Últimas notícias

Fique informado

Apenas 40% das empresas vítimas de ataques reforçam regras de cibersegurança, diz Kaspersky

4 de maio de 2021

Spotlight

Facebook fala sobre o incidente de 4 de outubro

“Agora que nossas plataformas estão funcionando normalmente após a interrupção de 4 de outubro achei que valeria a pena compartilhar,”Santosh Janardhan.

6 de outubro de 2021

Pesquisa da Kaspersky mostra que alteração na autenticação de empregados e de clientes são medidas mais comuns e reforço da cibersegurança se torna atípico

No início de 2021 vimos casos importantes de vazamentos de dados, deboche de hacker e cobrança de atuação mais forte da Autoridade Nacional de Proteção de Dados.

Mas será que isso realmente ajuda a aumentar o nível de proteção das informações? Nova pesquisa da Kaspersky mostra que precisamos melhorar: apenas 4 em cada 10 empresas brasileiras que sofreram um incidente adotaram novas políticas ou requerimentos adicionais para melhorar a segurança digital. 

O relatório também traz outras medidas comuns: alteração na autenticação de empregados e subcontratados (34%), na autenticação de clientes (35%), notificação do provedor de serviço sobre a violação (32%) e troca da solução de segurança (31%). O mais curioso é que 10% das empresas vítimas de um ciberataque bem-sucedido não faz nada. 

Roberto Rebouças, Country Manager Brazil da Kaspersky

Para Roberto Rebouças, gerente-executivo da Kaspersky no Brasil, a impressão é que as empresas apenas fazem um remendo em sua estrutura de segurança.

Equipes de segurança no Brasil sempre agiram como bombeiros – apagando o fogo o tempo todo. Os dados mostram que isso ainda não mudou – quando há um incidente que explorou uma credencial (de funcionário, terceirizado ou cliente), o problema é corrigido e pronto. Mas não se leva em consideração que, se o criminoso entrou uma vez, vai procurar outra maneira de atacar.”

Para o executivo, as empresas precisam adotar uma postura proativa para sua segurança digital. “Uma forma de fazer isso é permitir que a equipe de segurança receba informações – serviços de Threat Intelligence – sobre as novas técnicas que os cibercriminosos estão utilizando e, a partir delas, ajustar as políticas e configurações de segurança em aplicações, serviços online e equipamentos.

“Outra ação muito importante são treinamentos de segurança para os funcionários e exigi-los também das empresas prestadoras de serviços. Parece trivial, mas conhecimento pode evitar alguns problemas de autenticação que o estudo apresentou”, ressalta Rebouças. 

Sobre a Kaspersky 

A Kaspersky é uma empresa internacional de cibersegurança e privacidade digital fundada em 1997. Seu conhecimento detalhado de Threat Intelligence e especialização em segurança se transformam continuamente em soluções e serviços de segurança inovadores para proteger empresas, infraestruturas industriais, governos e consumidores finais do mundo inteiro.

O abrangente portfólio de segurança da empresa inclui excelentes soluções de proteção de endpoints e muitas soluções e serviços de segurança especializada para combater ameaças digitais sofisticadas e em evolução. Mais de 400 milhões de usuários são protegidos pelas tecnologias da Kaspersky e ela ajuda 240.000 clientes corporativos a proteger o que é mais importante para eles.  http://www.kaspersky.com.br

Kaspersky encontra série de apps falsos sobre auxílio emergencial na Google Play

Nova solução na nuvem da Kaspersky para PMEs incorpora tecnologia EDR. Ouça!

Metade dos brasileiros evitaria contratar um serviço online que sofreu violação de dados, indica Kaspersky