Últimas notícias

Fique informado

O crescimento da fraude de identidade sintética no Brasil

5 de maio de 2021

Spotlight

Facebook fala sobre o incidente de 4 de outubro

“Agora que nossas plataformas estão funcionando normalmente após a interrupção de 4 de outubro achei que valeria a pena compartilhar,”Santosh Janardhan.

6 de outubro de 2021

Let’s Encrypt root cert update catches out many big-name tech firms

A legacy certificate used by the certificate authority – the IdentTrust DST Root CA X3 – expired on September 30.

6 de outubro de 2021

Zero Trust e viagens pós-COVID ocupam o centro das atenções no Identity Week 2021

Identity Week 2021 será realizado de 22 a 23 de setembro de 2021 em Londres e reúne as mentes mais brilhantes do setor de identidades.

27 de setembro de 2021

Por Fabrício Ikeda, diretor de Prevenção a Fraudes da FICO para a América Latina

Fabrício Ikeda, diretor de Prevenção a Fraudes da FICO para a América Latina

Um ano após o início da pandemia, a vida de todos os brasileiros mudou radicalmente. Com a adaptação ao confinamento, às novas regulamentações sanitárias e à restrição das atividades presenciais, surgiram novos hábitos de consumo.

O “novo normal” forçou as pessoas a experimentar novas maneiras de adquirir bens de consumo e serviços, principalmente pela internet.

Segundo a Ebit|Nielsen, as vendas do e-commerce no Brasil em 2021 devem crescer 26%, atingindo um faturamento de R$ 110 bilhões, o que indica uma consolidação das lojas online e dos marketplaces. Mas, ao mesmo tempo que isso significa um novo passo rumo à transformação digital da população, surgem diversas oportunidades para criminosos virtuais.

De acordo com a FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos), as instituições registraram no ano passado um aumento de 80% nas tentativas de ataques online – o recente grande vazamento de dados identificado no Brasil, que ainda não foi totalmente esclarecido, deixou a questão ainda mais evidente.

Porém, além dos tradicionais tipos de fraude, especialistas alertam para a expansão de novas modalidades que são ainda mais complexas e difíceis de serem detectadas. Um exemplo é a fraude de identidade sintética.

Ela consiste em uma fraude na qual os cibercriminosos geram uma nova identidade utilizando uma combinação de informações verdadeiras e falsas, com o objetivo de aplicar golpes financeiros como solicitar cartões de crédito e abrir contas em bancos digitais. Pode-se, inclusive, utilizar dados de crianças e de pessoas já falecidas, tornando muito difícil sua identificação.

O perigo da fraude de identidade sintética está na dificuldade de rastreamento, já que é difícil para uma pessoa identificar, em tempo real, se alguém está utilizando algum de seus dados ou informações.

Ela costuma perceber somente no momento que o golpe gera dívidas, quando começam os processos de cobrança ou quando sua nota de crédito é afetada, impedindo que ela compre determinados produtos ou serviços.

Além dos perigos no setor financeiro e nas transações bancárias, a fraude de identidade sintética também pode ser realizada em outros segmentos, como varejo, automotivo, telecomunicações e seguros. Os fraudadores podem usar novas identidades para comprar todos os tipos de bens e serviços sem ter que pagar um único centavo por eles.

Para o consumidor, é importante seguir algumas dicas para mitigar o risco de um fraudador utilizar seus dados pessoais de maneira indevida. Desconfiar de sites de verificação de dados vazados, monitorar seu histórico de crédito e transações de suas contas e cartões, consultar frequentemente os dados de seus parentes e habilitar fatores de autenticação fortes para suas senhas podem contribuir de forma decisiva com sua segurança.

A fraude de identidade sintética também é um grande desafio para as empresas que, sem saber, acabam concedendo crédito ou financiamento a golpistas, contas laranjas ou empresas de fachada. Porém, é praticamente impossível detectar e impedir este tipo de fraude sem o suporte de tecnologias adequadas, já que o ser humano não consegue analisar grandes volumes de dados e cruzar informações em poucos segundos.

Por meio de análises preditivas e modelos de inteligência artificial é possível rastrear não apenas as transações e hábitos de um usuário, mas também analisar riscos e validar quaisquer erros nos dados que são enviados na solicitação de crédito ou de algum serviço.

Sendo assim, a utilização desses recursos tecnológicos é essencial no combate à fraude de identidade sintética. Grandes evoluções tecnológicas são vantajosas para a sociedade, mas sempre trazem desafios.

A expansão do consumo online proporciona diversas comodidades ao consumidor e oportunidades de negócios para as empresas, mas também abre espaço para a ação de criminosos. Porém, com a conscientização da população e o uso de ferramentas adequadas por parte das organizações, será possível minimizar as fraudes e tornar o ambiente virtual ainda mais próspero e seguro.

Combinando informações pessoais, fraude de identidade sintética é uma das que mais cresce no meio digital

Os métodos tradicionais de autenticação e verificação de identidade estão mais ameaçados do que nunca

A identidade digital do Reino Unido e a estrutura de confiança de atributos

Visão computacional: O que é? Como funciona?

Identidade Digital

O Crypto ID reúne as principais notícias e artigos sobre as diversas  tecnologias que identificam no meio eletrônico pessoas, empresas, equipamentos, aplicações e softwares.

Confira a coluna Identidade Digital.

22jun(jun 22)09:0025(jun 25)09:00CIAB FEBRABAN 2021 - Acontece em Junho e terá acesso aberto e gratuito. Inscreva-se!O Ciab tradicionalmente reúne as maiores referências do setor financeiro e de tecnologia. A edição 2021 será em formato digital e gratuito.09:00 - 09:00 (25) BRT