Últimas notícias

Fique informado

PIX: A BluPay, empresa do grupo Valid, explica detalhes da tecnologia que vai revolucionar o mercado. Ouça

06/10/2020

Spotlight

ONLYOFFICE, plataforma colaborativa, apresenta sua estrutura de segurança de dados

Confira a entrevista na íntegra com Nadya Knyazeva, Gerente de Comunicação da ONLYOFFICE, a plataforma open source que possui mais de sete milhões de usuários no mundo

27/11/2020

Lei da Internet das Coisas segue para sanção presidencial e deve impulsionar o mercado de eIDs

Os equipamentos que utilizam a Internet precisam ser identificados para a autenticação precisa máquina a máquina e, em alguns casos, é primordial estarem blindados contra invasões hackers.

26/11/2020

Doutor Fabiano Menke Concede Entrevista Sobre a Evolução das Assinaturas Eletrônicas

Nesta entrevista Dr. Fabiano Menke fala sobre a Lei 14.063 de setembro de 2020 e sobre o Decreto 14.543 de novembro de 2020 sobre os tipos de assinaturas eletrônicas

25/11/2020

A certificação de plataformas de telemedicina para uso da assinatura digital

O uso de certificados digitais para assinatura de documentos clínicos é adotado no Brasil desde a primeira resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), em 2007

25/11/2020

Decreto 14.543/2020 regulamenta o artigo 5º da Lei 14.063/2020

O decreto 14.543/20 define alguns requisitos do artigo 5º Lei 14.063/2020.

16/11/2020

A primeira etapa do Pix começou ontem, dia 5 de outubro de 2020!

Você e sua empresa já estão preparados para adotar essa nova forma de pagamento?

A chave Pix será a sua identificação no sistema. O objetivo que fique mais fácil compartilhar seus dados bancários a cada operação.

Selecione como chave o seu e-mail, CPF, CNPJ ou número de telefone.

Uma opção é requisitar uma chave aleatória. Essa chave é um código elaborado pelo Banco Central, com letras e números.

Para pessoas físicas, até 5 chaves por conta bancária podem ser cadastradas. O limite para pessoas jurídicas é de 20 chaves.

A partir de 16 de novembro, começam as operações do Pix. E com as chaves Pix, fazer e receber transferências será muito mais rápido e simples.

BluPay tem soluções de pagamentos já integradas ao Pix. Quer saber mais sobre o novo sistema de pagamentos instantâneos?

Primeira etapa do Pix está agendada para outubro

Este é um ano de muitas inovações tecnológicas no Brasil e no mundo. Enquanto termos como Internet das Coisas, 5G e Open Banking dividem espaço no noticiário, uma palavrinha de apenas três letras tem chamado a atenção: Pix! Trata-se do novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central do Brasil (BC), que chega para mudar a forma como fazemos e recebemos pagamentos.

Os objetivos do Pix são animadores. Estamos falando de uma plataforma que possibilitará transferências financeiras realizadas em segundos, funcionando 24 horas por dia e 7 dias por semana.

Com o Pix, o BC quer proporcionar um jeito mais rápido, econômico e simples de realizar pagamentos, incentivar a competitividade do setor financeiro e fomentar a inclusão financeira da população. Desde que o BC divulgou o sistema, clientes e empresas estão na expectativa pelos benefícios dessa tecnologia.

E para quem estava no aguardo, que tal uma empolgante notícia? O BC antecipou a primeira fase do Pix! Antes agendada para 3 de novembro, a etapa de cadastro de clientes começará em 5 de outubro. O intuito do BC é disponibilizar mais tempo para que pessoas e instituições consigam se familiarizar com a plataforma.

Com a proximidade do lançamento oficial das operações de pagamentos para a população, em 16 de novembro, é ainda mais importante entender as principais mudanças ocasionadas pelo Pix, e como usufruir as novidades da melhor forma.

Neste artigo publicado no blog da BluPay, eles abordam qual será a primeira etapa do Pix, como clientes e empresas conseguirão utilizá-lo, algumas das principais funcionalidades já divulgadas e quais serão os estágios até a estreia do sistema.

Pix antecipado: primeira etapa do lançamento

Tudo bem, você já sabe que a primeira etapa do Pix foi antecipada pelo BC. Então, qual é o próximo passo? Fazer o seu cadastro!

A partir de 5 de outubro, clientes e empresas podem registrar o interesse em participar do Pix. O requisito é ter uma conta em alguma das instituições financeiras autorizadas a operar.

Após acessar a plataforma da instituição e cadastrar os dados bancários e pessoais, estará disponível a sua primeira forma de identificação no Pix: a chave de endereçamento.

