Últimas notícias

Fique informado
Algoritmo Falcon co-desenvolvido com a Thales foi selecionado pelo NIST como um novo padrão em criptografia pós-quântica

Algoritmo Falcon co-desenvolvido com a Thales foi selecionado pelo NIST como um novo padrão em criptografia pós-quântica

25 de julho de 2022

Spotlight

Heather Vescent, pensadora e futurista do setor de identidade digital fala sobre ID no Metaverso

“Estamos começando a ver empresas de identidade digital aplicarem suas soluções para um mercado metaverso. Faz sentido resolver os casos de uso de hoje e planejar um mercado futuro”

9 de agosto de 2022

Telecomunicações, a raiz para os desafios de segurança cibernética

Alguns dos maiores golpes de inteligência artificial da história foram resultado do comprometimento dos sistemas de telecomunicações

8 de agosto de 2022

O que é criptografia assimétrica – ID Plus #10

No Id Plus dessa semana, a equipe de redação te explica o que é a criptografia assimétrica e como ela se aplica em nosso cotidiano

8 de agosto de 2022

FEBRABAN TECH traz renomados keynotes internacionais e nacionais para a edição 2022

Ban Ki-moon, Paul Krugman, Makaziwe Mandela, Ilan Goldfajn, Roberto Campos Neto e o ex-jogador Cafu estão entre os destaques do tradicional evento de tecnologia, que ocorre de 9 a 11 de agosto, na Bienal de São Paulo

3 de agosto de 2022

CISO Forum Brazil 2022 acontece 100% on line com o apoio do CRYPTO ID

CISO Forum Brazil 2022, a ser realizado nos dias 18, 19 e 20 de outubro de 2022 de forma 100% online.

25 de julho de 2022

NIST anuncia os primeiros quatro algoritmos criptográficos resistentes ao computador quântico

Os 4 algoritmos de criptografia selecionados farão parte do padrão criptográfico pós-quântico do NIST.

6 de julho de 2022

NIST selecionou o algoritmo de criptografia Falcon por sua segurança extremamente forte e alta eficiência na largura de banda

Após o lançamento em 2017 de um desafio global para definir futuros padrões de criptografia pós-quântica em assinaturas digitais e criptografia de chave pública, que atraiu 82 candidatos de 25 países, o NIST selecionou o algoritmo Falcon co-desenvolvidopor sua segurança extremamente forte e alta eficiência na largura de banda

O Falcon foi co-desenvolvido pela Thales em conjunto com parceiros acadêmicos e industriais da França (Universidade de Rennes 1, PQShield SAS), Suíça (IBM), Canadá (NCC Group) e Estados Unidos (Brown University, Qualcomm). 

Ele foi selecionado pelo NIST juntamente com dois outros algoritmos como padrão para assinaturas digitais, enquanto um quarto algoritmo foi considerado padrão para criptografia de chave pública/KEM. 

A Thales foi o único grupo de tecnologia que atende aos mercados de defesa, aeroespacial e identidade digital a participar da competição NIST.

A criptografia pós-quântica permite que computadores convencionais resistam a ataques de computadores quânticos em larga escala, que muitos especialistas acreditam que podem aparecer nos próximos anos. Espera-se que as máquinas quânticas aumentem o poder de processamento dos computadores atuais a tal ponto que possam quebrar os algoritmos criptográficos atuais em questão de segundos.

Este ‘salto quântico’ no poder da computação pode dar início a um “criptoapocalipse”, colocando ameaças muito reais e sérias à segurança dos sistemas digitais, cidadãos e organizações em todo o mundo confiam no dia-a-dia, como sistemas de informação críticos, em -line banking, cartões de pagamento, comércio eletrônico, assinaturas eletrônicas ou votação on-line.

Um hacker com um computador quântico, por exemplo, poderia facilmente obter acesso a dados confidenciais, roubar a identidade de outra pessoa ou falsificar transações e contratos legais. Da mesma forma, a segurança de uma nação pode ser ameaçada se seus sistemas críticos de comunicação forem alvo de um ataque quântico.

Novos algoritmos, como o Falcon, são resistentes ao quantum porque são baseados em problemas matemáticos que estão entre os mais difíceis de resolver, mesmo para um computador quântico.

As organizações que desejam proteger seus dados em um mundo Zero Trust devem adotar uma forte estratégia de agilidade de criptografia quântica. 

As equipes de consultoria de soluções cibernéticas da Thales desenvolveram uma oferta de arquitetura cibernética pós-quântica para ajudar seus clientes a se prepararem para a ameaça de ataques cibernéticos por computadores quânticos.

A Thales também fornece criptografia de rede resistente ao quantum e módulos de segurança de hardware que são capazes de proteger os dados do cliente contra futuros ataques quânticos, já permitindo que os clientes implementem uma série de algoritmos Quantum Resistant.

A Thales está na vanguarda da pesquisa de criptografia pós-quântica desde 2013, e a seleção do algoritmo Falcon pelo NIST é um grande reconhecimento do excelente trabalho de codesenvolvimento e experiência de nossas equipes de criptografia. Prosseguiremos nossa pesquisa contínua na França e na Europa para desenvolver soluções inovadoras e confiáveis ​​que sejam resistentes quanticamente, sem comprometer o desempenho e que já estejam ajudando nossos clientes em sua transição para uma nova geração de soluções de segurança, para evitar um futuro ‘cripto-apocalipse’.” disse Pierre-Yves Jolivet, vice-presidente de soluções de defesa cibernética da Thales

Thales e os desafios da mecânica quântica

A mecânica quântica, que nasceu no início do século 20, é o estudo do comportamento de partículas elementares, como átomos, nêutrons, fótons e quarks.

