Últimas notícias

Fique informado

Aduanas do Mercosul já estão conectadas pelo blockchain

3 de novembro de 2020

Spotlight

PL 317/21: Plenário aprova criação do Governo Digital

O PL 317/2021, conhecido como o do Governo Digital segue agora para sanção presidencial.

26 de fevereiro de 2021

Qual é o valor legal de uma assinatura eletrônica?

No passado, muitas pessoas relutavam em usar documentos ou assinatura eletrônica, questionando sua validade legal e a capacidade de usá-los como evidência ​​em processos judiciais ou demais contextos jurídicos

25 de fevereiro de 2021

Diretor da Digicert fala sobre os megavazamentos no Brasil e as novas relações de confiança na internet

Segundo Dean Coclin , “Os consumidores devem agora olhar além da fechadura para verificar se o site é autêntico”.

24 de fevereiro de 2021

Assinatura Eletrônica nos contratos e em outros atos jurídicos

“A assinatura eletrônica decorrente de certificados emitidos no âmbito do ICP-Brasil é eficaz para qualquer ato jurídico por força do art. 10 da MP 2.200-2/2001”

23 de fevereiro de 2021

Mergulhando e Navegando no Submundo da Deep Web

Deep Web (dark web, deepnet, invisible net, undernet, ou hidden web) refere-se a qualquer rede fechada que compreende um grupo privado de pessoas, que querem se comunicar.

25 de julho de 2016

Plataforma em blockchain bConnect começa a ser utilizada pelo Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai para garantir mais agilidade e segurança na troca de informações sobre o comércio exterior

ObConnect, rede blockchain desenvolvida pelo Serpro para a Receita Federal do Brasil, começou a ser utilizada em outubro para conectar as aduanas do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. A plataforma garante a autenticidade e segurança dos dados aduaneiros compartilhados entre os países do Mercosul.

“A rede bConnect começa permitindo o compartilhamento de informações de Operadores Econômicos Autorizados (OEA) e já há previsão de incremento da rede para atender ao compartilhamento de informações de Declarações Aduaneiras. Mais do que um produto, estamos implantando um conceito que permitirá a troca de quaisquer informações entre os países de forma segura e ágil, preservando a soberania de cada país”, destaca o gerente de Soluções de Comércio Exterior do Serpro, Paulo Ramos. 

De acordo com Bárbara Harckbart de Oliveira, da Coordenação-Geral de Administração Aduaneira (Coana) da Receita Federal, “o bConnect foi criado para suprir uma necessidade internacional de troca automatizada de dados aduaneiros dos OEA entre os países, que, antes, era feita, em sua maioria, por meio de planilhas elaboradas ou extraídas do sistema que cada país possuía e enviadas por correio eletrônico”.

Paulo Ramos complementa que as empresas certificadas como OEA estão listadas na internet, mas era necessário um sistema em que fosse possível enviar os dados das empresas brasileiras e, ao mesmo tempo, consultar a certificação de empresas estrangeiras. 

“O bConnect inaugura um novo cenário de automatização de compartilhamento de informações aduaneiras e será evoluído para permitir a integração do Mercosul a outros blocos econômicos independente da tecnologia usada por eles”, revela.

Como funciona o bConnect

O bConnect é uma ferramenta que permite o compartilhamento em rede de informações cadastrais das empresas certificadas pela Receita Federal como Operador Econômico Autorizado (OEA) e que usufruem de benefícios como facilitação dos procedimentos aduaneiros, tanto no Brasil quanto no exterior. 

Fernando Lustosa – Consultor de Negócio de Soluções para o Comércio Exterior do Serpro

Segundo o consultor de Negócio de Soluções para o Comércio Exterior do Serpro, Fernando Lustosa, a solução bConnect foi desenvolvida utilizando o framework Hyperledger Fabric 1.4, uma aplicação de código-fonte aberta mantida pela The Linux Foundation.

“Esta solução, que é independente quanto ao fornecedor, possibilita que as regras de acesso e visibilidade dos dados dos acordos bilaterais firmados sejam replicadas na rede de blockchain permissionada formada pelos nós dos países do Mercosul”, afirma Lustosa.

Fernando Lustosa explica, ainda, que “o Hyperledger Fabric é uma rede de blockchain permissionada definida pelas organizações que pretendem configurar um consórcio, ou seja, é necessário ser convidado para participar de uma blockchain Hyperledger, ao contrário de redes públicas abertas como a Ethereum.”

As organizações que participam da construção da rede Hyperledger Fabric são chamadas de ‘membros’, Membership Service Provider – MSP, que, no caso do bConnect, são os países do Mercosul”.

Por ser permissionada, o Fabric possui características com vantagens sobre outras blockchains abertas: proteção de dados e consistência – utiliza permissões para garantir controle dos membros e direitos de acesso; transações confidenciais – controle de visibilidade de transações por grupos baseada em chaves criptográficas (certificados digitais); sem criptomoedas – não necessita mineração ou computação custosa para publicação de transações; programável – lógica implementada em contratos (chaincode) para automação de processos de negócio.

“Cada país integrante da rede inclui as informações relativas às suas empresas OEA na rede blockchain e essas informações serão imediatamente visualizadas por aqueles países cujo Smart Contract esteja estabelecido. Na arquitetura inovadora proposta pelo Brasil, os sistemas de comércio exterior estarão ligados a esta rede e serão sensibilizados com a inclusão de novos blocos”, pontua o gerente do Serpro Paulo Ramos.

Referência internacional

A plataforma bConnect foi apresentada, em setembro, ao Customs-Trade Partnership Against Terrorism, programa americano de segurança, como exemplo para garantir autenticidade das informações aduaneiras compartilhadas entre Brasil e países parceiros.

A apresentação feita por especialistas do Serpro marcou o novo momento em que se configura na troca de dados internacionais, no qual o Brasil é referência.

Fonte: Serpro

ATP defende mais segurança jurídica e desburocratização do setor portuário para avanço dos investimentos em infraestrutura no Brasil

Primeiro Documento Eletrônico assinado entre dois Países foi emitido em 2 de outubro de 2020

Acordo sobre Facilitação do Comércio do Mercosul e a interoperabilidade dos certificados digitais entre os países do bloco

IBM e R3 unem forças para expandir recursos e serviços de blockchain de nuvem híbrida

Blockchain foi escolhida para eleições dos EUA

Reimaginando o novo contrato social para a era digital. Entrevista com Don Tapscott