O que são chaves de endereçamento?

São informações utilizadas pelo sistema para agilizar a confirmação de endereços bancários dos clientes. As chaves integram dados pessoais, como número de celular, e-mail ou CPF (ou CNPJ, para empresas), a detalhes financeiros, como agência e conta. O objetivo é facilitar a etapa de validação nas movimentações financeiras.

Na prática, as chaves de endereçamento são os códigos de identificação de cada usuário nas operações do Pix. Cadastrá-las é a primeira ação para começar a utilizar as vantagens e autorizar pagamentos e recebimentos, de forma rápida e descomplicada. É muito mais fácil do que precisar de muitos detalhes para fazer uma simples transferência, não é mesmo?

Apesar do lançamento em outubro, algumas instituições já se mobilizaram para começar um pré-cadastro de seus clientes. Essa iniciativa mostra como o segmento deve se engajar para impulsionar mais operações com o Pix.

Como clientes e empresas vão utilizar o Pix?

O Pix impactará a rotina de clientes e empresas de muitas formas. Ao longo dos meses, o BC promoveu a divulgação de informações sobre as possibilidades do sistema e, atualmente, já conseguimos entender como transportar os conceitos teóricos da inovação para o dia a dia.

As operações poderão acontecer entre pessoas, empresas e instituições governamentais, ilustrando a versatilidade do Pix. São transferências financeiras, pagamentos de faturas, tributos e muitos outros cenários, incrementados com a velocidade e a segurança da tecnologia de pagamentos instantâneos.

Benefícios para clientes e empresas

Quer entender como os clientes conseguem utilizar o Pix? Um exemplo simples: contas de energia elétrica poderão ser pagas com o Pix. A parceria entre a Agência Nacional de Energia Elétrica e o BC possibilitará a liquidação dessas contas na plataforma. Um dos resultados práticos deve ser a diminuição nos cortes ou na suspensão de serviços, uma vez que a compensação do pagamento é confirmada em segundos.

Dividiu as contas do fim de semana com os amigos? A transferência de quantias entre pessoas físicas será gratuita. São pagamentos sem burocracia!

Empresas também terão vantagens com o sistema. Enquanto instituições financeiras têm o custo estimado de até R$ 0,07 por transferência, a tarifa do Pix será de R$ 0,01 a cada 10 movimentações. Uma economia que fará a diferença no balanço financeiro e pode até incentivar a redução de preços de produtos e serviços.

A conexão da liquidação do pagamento em segundos com um sistema continuamente disponível, terá forte impacto positivo no fluxo de caixa. Afinal, o pagamento recebido por instituições, empreendedores, lojistas e autônomos, será compensado rapidamente mesmo aos fins de semana, resultando em mais fôlego para a gestão financeira.

Como serão realizados os pagamentos?

As transferências com o Pix poderão ser feitas entre clientes e empresas com contas em quaisquer bancos, uma vez que será o sistema do BC o responsável pela integração a cada movimentação.

Já destacadas aqui no post, as chaves de endereçamento podem ser utilizadas para pagamentos e recebimentos. O usuário que quer fazer o pagamento adiciona a chave do destinatário, e a operação é confirmada em segundos. 

O outro formato disponível deve ajudar a popularizar ainda mais o Pix: o QR Code. Com o Pix, recebedores geram QR Codes contendo as informações sobre as operações financeiras. O código é lido pela câmera dos smartphones de quem fará o pagamento, em um processo simples e ágil.

No Pix, estão disponíveis dois formatos de QR Code: estático e dinâmico. Entenda melhor cada um deles:

– QR Code estático: uma vez gerado, esse código pode ser utilizado para diversas operações, com uma quantia fixa ou editada antes de cada pagamento. É interessante para pequenos comerciantes e prestadores de serviços, facilitando as cobranças.

– QR Code dinâmico: trata-se de um código específico para cada pagamento. Pode armazenar informações específicas como datas e dados do recebedor, e é útil em etapas de conciliação de pagamentos.

Mais possibilidades com o Pix

A tecnologia do Pix terá muitos impactos no Sistema Financeiro Nacional. Mais que uma simples — e eficiente — mudança nas ações de pagar e receber, suas funcionalidades podem ser derivadas para novas especificidades da economia brasileira. Confira mais algumas possibilidades projetadas para o Pix:

– Saques: o BC planeja para o primeiro semestre de 2021 a função de realizar saques no varejo com o Pix. O formato seria parecido com um pagamento instantâneo em caixas de estabelecimentos. Porém, enquanto o comerciante recebe a transferência pelo Pix, o usuário retira o dinheiro em espécie.

