano, é imperativo que reforcemos estes dispositivos vulneráveis com segurança de ponta e também por meio de regulamentações.

De acordo com a Statista, prevê-se que o número de dispositivos de Internet das Coisas (IoT) em todo o mundo quase duplique, passando de 15,1 bilhões em 2020 para mais de 29 bilhões de dispositivos IoT em 2030.

Nos Estados Unidos, a Lei de Melhoria da Cibersegurança da IoT foi aprovada em 2020 e o Instituto Nacional de Normas e Tecnologia (NIST) foi incumbido de criar uma norma de cibersegurança para dispositivos IoT.

Em outubro de 2022, a Casa Branca emitiu uma ficha informativa para implementar um rótulo para dispositivos IoT, começando com roteadores e câmaras domésticas que indicam o seu nível de cibersegurança.

Na União Europeia, o Parlamento Europeu introduziu a Lei de Cibersegurança e a Lei de Resiliência Cibernética, que estabelecem vários requisitos a serem cumpridos pelos fabricantes antes de um produto poder receber a certificação CE e ser comercializado na Europa.

Isto inclui fases de avaliação, comunicação e gestão de ciberataques ou vulnerabilidades ao longo do ciclo de vida do produto.

No Brasil, o Plano Nacional de Internet das Coisas foi instituído pelo Decreto nº 9.854, de 25 de junho de 2019, cujo objetivo é implementar e desenvolver a IoT no país, “com base na livre concorrência e na livre circulação de dados, observadas as diretrizes de segurança da informação e de proteção de dados pessoais”.

Assim, o plano visa melhorar a qualidade de vida das pessoas e promover ganhos de eficiência nos serviços.

Como os elementos-chave das regulamentações de segurança de IoT criam melhores práticas a serem adotadas:

Atualizações de software: os fabricantes devem oferecer a opção de atualizações de firmware e garantir a validade e a integridade das atualizações, em especial no que se refere às correções de segurança.

Proteção de dados: os regulamentos seguem o conceito de “minimização de dados”, recolhendo apenas os dados necessários com o consentimento do usuário e tratando e armazenando de forma segura os dados confidenciais de forma criptografada.

Avaliação de riscos: os criadores devem seguir um processo de gestão de riscos durante a fase de projeto e desenvolvimento, ao longo do ciclo de vida do produto, incluindo a análise de vulnerabilidades e exposições comuns (CVE), além de lançar correções para novas vulnerabilidades.

Configuração dos dispositivos: os dispositivos devem ser lançados com configurações de segurança predefinidas e ter os componentes perigosos removidos, as interfaces fechadas quando não estão a ser utilizadas e uma superfície de ataque minimizada através do “princípio do menor privilégio” para os processos.

Autenticação e autorização: os serviços e as comunicações devem exigir autenticação e autorização, com proteção contra os ataques de força bruta ao início de sessão e uma política de complexidade das senhas.

Comunicação segura: a comunicação entre os ativos de IoT deve ser autenticada e criptografada utilizando protocolos e portas seguros.

Além disso, com o aumento da dependência que as organizações têm dos dispositivos de IoT para operações diárias, é crucial que permaneçam vigilantes e proativas na segurança desses dispositivos, e as principais medidas que podem ser tomadas para melhorar a segurança dos dispositivos de IoT são:

1. Aquisição de dispositivos de IoT de marcas conceituadas que dão prioridade à proteção, implementando medidas de segurança dentro dos dispositivos antes da sua distribuição para o mercado.

2. Praticar políticas de complexidade de senhas e utilizar autenticação de múltiplos fatores (MFA) quando aplicável.

3. Assegurar que os dispositivos conectados sejam atualizados com o software mais recente e manter a boa integridade do dispositivo.

4. Aplicação de perfis de acesso à rede Zero Trust para os ativos conectados.

5 .Separar redes para TI e IoT sempre que possível.

À medida que a tecnologia continua evoluindo, o mesmo acontece com a sofisticação e a frequência dos ataques cibernéticos. Ao implementar medidas de segurança robustas e conhecer mais sobre as ameaças e práticas recomendadas mais recentes, as organizações podem proteger melhor a si mesmas e aos seus dispositivos IoT contra os cibercriminosos.

Sobre a Check Point Software Technologies Ltd.

A Check Point Software Technologies Ltd. é um fornecedor líder em soluções de cibersegurança para empresas privadas e governos em todo o mundo. O portfólio de soluções do Check Point Infinity protege organizações privadas e públicas contra os ataques cibernéticos de 5ª geração com uma taxa de detecção de malware, ransomware e outras ameaças que é líder de mercado.

O Infinity compreende quatro pilares principais, oferecendo segurança total e prevenção contra ameaças avançadas em ambientes corporativos: Check Point Harmony, para usuários remotos; Check Point CloudGuard, para proteger nuvens automaticamente; Check Point Quantum, para proteger perímetros de rede e data centers, todos controlados pelo gerenciamento de segurança unificado mais abrangente e intuitivo do setor; e Check Point Horizon, uma suíte de operações de segurança que prioriza a prevenção. A Check Point Software protege mais de 100.000 organizações de todos os portes.

Entrevista com Fernando Parlangeli, da emnify, sobre IoT e a Futurecom 2023

O poder e os desafios da IoT e como a PKI e o novo protocolo Matter podem ajudar? Por Regina Tupinambá

Como a IoT viabiliza as Smart Cities? Executiva lista 4 benefícios

Somos o maior portal brasileiro sobre Criptografia e Identificação Digital.

Com uma década de existência, temos um público de cerca de 2 milhões de leitores por ano.

As empresas que nos apoiam e nossos colunistas ajudam a criar um mundo digital mais seguro, confiável e tranquilo.

Acompanhe o Crypto ID nas redes sociais!

CATEGORIAS

Destaques IoT Notícias