Grandes avanços foram feitos no campo imediatamente após a Segunda Guerra Mundial, com a invenção do laser e do transistor. Isso, por sua vez, levou a aplicações que ainda encontramos em todas as áreas do nosso dia-a-dia, incluindo feixes de laser – em BluRay players e em equipamentos médicos – leitores de código de barras, microeletrônica e os relógios atômicos que estão no coração dos carros ‘ sistemas de navegação por satélite.

Hoje, uma nova revolução está a caminho. O uso das propriedades quânticas da matéria nos dá um vislumbre das melhorias que podem ser obtidas em relação aos instrumentos de medição convencionais: fatores entre 10 e 100, e até, em alguns casos, até 1.000. Isso abrirá inúmeras oportunidades do ponto de vista industrial – desde carros e defesa até saúde e meio ambiente – já que não há limites para o quão inventiva essa tecnologia pode ser aplicada.

Descubra como a Thales está lançando as bases para esta nova revolução.

Criptografia para assinaturas digital

Para assinaturas digitais, frequentemente usadas quando precisamos verificar identidades durante uma transação digital ou assinar um documento remotamente, o NIST selecionou os três algoritmos CRYSTALS-DilithiumFALCON e SPHINCS+ (lido como “Sphincs plus”). 

Os revisores notaram a alta eficiência dos dois primeiros, e o NIST recomenda o CRYSTALS-Dilithium como o algoritmo principal, com o FALCON para aplicativos que precisam de assinaturas menores do que o Dilithium pode fornecer. 

O terceiro, SPHINCS+, é um pouco maior e mais lento que os outros dois, mas é valioso como backup por uma razão principal: é baseado em uma abordagem matemática diferente das três outras seleções do NIST. Continue lendo em… NIST anuncia de 5 de julho de 2022 os primeiros quatro algoritmos criptográficos resistentes ao computador quântico.

Sobre a Thales

Thales (Euronext Paris: HO) é líder global em tecnologias avançadas, investindo em tecnologia digital e inovações de “tecnologia profunda” – conectividade, big data, inteligência artificial, segurança cibernética e computação quântica – para construir um futuro confiante e crucial para o desenvolvimento de nossas sociedades.

O Grupo oferece a seus clientes – empresas, organizações e governos nos domínios de defesa, aeronáutica, espaço, transporte e identidade digital e segurança – soluções, serviços e produtos que os ajudam a cumprir sua função crítica, sendo a consideração pelo indivíduo a força motriz por trás de todas as decisões. A Thales tem 81.000 funcionários em 68 países. Em 2020, o Grupo gerou vendas de € 17 bilhões.

Leia outros artigos da Thales aqui no Crypto ID!

Índice de gestão de acesso da Thales de 2021: edição da América Latina: Desafios do acesso confiável em um mundo onde a nuvem predomina Clique aqui e leia o relatório!

Assista a entrevista com Abílio Branco e Sergio Muniz – Cibersegurança no cenário brasileiro do 5G

O impacto da computação quântica e dados em nuvem segundo Relatório de Ameaças de Dados da Thales de 2020. Ouça

NIST anuncia de 5 de julho de 2022 os primeiros quatro algoritmos criptográficos resistentes ao computador quântico.

NIST anuncia os primeiros quatro algoritmos criptográficos resistentes ao computador quântico

NIST atualiza o padrão de credencial de identidade pessoal FIPS 201

Viveremos no mundo da computação quântica. Por Eduardo Lacerda

O que é Criptografia?

Temos muitos artigos sobre criptografia publicados em nossa coluna especial!

Abaixo apresentamos os principais conceitos, mas se você é um especialista em criptografia não deixe de ler o artigo: NIST anuncia de 5 de julho de 2022 os primeiros quatro algoritmos criptográficos resistentes ao computador quântico.

Criptografia é uma ciência secular que utiliza a cifragem dos dados para embaralhar as informações de forma que apenas os que detém a chave para decriptografar os dados tenham acesso à informação original.

Criptografia Simétrica utiliza uma chave única para cifrar e decifrar a mensagem. Nesse caso o segredo é compartilhado.

Criptografia Assimétrica utiliza um par de chaves: uma chave pública e outra privada que se relacionam por meio de um algoritmo.  O que for criptografado pelo conjunto dessas duas chaves só é decriptografado quando ocorre novamente o match.  

Criptografia Quântica utiliza algumas características fundamentais da física quântica as quais asseguram o sigilo das informações e soluciona a questão da Distribuição de Chaves Quânticas – Quantum Key Distribution.

Criptografia Homomórfica refere-se a uma classe de métodos de criptografia imaginados por Rivest, Adleman e Dertouzos já em 1978 e construída pela primeira vez por Craig Gentry em 2009. A criptografia homomórfica difere dos métodos de criptografia típicos porque permite a computação para ser executado diretamente em dados criptografados sem exigir acesso a uma chave secreta. O resultado de tal cálculo permanece na forma criptografada e pode, posteriormente, ser revelado pelo proprietário da chave secreta.