– Pix agendado: uma operação que mantém as características dos pagamentos instantâneos, como a liquidação em segundos e a redução de tarifas, mesmo em movimentações que ainda serão realizadas. 

– E-commerce: as vantagens do Pix não estão restritas às operações em lojas físicas. O comércio eletrônico poderá disponibilizar o Pix como uma de suas formas de pagamento. Ao selecionar essa opção, o comprador recebe as informações sobre a transferência e confirma o pagamento. A liquidação instantânea deve agilizar o envio dos produtos adquiridos.

As muitas funcionalidades mostram a pluralidade desse sistema e sua capacidade de integração a empresas, carteiras digitais e fintechs. No atual cenário de inovações financeiras, o Pix consolida tecnologias para proporcionar melhorias na forma de realizar e gerenciar pagamentos.

Participação do ecossistema financeiro

O setor financeiro acompanhou de perto o desenvolvimento do Pix. A novidade é um resultado da colaboração do BC com os ecossistemas financeiro e tecnológico, e será lançada para resolver desafios de diversas áreas e da população.

A BluPay está nesse processo e nossos produtos foram elaborados considerando os requisitos estabelecidos pelo BC para o Pix. Participamos do LIFT (Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas), projeto coordenado pelo BC e pela Fenasbac, onde conseguimos entender as possibilidades do Pix e traduzi-las para sistemas de pagamentos que ajudam a resolver desafios das empresas.

O novo sistema de pagamentos instantâneos teve a adesão de 980 instituições, divididas entre participantes diretos e indiretos. Dessas, 120 estão classificadas como participantes diretos, empresas com conta no BC e, geralmente, com muitos clientes ou faturamento mais expressivo.

Outras 860 instituições, categorizadas como participantes indiretos, precisarão dos participantes diretos para realizar o registro na infraestrutura de liquidação do BC. De qualquer forma, também poderão disponibilizar serviços com o Pix.

E quais são as próximas etapas do Pix? Contamos para você!

Pix: cronograma de lançamento

O BC dividiu o cronograma de lançamento do Pix em três estágios:

1) A partir de 5 de outubro, clientes de instituições financeiras autorizadas a operar o Pix poderão cadastrar suas informações, em plataformas disponibilizadas por essas empresas.

2) Em 3 de novembro, começa uma operação restrita do Pix (processo também intitulado “soft opening” pelo BC). Os critérios dessa etapa ainda não foram detalhados pelo BC, mas a expectativa é por uma operação em horários diferenciados para a realização de pagamentos na plataforma.

3) O lançamento das operações para o público está agendado para 16 de novembro.

Avaliações de velocidade e desempenho do Pix estão sendo realizadas, e agora falta pouco para a população brasileira ganhar um novo jeito de fazer e receber pagamentos.

As plataformas desenvolvidas pela BluPay já estão integradas ao Pix. Temos soluções para integrar empresas ao sistema, resultando em movimentações com mais economia, agilidade e segurança para você e para seus clientes.

Fonte: BluPay

Assista agora a Live realizada pela Dinamo sobre PIX e LGPD: Legislação e Segurança

Entenda como o Pix e o Open Banking vão revolucionar a vida dos brasileiros

O PIX na visão de advogados especialistas em Mercado Financeiro

Impacto do PIX no setor financeiro é o tema do Webinar promovido pela DINAMO Networks, em 27 de agosto. Ouça

BluPay é uma nova forma de fazer e receber pagamentos, com mais velocidade, economia e segurança.

Sobre a Valid

Vivemos na economia da confiança. Nessa economia, a moeda é a identidade, e identificação é o que dá valor a ela. Para a Valid (B³: VLID3 – ON), identificação digital é reconhecer algo ou alguém como verdadeiro. Estamos no seu RG, nos seus cartões de banco, nas transações que faz pelo celular e em todos esses lugares, usamos tecnologia de ponta.

Somos 6,000 colaboradores em 16 países levando em consideração as particularidades culturais e regionais, para entregar soluções personalizadas e integradas. No Brasil somos a maior empresa em emissão de documentos de identificação, no mundo ocupamos a 5ª posição na produção de SIM Cards e estamos entre os 10 maiores fabricantes de cartão do planeta. Identificação é nossa razão de ser. Para saber mais, acesse o site.

Siga o Crypto ID no Linkedin e acompanhe as atualizações sobre inovação e segurança da informação com foco em eIDs e Criptografia!

https://www.linkedin.com/company/crypto-id

Nenhum comentário até agora

Ir para a discussão

Nenhum comentário ainda!

Você pose ser o primeiro a iniciar a discussão.

<