Últimas notícias

Fique informado

Rede de Educação Santa Marcelina amplia iniciativas voltadas à LGPD

8 de junho de 2023

Spotlight

Entenda o que mudou na assinatura eletrônica em documentos a partir do Decreto nº 68306

Qual o impacto do Decreto nº 68.306 na assinatura eletrônica, simplificação de processos e nos avanços da digitalização dos serviços públicos?

24 de abril de 2024

AX4B impulsiona a resiliência cibernética de Pequenas e Médias Empresas

Conheça como a AX4B está revolucionando a Segurança Cibernética para PMEs.

24 de abril de 2024

O Halving do Bitcoin: Entendendo o Evento que Redefine a Oferta da Criptomoeda. Por Susana Taboas

Uma visão geral do que é o halving do Bitcoin e sua importância no contexto da economia digital.

17 de abril de 2024

Do primeiro Robô Advogado ao ChatGPT: Você sabe como as IAs podem impactar o futuro do setor jurídico?

Assista o webinar na íntegra, gratuitamente pelo canal oficial da doc9 no YouTube e obtenha insights essenciais sobre como aproveitar ao máximo as tecnologias emergentes e manter vantagem competitiva neste setor em constante evolução.

28 de março de 2024

AX4B: 64% das empresas brasileiras não possuem soluções corporativas de antivírus, apesar do aumento de 7% nos ataques cibernéticos

A AX4B acaba de divulgar os resultados de sua mais recente pesquisa sobre a situação da segurança cibernética no Brasil.

26 de março de 2024

LGPD pode diminuir vazamento de dados em redes sociais

Especialista em consultoria empresarial explica como as redes sociais podem reduzir as invasões às suas bases de dados

26 de dezembro de 2022

LGPD: Falta de recursos atrasa adequação de empresas à legislação

Pesquisa do Grupo Darys aponta que 80% das corporações brasileiras não estão completamente adequadas com a legislação LGPD vigente desde 2021

21 de dezembro de 2022

Pesquisadores lançam dados e análises sobre o uso da LGPD no Brasil

O painel analisou 1.789 documentos da justiça brasileira que envolviam o uso da LGPD, entre setembro de 2020 a setembro de 2022

12 de dezembro de 2022

Objetivo da iniciativa é reforçar o papel exercido pela instituição como referência em proteção de dados pessoais e segurança da informação

A Rede de Educação Santa Marcelina, instituição que alia a tradição de gerações à inovação presente em uma proposta educacional disruptiva, intensificou suas atividades voltadas à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), com objetivo de reforçar o papel exercido pela Rede como referência em segurança digital e proteção de dados no setor de educação.

Para expandir as práticas relacionadas à segurança da informação, a instituição adotou, recentemente, Adoção de uma plataforma central com diversas ferramentas para gestão de dados, e que oferece um canal de comunicação para que os titulares de dados pessoais se comuniquem diretamente com a Rede e com o Encarregado de Dados Pessoais.

De acordo com integrante do Comitê da LGPD da Rede de Educação Santa Marcelina Eduardo de Oliveira Passos, mesmo antes da lei entrar em vigor, a instituição já havia iniciado um extenso trabalho para garantir a proteção de dados pessoais dos estudantes, famílias, colaboradores, fornecedores e parceiros de forma geral, por meio de uma série de iniciativas centradas no tema.

“O primeiro passo realizado foi a criação do Comitê de LGPD na instituição, com o objetivo de promover e contribuir ativamente para o cumprimento da Lei”, explica.

Atualmente, o Comitê é formado pelas seguintes áreas: Religiosa Associada; Tecnologia da Informação; Assessoria Jurídica; Financeiro; Recursos Humanos; Controladoria; Marketing e Comunicação; Encarregado pelo Tratamento de Dados Pessoais e Liderança de Projetos; além das Unidades da Rede de Educação Santa Marcelina, quando chamados pela Coordenação do Comitê de LGPD, e de pessoas que possam contribuir com seus conhecimentos, nomeadas, também, pela Coordenação do Comitê.

Passos ressalta que o objetivo da instituição é reforçar o pioneirismo, a referência e o caráter inovador da Rede com relação à segurança da informação, com relação a todos aqueles que tenham qualquer vínculo institucional.

“Não apenas na internet, como em todos os ambientes, sejam físicos ou virtuais, a privacidade de dados está intimamente ligada à proteção e à garantia dos direitos humanos fundamentais. Ter compromisso com as pessoas que confiam seus dados é uma responsabilidade direta e nosso objetivo é demonstrar a importância disso para o setor educacional e para a sociedade como um todo”, esclarece.

O especialista destaca ainda que a composição do Comitê levou em consideração o atendimento a todas as áreas da instituição.

“A multidisciplinaridade na formação do Comitê de LGPD foi uma maneira de assegurar que todos os assuntos abordados sejam analisados por ao menos um especialista diretamente relacionado ao tema, cobrindo todos os setores da organização e garantindo a proteção dos dados com rigor e cautela”, acrescenta Passos.

Conscientização de colaboradores e estudantes sobre a importância da LGPD

Além da formação do Comitê, a instituição tem promovido diversas outras ações, a fim de difundir a relevância da proteção de dados na organização.

Como trata-se de uma Rede de Educação, com Colégios, Faculdades e Obras Socioeducacionais em diferentes Estados do País, foi designada a figura de “Embaixadores”, que são colaboradores indicados para atuar como apoio essencial às ações estabelecidas pelo Comitê Multidisciplinar e Encarregado de Dados Pessoais, com foco em disseminação e nivelamento de conhecimento dos temas que envolvem a LGPD.

A partir disto, todos os colaboradores participam, recorrentemente, de capacitações sobre o tema, além de reciclagens periódicas e treinamentos.

Como a conscientização dos colaboradores é um pilar prioritário para o sucesso desta iniciativa, a instituição desenvolveu um projeto de Gamificação LGPD com foco em capacitação sobre a lei, envolvendo parte da equipe.

Além disso, foram elaborados materiais para compor o programa de integração para novos colaboradores, bem como campanhas para conscientização de forma contínua.

Desde então, o foco torna-se a difusão de informações sobre a importância da LGPD e da privacidade e proteção de dados pessoais, ampliando a conscientização e responsabilidade sobre os direitos e deveres inerentes ao tema.

Sobre a Rede de Educação Santa Marcelina

O Instituto Internacional das Irmãs de Santa Marcelina foi fundado em 1838 por Monsenhor Luigi Biraghi, com o auxílio de Marina Videmari, em Milão, na Itália.

Dedicada à educação, à saúde e à assistência social, a Congregação difundiu-se globalmente a partir da instituição de colégios, hospitais e obras sociais.

Atualmente, presente em 8 países, espalhados por 3 continentes, e em 17 municípios e 9 estados brasileiros, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Tocantins, o Instituto segue com a missão de levar adiante, com empenho e entusiasmo, a educação, a formação, a cura e a construção do ser humano íntegro e da sociedade.

Tudo isto alinhado à uma metodologia inovadora de aprendizagem, alinhada às principais tendências do mercado educacional.

Educação: um dos setores negligenciados na Cibersegurança

ChatGPT e o futuro da educação

Educação, metaverso e empreendedorismo: a inclusão das mulheres nos papéis de liderança no setor