Últimas notícias

Fique informado

Estratégia Nacional de Segurança Cibernética – E-Ciber

6 de fevereiro de 2020

Spotlight

Reconhecimento facial sem prova de vida está com os dias contados, afirma CEO de uma das principais plataformas brasileiras de biometria facial

Conversamos com José Luis Volpini, CEO da CredDefense, uma das pioneiras e mais conceituadas plataformas de biometria facial do mercado brasileiro.

6 de janeiro de 2021

Carimbo do Tempo dá início ao fim da era dos protocolos proprietários na ICP-Brasil. Ouça

Segundo Dr. Roberto Gallo, o fim da era dos protocolos proprietários na ICP-Brasil tem data marcada e deve beneficiar fabricantes, prestadores de serviços e clientes finais.

28 de dezembro de 2020

Em tempo de mobilidade extrema e home office, como controlar o perímetro de segurança da empresa? Ouça

Conversamos com Jan Rochat da AET Europe, sobre a eficiência das tecnologias que protegem as informações das empresas, especialmente nesse momento de extrema necessidade de mobilidade das pessoas em “home office.

8 de dezembro de 2020

Identificar, confiar e conectar. Quantas vezes por dia nos autenticamos?

Controlar credencias de acesso nas organizações é tão difícil quanto

2 de dezembro de 2020

Doutor Fabiano Menke Concede Entrevista Sobre a Evolução das Assinaturas Eletrônicas

Nesta entrevista Dr. Fabiano Menke fala sobre a Lei 14.063 de setembro de 2020 e sobre o Decreto 14.543 de novembro de 2020 sobre os tipos de assinaturas eletrônicas

25 de novembro de 2020

Segundo a advogada Patricia Peck a Estratégia Nacional de Segurança Cibernética é aprovada mas redação deixa a desejar

Em comparação com as estratégias elaboradas por outros locais, como o Chile, os Estados Unidos ou a União Europeia (Diretiva n.º 2016/1148), o Brasil ainda está muito aquém em termos de redação.

6 de fevereiro de 2020

Brazil Cyber Summit 2020 – NOVA DATA

Diante das preocupações crescentes acerca do Coronavírus, tomamos a decisão

23 de janeiro de 2020

O presidente da república aprovou ontem de 5 de fevereiro de 2020 a Estratégia Nacional de Segurança Cibernética – E-Ciber, conforme o disposto no inciso I do art. 6º do Decreto nº 9.637, de 26 de dezembro de 2018.

A E-Ciber, além de preencher importante lacuna no arcabouço normativo nacional sobre segurança cibernética, estabelece ações com vistas a modificar, de forma cooperativa e em âmbito nacional, características que refletem o posicionamento de instituições e de indivíduos sobre o assunto.

A medida é uma orientação do governo sobre as principais ações por ele pretendidas, em termos nacionais e internacionais, na área da segurança cibernética.

Rafael Narezzi, especialista brasileiro em Cibersegurança, professor de mestrado na Universidade West London, na Inglaterra, e idealizador da conferência internacional Cyber Security Summit Brasil comenta a aprovação do decreto.

Rafael Narezzi é especialista brasileiro em Cibersegurança

“Esse decreto demonstra o desenvolvimento de uma maturidade do Brasil quanto ao tema segurança cibernética, no qual dá importância a uma questão de extrema relevância para a sociedade brasileira. A Estratégia Nacional de Segurança Cibernética (E-Ciber) simboliza que as coisas em prol de uma prática de cibersegurança estão começando a se mover.

Isso demonstra ainda que diversos setores, não somente o da cibersegurança – que é um dos pilares -, estão evoluindo no mundo digital e tendem só a aumentar, trazendo melhores perspectivas.”

“Esse é um setor que merece atenção, já que a transformação e evolução digital dependem da segurança cibernética para obterem êxito. Em razão desse fator, o mercado vive um momento de alta demanda e escassez da mão de obra especializada. Como exemplo disso, as próprias empresas de tecnologia e inovação passaram a capacitar profissionais em cibersegurança para ajudar a demanda a crescer. Amazon e Walmart são grandes cases de sucesso. Investir em Segurança Cibernética é investir no futuro e no desenvolvimento do Brasil”, conclui Rafael Narezzi .

A Estratégia Nacional de Segurança Cibernética – E-Ciber é a orientação do Governo federal à sociedade brasileira sobre as principais ações por ele pretendidas, em termos nacionais e internacionais, na área da segurança cibernética e terá validade no quadriênio 2020-2023.

Em 2015, o Governo federal deu publicidade à Estratégia de Segurança da Informação e Comunicações e de Segurança Cibernética da Administração Pública Federal e com isso impulsionou as discussões sobre o tema no âmbito da Administração Pública federal, e também em outros setores da sociedade.

Decreto nº 9.637, de 26 de dezembro de 2018, que instituiu a Política Nacional de Segurança da Informação e dispõe sobre princípios, objetivos, instrumentos, atribuições e competências de segurança da informação para os órgãos e entidades da Administração Pública federal, sob o prisma da governança, previu, para sua implementação, a elaboração da Estratégia Nacional de Segurança da Informação e dos Planos Nacionais.

Em virtude da abrangência da Segurança da Informação o Decreto nº 9.637, de 2018, indicou, em seu art. 6º, que a Estratégia Nacional de Segurança da Informação seja construída em módulos, a fim de contemplar a segurança cibernética, a defesa cibernética, a segurança das infraestruturas críticas, a segurança da informação sigilosa e a proteção contra vazamento de dados.

Por coordenação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, e com participação de mais de quarenta órgãos e entidades do Governo, além de instituições privadas e do setor acadêmico, que foram distribuídos em três subgrupos de trabalho, foi elaborada a presente E-Ciber, após trinta e uma reuniões e sete meses de estudos e de debates.

Por meio de metodologia bottom up, e com base nas conclusões dos subgrupos de trabalho, em avaliação comparativa – benchmarking sobre estratégias correlatas de outros países, e em cumprimento ao contido na Política Nacional de Segurança da Informação, chegou-se ao diagnóstico da segurança cibernética global e do Brasil.

Em seguida, foram estabelecidos os objetivos estratégicos nacionais, e as respectivas ações estratégicas, segundo sete eixos de atuação, que demonstram à sociedade brasileira os pontos considerados relevantes para o País na área da segurança cibernética.

  Veja aqui a integra publicada no diário oficial em 6 de fevereiro de 2020

 

Certificado ICP-Brasil fortalece as ações de governança cibernética nacional

Entenda sobre a documentação digital e o papel do Brasil nesse processo – Ouça

As 10 melhores ferramentas de verificação de vulnerabilidades para testes de penetração – 2019

29set01outEvento CanceladoBrazil Cyber Summit 2020 - NOVA DATAExplore a tecnologia, percepções e tendências que dão forma ao futuro da cyber e dos negócios 29 de setembro a 01 de outubro de 2020 | Brasília (setembro 29) 08:00 - (outubro 1) 18:00 Brasilia Hotel Royal Tulip Brasilia Alvorada, SHTN Trecho 1 Conjunto 1B - Bloco C - Asa Norte, Brasília

01jan00:0000:0000:00 - 00:00